13/09/2014

Meu Erro Favorito - Capitulo 53






*****


— Eu darei o meu melhor. — Joe disse segurando minha mão e me levando até o carro.
— Ligue assim que estiver tudo ok. Eu vou deixar meu celular ligado, por via das dúvidas.Queria que você me deixasse ir junto.
— Eu não posso depender de você pra tudo.
— Você soube se virar pelos últimos vinte anos, então eu acho que você vai ficar bem.
— Espero que sim.
Ele me deu um beijo suave e tocou meu colar.
— Boa sorte, Missy.
— Te amo.
— Amo você também. Mais que as estrelas.
— Eu também.
Eu ganhei mais beijo e fiquei sozinha. Eu observei enquanto ele se distanciava para poder então entrar no carro.

O caminho até o escritório do Sr.Woodward em Waterville pareceu muito longo e muito curto. Eu estacionei em frente ao escritório e tive flashbacks de quando vim aqui com minha mãe e Dallas.

Nada bom.

Eu apertei o colar de Joe em volta do meu pescoço e vi que o carro de Dallas já estava aqui. Eu mandei uma curta mensagem de texto dizendo que eu estava bem e passei pela entrada. O escritório do Sr.Woodward costumava ser uma casa, mas tinha sido divida em escritórios. O escritório era bem chique, com carpete Borgonha e lindas luzes que pareciam lanternas antigas. Ainda assim a memória desse escritório fazia meu estômago se remexer.

Sua repartição ficava no segundo andar então eu subi as escadas e vi que através da porta que estava aberta que Dallas já estava lá. Forcei meus pés a se aproximarem, um passo de cada vez até que eu estivesse dentro do escritório.

— Demi, é bom ver você de novo. Como tem passado? Sua irmã acabou de me contar dos seus feitos.

É uma coisa boa que o Sr.Woodward parecia um avô bonzinho e gostava de conversas para preencher o silêncio constrangedor. Eu tive um monte dessas conversas com ele todos aqueles anos atrás.

— Eu estou bem. — Ele esperou por mais, mas isso foi tudo o que ele ia conseguir. Era tudo que eu poderia fazer para me sentar na cadeira que ele me ofereceu e não fugir e chamar Joe e dizer-lhe para me vir buscar.
— Ok, bem, eu tenho certeza que você já sabe que Travis Moore está em liberdade condicional. Haverá uma audiência na quinta-feira, e vocês são bem-vindas para dar uma declaração. Eu sinto muito que não pude notificá-las mais cedo. Foi um descuido clerical que já foi sanado. — Merda, merda, merda.
— E sobre pessoas próximas estarem conosco no tribunal? — Dallas disse.

Peguei a mão dela e dei-lhe um pequeno aperto. Ela tinha sido a nossa porta voz daquela vez também.

— Apenas a família imediata. Sua mãe, seu pai. Claro, eu estarei lá.
— E o noivo dela? — Dallas disse.
— Você está noiva?

Eu apenas assenti e mudei meu anel da direita para a esquerda, esperando que ele não percebesse. Eu estendi minha mão, logo que o anel estava a salvo no meu dedo.

— Bem, parabéns! Isso é maravilhoso. Quem é o cara de sorte?
Limpei a garganta para trazê-lo de volta para a nossa pergunta.
— Ele pode ficar comigo?
— Oh, eu sinto muito. Família imediata, só.

Foda-se. Tanto para o noivado falso.

— Então, eu só queria passar por cima de algumas coisas sobre a audiência e ajudá-la a se preparar pra falar.

Com isso, eu desligo-me. Dallas ficou consciente, sentada em frente e acenando com a cabeça, envolvida e fazendo perguntas. Ele deu-nos pacotes de informação que esperava que eu seria capaz de ler.
Olhei pela janela para a árvore do lado de fora. Ela estava muito mais alta do que tinha sido quando eu estive neste escritório pela última vez.
Dallas teve que me beliscar para me dizer que era hora de ir.

— Se você tiver alguma dúvida, ligue para mim e lembre-se, mesmo que ele seja liberado mais cedo, ele ainda vai estar no registro de criminosos sexuais pelo resto da sua vida. Isso significa que ele vai estar sob escrutínio extremo, então não há nada para você se preocupar, ok? — Fácil para ele dizer.
— Se isso é tudo, irei vê-las na próxima quinta. Tenham uma boa tarde, senhoras.

