16/12/2014

Papai por um Tempo - Capítulo 17





Demetria não quis ficar para o café da manhã. Assim que eles haviam tomado banho e se vestido adequadamente, Joseph cedeu e chamou um táxi; porém, insistiu em acompanhá-la até o aeroporto. Quis esperar até que ela tivesse a reserva no voo confirmada, contudo Demetria insistiu para que ele prosseguisse com seu dia. Prosseguisse com sua vida.

Ele a beijou nos lábios do lado de fora do terminal, contudo a carícia foi muito diferente daquela da noite anterior, como o céu azul daquele dia em comparação ao outrora cinzento. Seus lábios não permaneceram unidos por muito tempo, o sorriso de Demetria não convenceu, e, quando ela se afastou, Joseph se esforçou para não arrastá-la de volta e exigir que ela ficasse até que eles encontrassem um modo de fazer as pazes; de superar aquilo tudo de alguma forma.

Em vez disso, ele a viu desaparecer no aeroporto lotado de gente que precisava compensar o tempo perdido devido aos atrasos que aquela nevasca incomum havia provocado.

Não saberia dizer por quanto tempo permaneceu parado ali, observando, pensando, antes que o taxista abrisse a janela a fim de apressá-lo:

— Para onde, agora, senhor?

Para onde?, Joseph refletiu, aturdido.

 Demetria chegou a Nova York mais tarde, naquele dia, sentindo-se esgotada, porém disposta a não adiar a decisão que tomara durante as horas de espera no aeroporto edurante o voo de volta para casa. Saiu do táxi e entrou no antigo prédio do Brooklyn. Havia trabalhado muito com o intuito de cursar uma faculdade e encontrar meios para se mudar de Ohio, onde passara a infância e a adolescência. Nunca mais se esqueceria da alegria que sentira ao ser contemplada com um cargo na Story. Seu apartamento era minúsculo, porém ela o enchera de coisas que a faziam feliz: pinturas de artistas novos e talentosos, seus livros favoritos...

O problema era que aquele apartamento não era dela. Não era exatamente um lar. Jamais diria a Joseph, mas aquela sua cabana no bosque fora o porto mais seguro que ela já conhecera na vida.

— Eu sei que prometi que faria Dirkins assinar o contrato — falou Joseph — e ainda não desisti disso.

Thomas continuou sentado do lado direito da gigantesca mesa de conferência, com os cotovelos sobre os braços da cadeira e os dedos das mãos unidos pelas pontas, enquanto observava o irmão mais velho andar de um lado para o outro do luxuoso escritório central dos Hotéis Jonas.

Joseph sabia que devia estar parecendo um leão enjaulado, porque era exatamente assim que se sentia. Desde que chegara do Colorado, havia dois dias, não fora capaz de se concentrar em coisa alguma, muito menos no fechamento do contrato de Denver. Pensara muito na sugestão de Demetria de fazer uma oferta a Dirkins de parceria e copropriedade, mas, embora parte dele quisesse ajudar o homem, não era assim que as coisas funcionavam nos negócios. Uma sociedade igualitária também exigia negociação.

— Talvez devêssemos deixar o negócio correr — opinou Thomas. — Desde que mamãe e papai se separaram, ele não tem se mostrado muito disposto a lidar com os negócios. Não que a ruptura deles seja permanente...
— Nossa família não é invencível, Thomas, embora a gente finja que seja.

O rapaz apoiou as mãos nos braços da cadeira.

— De onde tirou isso? Está um pé no saco desde que voltou do Colorado, sabia? Não fez nada a não ser cara feia e ficar resmungando. O que aconteceu, afinal?
— Nada importante.
— Toda vez que pergunto sobre aquelas duas com quem estava na cabana, você desconversa. Por que não fala de uma vez? Alguém está chantageando você?
— Não seja melodramático. — Joseph parou de frente para a parede envidraçada.

Thomas caminhou até parede de vidro e observou a vista panorâmica e inspiradora do centro de Nova York. A do Colorado podia ser relaxante, mas era ali que ele prosperava. Era ali onde brotavam as verdadeiras oportunidades. Ele pôs a mão no ombro de Joseph.

— Ei, somos mais do que irmãos. Somos amigos. Por que não se abre comigo? Deixe-me ajudá-lo.
Joseph tentou ignorar a sensação de vazio que o invadiu.

— Não vai acreditar.
— Tente.

