19/09/2015

Sempre Foi Você - Capítulo 3 (parte 2 - bonus)



Durante cinco dias, Joseph se juntou à rotina delas, lendo em voz alta enquanto elas terminavam Harry Potter e escolhendo seu personagem preferido enquanto elas encenavam trechos do livro. Sem o terno e a gravata, Joseph Jonas parecia outra pessoa. À noite, depois de pôr Ruby na cama, eles se sentavam juntos e assistiam tevê. Um programa novo tinha começado em um dos canais, algum tipo de reality show. Dez pessoas eram forçadas a viver juntas numa casa trancada. 
Demi achou fascinante.

 – Não é muito como 1984, na verdade, é? – Joseph se perguntou, oferecendo outro cookie de chocolate do pacote que estavam compartilhando. – Quer dizer, o Grande Irmão faria com que eles fizessem continência e jurassem lealdade a ele. 
Não deixaria que ficassem deitados no jardim, conversando com as galinhas.  
Quando os comerciais começaram, Demi foi até a cozinha. Abriu a geladeira e pegou duas garrafas de Becks, tirando as tampas com um abridor de garrafa enquanto voltava para a sala. 

Quando olhou para Joseph, notou que os olhos dele tinham escurecido quase imperceptivelmente quando ele encarou as pernas nuas dela. A intensidade do olhar a fez perder o fôlego. Com a rotina de pôr Ruby na cama, um programa de tevê preferido e o compartilhamento de cerveja e cookies, eles estavam se tornando a paródia de um velho casal… 

Tirando a parte do sexo. 

 *** 

 Na última noite de Joseph no chalé, eles decidiram ir ao vilarejo comprar o jantar num restaurante de peixe e batatas fritas. O ar noturno estava agradável e perfumado quando eles se sentaram na grama, comendo a última ceia direto do papel-manteiga. Ruby estava sentada nos degraus de concreto do Memorial de Guerra, jogando batatas para pombas toda vez que elas desciam tentando roubar comida dos seus dedos. Eles viram o sol se pôr com os dedos cobertos de vinagre, sal e gordura. Uma gota de ketchup caiu no canto da boca de Demi. 
Joseph inclinou-se para limpá-la com o dedão. 

Ele sentiu uma vontade súbita de mover o dedo um pouco para a esquerda e enfiá-lo na boca macia dela, só para ver qual era a sensação. Em vez disso, pôs o dedo nos próprios lábios e lambeu o molho. Demi o encarou com sua boca em formato de rosa levemente aberta, e ele podia ver um pedaço da sua língua logo atrás dos lábios. 

 – Está deixando seu cabelo crescer com a cor natural? 
– Estou tentando me reinventar pra faculdade. Quero encontrar um visual mais roqueiro. Gótico é tão século passado.

Joseph riu do entusiasmo idealista dela, da crença de que era possível se reinventar simplesmente com uma mudança na cor do cabelo. Não era tão fácil assim. 

 – Roqueiro? – ele olhou para ela, cético. 

– Sim, estou cansada de só usar preto. Até eu preciso de um pouco de cor de vez em quando. 

– Bem, estou ansioso para conhecer a nova Demi Lovato. Talvez você possa me mandar uma foto. 

 – Talvez você possa ir pro inferno, seu pervertido – ela respondeu, batendo com o ombro no dele. Joseph bateu de volta e ela escorregou do banco de madeira, caindo na grama dura e seca com um baque surdo. Sua expressão indignada o fez gargalhar. Na manhã seguinte, Joseph saiu cedo do chalé para pegar o primeiro voo para Nova York. 

O avião estava lotado, mas a família Maxwell sempre viajava de primeira classe. Mesmo que Joseph fosse um Jonas, seu padrasto não deixaria que ele viajasse de outra forma. Um Lincoln preto o aguardava no portão de chegada. O motorista pegou as bagagens e Joseph o seguiu até o estacionamento. Ele sentou-se no banco de trás enquanto o motorista se preparava para enfrentar o trânsito de Nova York. Levou mais de uma hora até eles estacionarem na frente da casa de pedras marrons. 