Nós duas apertamos sua mão e saímos, Dallas mantendo a mão nas minhas costas.

— Escadas. — disse ela, como se precisasse lembrar.
— Eu sei.
— Ok.

Nós saímos do escritório, e eu finalmente senti que podia respirar.

— Você está bem? Eu pensei que tivesse perdido você de novo.
— Eu estava em transe.
— Eu percebi.
— Você conseguiu tudo?
— Mais ou menos. Eu ligo para você quando você não estiver no modo zumbi e vamos discutir. Ok?
— Funciona para mim. — Ela me deu a minha metade do pacote, incluindo o básico de um processo judicial e os direitos da vítima.

Voltamos para nossos carros separados, e eu achei que alguém estava se inclinando contra o meu.

— O que diabos você está fazendo aqui? — Joe estava sentado no capô do meu carro, meu e-reader em sua mão.
— Peguei um táxi. Eu sabia que você não iria me deixar entrar, então eu decidi fazê-lo sem lhe dizer. Como você está?

Bem, eu estava na vertical e eu não tinha vomitado ou desmaiado.
Isso era algo.
Eu encolhi os ombros.

— Obrigado por vir. — Dallas disse, dando-lhe um abraço de um braço só.
Ele não foi para mim de imediato, como se sentisse que eu não queria ser tocada no momento.
— A qualquer hora. Estou apenas fazendo o que deve ser feito pela minha garota. Ei, você tem o meu número? Você sabe, apenas no caso de Demi esquecer de me contar sobre como as coisas estão?
— Olá? Estou bem aqui. — eu disse.
— Claro.

Eles trocaram números e Dallas me deu um abraço antes de entrar em seu carro dizendo que ela me veria na próxima semana. Alegria.

— Você está feliz em me ver? — ele perguntou.
— Sim e não. Eu estou brava com você por faltar suas aulas, mas não irada, porque era uma coisa muito doce para se fazer.
— Eu posso me contentar com isso. Posso tocar em você?
Eu concordei e ele me deu um abraço carinhoso, mas absteve-se de me beijar.
— Como foi?
— Não foi tão ruim quanto eu pensei que seria. Eu me desliguei pela maior parte. Dallas tomou notas.
— Eu tenho certeza que ela fez. Você está pronta para ir para casa?
— Sim. — Eu deixei-o dirigir, porque meu cérebro estava muito cansado para dirigir e pensar ao mesmo tempo.
— Está com fome?
— Não realmente.
— Você não comeu muito hoje. Por que não paramos em algum lugar?
— Há uma lanchonete de uma única saída que tem "Sanduíche com manteiga de amendoim com geleia"  no menu adulto. — eu disse.
— Este é um lugar que precisamos visitar.
Assim fizemos.

Eu pedi um "Sanduíche com manteiga de amendoim com geleia de morango", e ele escolheu banana no seu. Joe acabou por ser um mestre de falar sobre coisas que não eram importantes, mas interessantes o suficiente para manter minha mente ocupada.
Ele provavelmente aprendeu com Hope, ou com a sua mãe, ou ambas.
Nós compartilhamos um milkshake de chocolate ao leite, com dois canudos e tudo.

— Eu sinto que eu deveria estar dizendo que você parece um brotinho. — disse ele.
Eu pisco charmosamente meus cílios.
— Nossa Senhora, Joe. Isso com certeza foi muito gentil da sua parte.
— Brotinho é uma palavra legal. Precisamos trazê-la de volta.
— Nós deveríamos. Vamos fazer isso.
— Vou colocá-la em uma música.
— E eu vou aplaudir essa canção.
— Você é muito boa em aplaudir.

Eu balancei a cabeça a sério.

— É um dos meus talentos.

Eu coloquei a reunião com o Sr. Woodward para o fundo da minha mente, junto com todas as outras coisas assustadoras. Sem dúvida que eles iam me pegar no meio da noite de qualquer maneira. Eu não queria infringir meu tempo com Joe.
Voltamos para o campus, e eu adormeci no carro. Quando eu acordei, eu estava na minha cama com Joe, com pijamas, com ele deitado ao meu lado, lâmpada acesa, e-reader na mão.