Após um momento de indecisão, ele se acomodou em uma das cadeiras e passou os 15 minutos seguintes relatando os principais momentos de sua mais recente estadia no Colorado. Thomas pareceu surpreso ao ouvir como ele havia encontrado o bebê. E chocado quando soube que ele se oferecera para levá-la para casa até que as autoridades pudessem assumi-la.
Joseph também contou sobre Cruiser e como o cachorro era responsável, inteligente e enorme. Mas, principalmente, falou sobre Demetria e admitiu o quanto eles tinham ficado próximos. Lembrou-se de como ela descrevera a sensação de ter perdido Bonnie-Bel após ter cuidado dela. Agora era como se uma parte dele estivesse faltando também.

— Nunca fiquei tão desnorteado na vida — admitiu, pondo-se de pé. — Devo estar doente.
— Joseph, meu irmão, está apaixonado, isso sim.

Ele voltou os olhos para o rapaz mais moço, então deixou escapar uma risada estridente. Seus irmãos nunca desistiam de tentar lhe arrumar a mulher perfeita!

— Demi e eu ficamos juntos por dois dias!
— Às vezes, isso é mais do que suficiente. Eu soube que queria me casar com Willa em nosso primeiro encontro, e Dylan teve a mesma sensação com Rhian depois de uma semana.
— Eu sou diferente. Sempre fui diferente.
— Do que tem tanto medo, afinal?

Joseph apoiou as mãos nos quadris.

— Em primeiro lugar, ficar apaixonado não está nos meus planos.
— E quais seriam seus planos?
— Assumir de uma vez a presidência dos Hotéis Jonas. Papai está praticamente aposentado.
— E o restante de nós perdeu a cabeça no momento em que disse “sim” e teve filhos?
— Vamos ser honestos. Todos vocês têm outras prioridades.
— Nossas famílias, claro. Mas isso não significa que não possamos gerir um negócio.
— Se o papai tivesse ficado mais tempo com a mamãe, eles não estariam passando por essa separação agora. Ele devia ter diminuído o ritmo cinco, dez anos atrás, quando as rachaduras começaram a aparecer.
— Joseph, não é bem essa a questão...

O comentário o exasperou, pois o fez se lembrar de que havia dito as mesmas palavras a Demetria quando ela quisera se envolver mais com o bebê, mesmo após ele ter ido embora. Ele tentara chamá-la à razão, mas a verdade era que Demetria conhecia bem melhor aquele tipo de situação do que ele; assim como ele se sentia mais a par dos problemas dos pais do que seus irmãos.

Thomas continuava falando:

— E eu insisto: um homem pode ter uma família e ainda se dar muito bem na vidaprofissional.
— Não sem sacrifícios.
— A vida é toda feita de sacrifícios, Joseph. Ou deveria ser. Acredite em mim, irmão: apenas quando temos uma família é que realmente começamos a viver.
— Mesmo tendo de lidar com mamadas às três da matina?
— Pelo visto, pôde lidar com elas muito bem.
— E quanto a ser obrigado a passar o tempo todo se desculpando por chegar em casa tarde das reuniões?
— Se for inteligente e dedicado, poderá organizar seu tempo. O que está tentando provar? Não precisa vender a alma e juntar um bilhão, nem três, para ser feliz.
— Pode ser, mas é como eu me vejo no futuro. Calmo, focado.
— Pode-se conjecturar que essas também sejam excelentes qualidades para um pai e marido.

Joseph não sabia. Mas, depois daquela conversa, uma coisa havia ficado bem clara: ele não conseguiria descansar nem pensar com clareza enquanto não visse Demetria outra vez.


6 comentários:

  1. heeey, posta maiis...
    estou esperando a continuaçãao
    beijoo

    ResponderExcluir
  2. Eu quero Bonnie/Bel de volta :'(
    Algo me diz que Demi vai ficar gravidissima, e o querido papai será o Joe!
    Estou no aguardo de outro capitulo! Completamente apaixonada pela história..
    Sam, xx

    ResponderExcluir
  3. Acho que ja disse muitas e muitas vezes, mas vou dizer de novo ESSA FIC É PERFEITA, quero muito um baby.. E também sinto falta da Bonnie.. Posta logo! Beijos <3

    ResponderExcluir
  4. ah quero muito mais, ja to acostumada a ter sempre capitulos

    ResponderExcluir
  5. Ai que perfeito ❤️❤️❤️❤️
    Super ansiosa para saber mais...
    Tomara que o joe preocure a demi :)
    Enfim...posta logoo e beijos ❤️

    ResponderExcluir
  6. JUUUUUH, POSTA LOGO MULHER, cade você? Não to me aguentando aqui ajbsbaz
    Divulga meu blog, please?
    -> http://jemiendlessly.blogspot.com

    ResponderExcluir

Sem comentários ........... sem capítulos!