 Ele estava de volta ao lar, embora essa fosse uma palavra estranha para descrever o lugar. O interior da casa era muito limpo, muito austero. Muito parecido com sua mãe. Mas, de todos os lugares do mundo, esse era o que deveria ser considerado seu lar. Afinal, Joseph tinha passado a maior parte dos últimos quinze anos ali. Assim que entrou na casa, ele foi para a cozinha, na qual podia ouvir Consuela cantando enquanto limpava o chão. 

Ela trabalhava para os Maxwell havia muito tempo e já morava na casa bem antes de Joseph e sua mãe se mudarem para lá. 

 –Joe – um sorriso iluminou o rosto dela. – Você está em casa. Venha aqui e me dê um beijo. 

 Ele a ergueu e a girou enquanto ela batia nos seus braços, tentando fazer com que ele a soltasse. 

 – Onde está todo mundo? – ele perguntou, colocando-a no chão.

 – Sua mãe está com os Hampton. E Daniel teve que ir trabalhar com o pai. Ele não está muito feliz com isso também. 

 Daniel era o meio-irmão de dezessete anos de Joseph, o único filho e herdeiro de Leon Maxwell. Com um império multibilionário englobando de imóveis a serviços de consultoria financeira, Leon Maxwell tinha uma vasta gama de investimentos em todas as partes do mundo.
 Joseph contornou Consuela e pegou um pão ainda quente da bandeja. 
Ela deu um tapinha em sua mão. 

– Temos convidados hoje? – ele perguntou, mordendo o pão. 
– O sr. Maxwell convidou os Brooke para jantar com você.
– Às oito?
 – Sim, senhor – quando falava com ele, o “senhor” sempre era acompanhado por um sorriso brincalhão. Era diferente de quando tratava Leon ou Daniel assim. 

– Bem, nesse caso, estarei no meu quarto, dormindo pra curar o enjoo da viagem – Joseph piscou e saiu da cozinha. 

Quando subiu, não ficou surpreso ao ver que seu quarto estava mais limpo e mais cheiroso do que quando o deixara mais de uma semana atrás.

Consuela tinha realizado a missão com garra durante a ausência dele. Jogando a mala num canto e tirando os sapatos, ele se deitou em cima do edredom, fechando os olhos assim que sua cabeça atingiu o travesseiro.


----------------------------------------------------------------

Logo logo tem mais ^^ 
bjs

11 comentários:

  1. Voce voltouuuuu. Achei q tinha ido parar numa tribo africana isolada d todas as outras. Perfeito, posta logo pq quero saber como rola o envolvimento deles q fez surgir o bebe

    ResponderExcluir
  2. Aeeeeeeeeeeeeeeeeeeeee posta maia tanta nam nam posta mais TAM nam nam

    ResponderExcluir
  3. Lembrei do q se trata a fic com o cometário antes do meu

    ResponderExcluir
  4. Voltou o/
    Poderia divulgar o meu blog?
    O link é esse: http://casamento-acidental.blogspot.com.br/
    Obrigada!

    ResponderExcluir
  5. Jubs tu voltooooouuu ❤❤ tava sentindo falta das tuas fics

    ResponderExcluir
  6. Kkkkk
    Que lindo ❤️❤️❤️ Você voltou
    Amei o capítulo
    Quero mais kkk
    Beijos

    ResponderExcluir
  7. Que capítulo lindo ❤️
    Esses dois kkkkk...que maravilhosooooo
    Estou ansiosa para saber mais...
    Bebe você voltou ❤️❤️❤️ Saudades ❤️
    Posta logooo
    Beijos ❤️

    ResponderExcluir
  8. Você voltoooooooooou,tava com tanta saudade da suas histórias, não demora muito a postar se não vou morrer do coração

    ResponderExcluir
  9. Finalmente vc voltou, posta logo

    ResponderExcluir
  10. fiquei uns tempos fora do blog... e agr estou de volta! e, pfvr, tem como você divulgar? historiaslove.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  11. Oi, amo suas fics e essa tá linda, como sempre. G
    ostaria de fazer um pedido, se vc ainda estiver no grupo Warriors, pede pra adm me colocar de novo, se vc for adm, me adiciona. Eu tive um problema com o meu celular,daí tive que formatar ele. O meu número é: 86-999012400.

    ResponderExcluir

Sem comentários ........... sem capítulos!