— O que você está lendo com tanta vontade? — Eu disse.
— Eu tenho que ver com quem ela vai terminar.
— Ainda tem mais livros.
— É? Droga. Eu estava esperando que pudéssemos colocar esse livro de lado.
— Você é tão estranho.
— Estou bem, brotinho.
— Oh, certo.

Ele colocou meu e-reader, certificando-se de que estava de volta a salvo na capa.

— Posso te beijar agora? Meus lábios de brotinho tem estado solitários. — Ele fez beicinho, me fazendo rir.
— Eu acho que sim. — Eu me estiquei, e nós demos um selinho.

Nós começamos a nos beijar intensamente, e Joe correu as mãos debaixo da minha camisa. Eu não estava usando sutiã.

— Garota má.
— Por que eu iria deixar algo no meu caminho? — Ele deu um um pequeno aperto.
Engoli em seco e bati em sua mão.
— Dois dias mais. — Ele enterrou seu rosto no meu peito.
— Ok, ok.

Eu toquei seus cabelos, massageando meus dedos em círculos. Seus olhos se fecharam e ele cantarolava. Parecia Home de Phillip Philips, apenas uma lenta e sexy versão.
Olhei para o relógio e vi que era apenas 9:30.

— As meninas deram-nos outra noite sozinhos.
— Elas são tão doces.
— Eu sei. Eu vou sentir falta delas quando nos mudarmos. — disse ele.
— Nós não estamos saindo.
— Não neste segundo. Mas em breve.
— Eu não estou fazendo isso com você agora. — Eu levei minhas mãos longe de sua cabeça.
Ele fez um barulho irritado, em protesto.
— Isso não foi muito brotinho da minha parte considerando o dia que você teve. Sinto muito.
— Não, me desculpe. Eu surto sempre que dinheiro é mencionado. É algum tipo de reflexo estranho.
— Por que você não quer que eu alugue um apartamento para nós?
— Porque eu acho que as coisas devem ser tão justas o quanto elas são. Você alugar um apartamento pra nós, faz-me sentir como uma vagabunda. Como se eu precisasse de você para cuidar de mim.
Ele pareceu pensar sobre isso por um momento.
— Você não precisa de mim para cuidar de você, mas eu gosto de gastar dinheiro com você. O apartamento seria um presente. Algo para compartilhar. Você me dá mais do que o dinheiro poderia comprar. Você me ama. Fodido, tatuado, badboy, brotinho.
— Eu gostaria que fosse assim tão fácil.
— Vamos arquivar essa discussão para um outro tempo, não é?
— Claro.

Nós paramos de falar muito e recorremos à muitos beijos. Eu nunca poderia me cansar de beijar Joe. Ele era muito bom com a boca.
Nós ficamos até tarde conversando sobre os prós e contras de namorar um vampiro, e outras palavras que tinham perdido sua popularidade desde 1952.

De alguma forma eu dormi sem os pesadelos noturnos.

— Obrigado. — eu disse quando eu saí da cama.
— De nada?
— Eu não tive nenhum pesadelo.
— Não, você não teve. Nem eu.
— Você não teve um por um tempo.
— É porque eu tenho o meu amuleto da sorte comigo o tempo todo. — Eu olhei para o colar que ele tinha me dado no dia anterior. Foi todo torcido em meu cabelo. Então notei a camisa que estava vestindo. Era uma das camisas dele, que eu sabia da noite passada, e que tinha uma frase sobre ela.
— Esta camisa seriamente quer dizer, 'Tudo é maior no Texas‘?
— Porque sim, tudo é maior no Texas. — Eu balancei minha cabeça enquanto me dirigia para a cafeteira.

De alguma forma eu tenho uma rodada de provas do semestre mais cedo, mesmo com Joe me distraindo e todo o drama audiência de liberdade condicional.
Dallas e eu tivemos conversas noturnas, lendo o que estávamos preparando para falar uma à outra e alterando e modificando. Eu tive que tirar um monte de palavrões do meu. Joe era a favor de deixar. Então tentei substituir cada palavrão por expressões esquecidas com o tempo, como brotinho.

Joe estava lá para mim a cada passo do caminho, mas ele estava agindo de forma estranha. Eu continuei pegando-o no telefone, e ele rapidamente desligava quando eu entrava na sala. Eu também peguei ele tendo várias reuniões com as companheiras de quarto e seus homens. Eu mesma peguei ele tendo uma pequena conversa com Megan quando eu a convidei para a noite de meninas no spa onde tínhamos passado mais tempo online olhando para coisas para casamento e apartamentos baratos do que fazendo a nossas unhas ou hidratações profundas em nosso cabelo.

