22/09/2014

Meu Erro Favorito - Capitulo 54






Eu acordei abruptamente às 5h na manhã seguinte. Joe estava despido ao meu lado e resmungou em seu sono quando eu me mexi. Eu fiquei um momento sem conseguir respirar, como se algo estivesse me espremendo.

Eu esperava um ataque de pânico. Eu tive mais deles do que eu podia contar em minha vida. Eu sabia que tinha alguns remédios contra a ansiedade em algum lugar, mas eles não fariam nenhum bem àquela altura, uma vez que eles demoram um tempo para se intensificar em seu sistema. Qualquer outra coisa que eu pudesse ter tomado, teria sido furada, então eu apenas fiquei onde eu estava, focando nos braços de Joe e no fato de que não, eu não estava, na verdade, morrendo.

Eu coloquei os olhos em Joe. Seus olhos pulavam atrás de suas pálpebras. Para um rapaz, ele tinha cílios realmente grossos. Ele parecia tão doce enquanto dormia, contanto que ele não tivesse um pesadelo. De vez em quando, se ele estivesse em um sono realmente profundo, ele roncava um pouco.

Meu amor por ele ajustou-se sobre mim como um cobertor limpinho numa fria noite de inverno. O sentimento apertado foi embora quando eu entrei em nossa bolha. Foi mais difícil dessa vez, mas de alguma forma eu consegui. Joe fez uma careta ainda dormindo e murmurou algo.

Eu beijei seu nariz e deitei novamente, virando minha cabeça para que eu pudesse olhar para ele. Ele era malditamente muito brotinho.
Eu comecei a perder o controle de novo quando Joe tentou me fazer comer torradas com cerveja de gengibre.

— Não vou forçar você, mas você vai se arrepender se não comer. — Eu nunca o vi tão carrancudo, então eu dei algumas mordidas na torrada e tomei um pouco da cerveja de gengibre.

Selena, Nick e Miley abraçaram-me e desejaram-me coisas boas quando eles foram para suas aulas e coisas assim. Liam teve um resfriado, então ele ficaria em casa à noite, mas ele me mandou um SMS assim como Megan.
Se eu não estivesse tão estressada, meu coração teria se aquecido por todas as pessoas que estavam me dando apoio.

Eu perdi a briga para dirigir, então Joe também estava matando aula para me levar. Eu não briguei muito por isso. A comissão que permite a liberdade condicional dos presos pode tomar sua decisão logo após a audiência, então eu provavelmente não estaria em condições de dirigir de volta para o campus de qualquer forma.

A audiência estava marcada para às dez, mas eu estava pronta para ir às oito e meia. Joe pegou seu violão e me deixou fazer pedidos, trocando de uma música para outra mesmo que estivesse no meio. Era uma mistura estranha, tipo como se estivesse mudando de estações de rádio. Isso me divertiu por algum tempo, mas quando minhas pernas começaram a agitar-se tanto que eu não podia nem sentar, Joe pegou nossos casacos e me levou para uma caminhada no campus. Ele também sugeriu que fizéssemos mais algumas pinturas de sopro, mas eu não conseguia ficar sentada por tempo suficiente para sequer montar as coisas. Eu provavelmente acabaria usando só preto e fazendo uma grande bagunça de qualquer forma.

As folhas estavam começando a corar de verde para laranja e de vermelho para amarelo. Eu adorava o campus no outono. Até o ar era melhor no outono. Nós caminhamos devagar e ele continuou chutando pinhas para mim para que eu pudesse triturá-las sob meus pés.

Joe, de maneira não característica, estava quieto durante nossa caminhada, o que era tanto útil quanto inútil. De um lado, ele não estava tagarelando comigo como as pessoas faziam, tentando encher minha cabeça com bobagens para que eu não pensasse em outra bobagem, mas por outro lado, eu só conseguia focar em merda sem a voz dele para me distrair.

Nós passamos por outros alunos indo e voltando de suas aulas e dormitórios e trabalhos e prática de esportes. Suas vidas pareciam tão simples. Não pela primeira vez, eu desejei poder passar para a vida de outra pessoa. Ou, talvez, pelo menos eu pudesse ter várias personalidades, de forma que pelo menos eu pudesse fingir que estava vivendo outra vida.

— No que você está pensando? — Eu perguntei à Joe.
— Você.
— O que sobre mim?
— Especificamente? Naquele olhar em seu rosto quando você acorda de manhã e vê que eu estou a seu lado. É o meu segundo favorito depois daquele olhar quando eu faço você gozar.
— JOSEPH! — Eu bati nele e olhei em volta para ter certeza que ninguém havia escutado.
— Querida, ninguém está prestando atenção em nada além deles mesmos. Eu poderia transar com você bem aqui e agora e a maioria das pessoas apenas seguiria seu caminho. Você quer tentar? Posso provar para você. — Ele me deu aquele sorriso forçado que eu não tinha visto por muitas horas. Fez-me sentir quente por dentro.
— Eu não quero ser presa por fornicação pública, muito obrigada. Eu já tive tempo demais numa sala de audiência por minha vida inteira.
— Desculpe. Eu estava tentando evitar que você pensasse nisso.
— Joe, qualquer coisa me faz pensar nisso.
— Você não estaria pensando nisso se nós estivéssemos rolando no feno, eu aposto.
— Provavelmente não. Eu não penso em quase nada quando estamos fazendo isso.
— É esse o meu objetivo.
— Você é muito bom nisso.
— Bem, obrigado, Missy.
Nós andamos mais um pouco até termos que voltar.
— Você pegou tudo? — Joe disse enquanto eu arrumava minha bolsa.

Eu tinha minha declaração, junto com pelo menos cinco cópias escondidas em vários bolsos para que eu tivesse um apoio. Joe também tinha muitas cópias escondidas em seus bolsos. Ele escolheu a saia grafite e o suéter cor de cappuccino e as botas que eu estava usando. Ele estava bem vestido também, uma mostra de solidariedade.

— Aqui. — ele disse, entregando-me seu iPod quando entramos em seu carro. — Vá para a lista de reprodução de Missy. — Eu pluguei aparelho em suas caixas de som e apertei o play.

Honey, Come Home encheu o carro, mas não era o The Head and the Heart que estava cantando.
Era o Joe. A qualidade do som não era muito boa, mas isso não me importava. Eu sentei-me quieta quando eu ouvi sua voz de ninar na música. Quando terminou, ele pausou a reprodução.

— Era isso que você estava fazendo quando deveria estar trabalhando?
— Parcialmente. Há um estúdio de gravação em Bangor que é alugado por hora. É algo que eu quis fazer por um tempo, mas eu finalmente encontrei uma razão para fazer.

Eu alcancei sua mão e beijei as costas dela.
Palavras não podiam expressar como eu me sentia.

— Então, você quer ouvir mais?
— Quantas mais existem?
— Muitas. Eu escolhi músicas que me fazem lembrar de você.
— Uh oh. — Eu imaginei todas as possibilidades, tremendo.
— Aperte o play e descubra. — ele disse, sua voz me desafiando.

Eu aceitei o desafio.

A segunda música era I Won’t Give Up de Jason Mraz, seguida por She’s So Mean do Matchbox 20. Essa me fez rir. O resto das músicas era uma mistura eclética: um pouco de pop, um pouco de country, um pouco de música popular. De Umbrella da Rhianna a Tip of My Tongue de The Civil Wars a Ours da Taylor Swift.

— Essa é a última música. — ele disse enquanto dobrava na saída Waterville.

Era a música que ele escreveu para mim. Ele deixou-a mais lenta e mudou um pouco a letra para ficar mais doce. A música terminou quando ele parou no estacionamento da corte judicial. Que preciso. A lista de reprodução não acabou e a voz de Joe apareceu, sem o violão.

— Eu amo você, menina Missy. Mesmo que eu não possa ficar com você, saiba que eu estou aqui. Então, é isso. Mais que as estrelas, Demi. Mais que as estrelas.

— Mais que as estrelas. — eu disse, inclinando-me e beijando-o.


Era hora de enfrentar a escuridão.


-------------------------------------------------------------

Desculpa a demora (de novo)... mas vou falar a verdade kkkkkk eu já to doida pra postar outra história, então é o seguinte, vou arrumar os caps e talvez termine essa fic HOJE ^^ 
Então COMENTEM, pleaseeeeeee! 



4 comentários:

  1. Esse Joe e muuuuuito fofo!!!! Ansiosa para o próximo...... posta please........

    ResponderExcluir
  2. Eu apoio postar mais capítulos hoje u.u

    ResponderExcluir
  3. Uai, an? Ta acabando? Como assim? Ohhh you broke my heart </3
    Eu simplesmente amei essa fic, foi tão cheia de treta e enrolada para que esses dois se pegassem, entretanto quando aconteceu. Jesus! Eles realmente se pegaram. O Joe é tão fofo, ele continua tentando ajudar a Demi independente de tudo. Ansiosa para o próximo capítulo, quero saber o que diabos acontecerá nessa audiência.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  4. Como assim acabando? Ahhh ): amo demais essa fic! "Mais que as estrelas" To no chão

    ResponderExcluir

Sem comentários ........... sem capítulos!