Em seguida, houve as vezes em que ele disse que estava pegando horas extras na biblioteca, mas eu sabia que ele não estava lá. Eu tinha amizade com um dos empregados de lá, Ashley, e quando Joe disse que estava lá, eu mandava mensagens para que ela confirmasse ou negasse que ele estava por lá. Ele nunca esteve quando disse que estava.

Alguma coisa estava acontecendo com ele, e eu estava determinada a descobrir o que era. Naturalmente, eu fingi que não percebi nada e tentei escutar tanto quanto eu poderia. Ele parecia saber sobre mim, porque eu não consegui escutar quase nada.
Eu não era a melhor em espionagem, de qualquer maneira. Percebi que depois da audiência eu teria muitas chances. Eu não pensei sobre o que iria acontecer se ele obtivesse liberdade condicional. Isso não era uma opção.

— Todos no Texas tem uma arma? — Eu perguntei à Joe uma noite antes da audiência.

Eu me tornei Twitchy Demi.
Eu não podia ficar parada, então agarrei a cadeira giratória e começei a girar em círculos.

— Praticamente. Por quê?
— Eu ia pedir para Dallas me dar aulas de tiro para o Natal deste ano.
— Eu daria essas aulas para você se soubesse. — disse ele, olhando seu livro de economia.
— Está tudo bem. Eu apenas pensei que seria uma boa ideia. Você sabe, só no caso.
— Você tem o spray de pimenta e aquele apito. Posso pedir online uma arma da Taser agora mesmo, se você quiser.
— Não, não. Eu estou bem.
— Você não está, mas tudo bem. Você acha que você poderia comer um pouco?

Nós comemos macarrão no jantar, mas eu não aguentei nada.
Eu balancei a cabeça.

— Talvez amanhã. Eu meio que gostaria de poder ficar perdida agora, então eu não teria que pensar sobre isso.
— Então, não pense sobre isso.
— Fácil para você dizer. — Eu tinha estado cada vez mais mal-humorada com ele, mas ele não parecia se importar.
— Eu poderia ajudá-la a esquecer. — Houve aquele sorriso arrogante.
— Eu não estou me sentindo muito sexy agora.

Ele saiu de sua cama e colocou a mão sobre a cadeira até ela parar de girar.

— Você está sempre sexy. E brotinho.
— Eu não me sinto tão brotinho. Como é que eu vou fazer isso?
— Você vai. Fácil assim.
 Ele me deu um beijo rápido.
— Eu gostaria que você pudesse estar lá comigo.
— Se você me deixasse levá-la ao tribunal da cidade, nós poderíamos estar casados agora.

Quando Joe tinha ouvido falar que só a família poderia estar na sala do tribunal, ele imediatamente perguntou se eu queria ir até o tribunal e obter uma certidão de casamento. Eu pensei que ele tinha ficado louco, ou ele estava brincando.

— Você não estava falando sério sobre isso.
— Talvez eu esteja.
— Nós não vamos nos casar. Minha mãe teria um infarto.
— Provavelmente Hope está planejando também. Você sabe que ela já está planejando nosso casamento, certo?
— O quê?
— É uma coisa que ela faz. Ela gosta de planejar. Quase tanto como Natal e torta.
— Que tal um casamento de Natal com torta como o bolo de casamento?
— Isso iria explodir sua mente.
— Joe.
— Sim, querida?
— Eu não posso fazer isso.
— Sim, você pode. Basta contar até cinco.
— Como você faz quando você está nervoso?
— Só isso. É uma técnica que meu terapeuta me ensinou.
— Como é que você tem todos os bons? — Eu disse.
Ele deu de ombros.
— Quem precisa de terapia quando você me tem? — Isso me fez sorrir, e ele puxou-me em seus braços, cantarolando e balançando-nos para frente e para trás. — Você está pronta para a cama?
— Cara, só são 10 horas. — eu disse.
— Eu sei, mas você precisa de seu sono.
— Eu não estou cansada.
— Tire sua camisa.
— Uh, não. Eu não acho que vai ajudar.
— Eu não quero fazer nada com você. Só vou dar-lhe uma massagem.

Bem, isso soou adorável. Ele certamente tinha mãos talentosas. Pensar sobre elas esfregando as minhas costas nuas me deu arrepios.

Eu caí no meu estômago e puxei minha camisa sobre a cabeça. Ele agarrou minha loção de canela favorita (porque cheirava a ele) e deu-me uma alucinante massagem. Meu corpo se transformou em massa em suas mãos, e eu fiz alguns sons que eu normalmente só fazia quando estávamos fazendo outros tipos de coisas íntimas.

— Por que você é bom em tudo? — Eu murmurei.
— Nem tudo. Eu sou terrível em palavras cruzadas. E eu nunca fui capaz de manter um peixe vivo para salvar a minha vida. E... Um... Oh! Eu tinha um problema de fala até que eu tinha sete anos. Eu não poderia dizer a letra L.
— Eu não acho que nós podemos mais ficar juntos. Você é um perdedor.
— Eu prefiro ser seu perdedor do que ser o vencedor de alguma garota.
— Você sabe que eu estava sendo sarcástica.
— Sim, eu sei. — Ele deu um beijo no meu ombro.
— Agora, agora.
— Eu sei. Mas sua pele é tão irresistível. Meus lábios são atraídos até ela. Você quer repassar a resposta de novo? — Ele sabia o que a resposta a isso era.
— Não. Basta continuar a massagem.
— Sim, senhora.

Ele continuou até os meus músculos relaxarem de sua tensão e eu fechei os olhos.
Adormeci e só acordei quando Joe subiu ao meu lado e me puxou para seu torso nu.



-----------------------------------------------------

Hey ... kkkk eu demorei , por que estava esperando os comentários sabe, já falei q quanto mais rapido comentarem, mais rapído eu posto !!! 

Pra quem perguntou que grupos kpop eu gosto ... Bom, eu sou muito fã das Girl's Generation (SNSD), gosto do 2PM, Super Junior, 2NE1, F(x), Ailee, Secret, EXO, GOT7 .. enfim .. muitos kkkk 


BEIJOS E COMENTEM!!!


12 comentários:

  1. lindoooooo, amei, comentem MT gente ela tem que postar o mais rápido possível.

    ResponderExcluir
  2. Agora eu estou muito curiosa para saber o que o Joe está aprontando.. eu realmente não faço ideia do que seja, talvez um pedido de casamento ou até mesmo o apartamento? Não sei :S
    O grande dia está chegando e tenho certeza que a Demi vai surtar, tipo surtar mesmo quando ela estiver frente a frente com o Travis.
    Poste mais por favor, está mega maravilhosa a sua fic, beijos

    ResponderExcluir
  3. O que o Joe ta aprontando em? Será que é só a Hope que está planejando o casamento? To ansiosa, posta mais

    ResponderExcluir
  4. Demi quiser ir morar com ele já pode !!!
    Num tem pra que ela enrrolar tanto!
    CAAAAASAMENTOOO
    EU QUERO CASAMENTO!!!

    ResponderExcluir
  5. brotinho ♥♡♥
    Que fofos kkk
    adorei tudo u.u
    posta logooo
    Beijos

    ResponderExcluir
  6. Brotinho *---*
    achei meio feio esse apelido no começo, mas agora até que gostei hsgdhsagdj
    Joe cheio de segredos, meu Deus!!! eu preciso saber o que esse homem esconde logo!!
    Travis não pode ficar solto, ele tem que ficar na cadeia.
    não vai ter mais hot???
    beijoos <3

    ResponderExcluir
  7. To com preguiça de escrever mais aqui kk' mas posta logo ta ><'
    Beijos~

    ResponderExcluir
  8. "Eu prefiro ser o seu perdedor do que ser o ganhador de outra garota"!! Que coisa mais fofa!!! Posta mais!!!

    ResponderExcluir
  9. Por que você demora tanto meoooo ): to ansiosa Juh, posta logo

    ResponderExcluir
  10. Amei! Posta mais logo! < leitora nova ansiosa>
    Joe é muito fofo! Queria q todos os garotos fossem assim!
    Bjs

    ResponderExcluir
  11. Ameeei
    Lindooo
    Perfeitooo
    Posta logo Juh

    ResponderExcluir
  12. Selo para vc: http://fanmadehistorias.blogspot.com.br/2014/09/selos.html

    ResponderExcluir

Sem comentários ........... sem capítulos!