26/08/2014

Meu Erro Favorito - Capitulo 43 (3/5)




Eu nunca havia experimentado a sensação de "quente e incomodada", mas por volta das três da manhã, eu tive que levantar e sair do quarto. Eu conseguia ouvir cada respiração do Joe e seus movimentos como nunca antes. Eu tive uma breve idéia de ir dormir, ou tentar, no quarto da Selena e da Miley, mas então o Joe saberia que eu estava quente e incomodada.

Eu não olhei para o meu rosto no espelho porque eu não queria ver isso. Ao invés disso, eu sentei na beirada da banheira e torci meu cabelo com um dedo. Era um hábito que eu havia pegado quando eu era criança e que eu não fazia há muito tempo. Quando eu era mais jovem, eu o torcia tanto que eu arrancava um pouco do meu cabelo. Minha terapeuta na época, Dr. Blood, havia me dado uma bola de estresse, mas isso não havia ajudado. Eu já estava irreparavelmente quebrada.

Eu tinha aceitado que eu era problemática há muito tempo atrás. Era uma das razões que eu havia prometido a mim mesma não me envolver com ninguém. Ninguém deveria ter que lidar com os meus problemas, fora eu. Era fácil, porque não havia ninguém com quem eu queria ficar de qualquer forma.
Até agora.

Joe havia dito que ele me queria, e eu não podia mais negar. Eu o queria também. Eu o queria tanto que eu mal conseguia aguentar. Eu passava praticamente cada momento acordada com ele, e eu lamentava as horas que estávamos separados. Não porque eu precisava dele o tempo todo, mas eu sentia falta dele quando ele não estava por perto. Houve algumas vezes quando eu via algo, ou alguém dizia alguma coisa e eu pensava "o Joe iria adorar isso", ou "a única outra pessoa que acharia isso engraçado é o Joe".
Eu sentia falta de ele ter um comentário pra tudo.

Ele havia me dito que eu não estava ainda apaixonada por ele. Ah, mas eu estava perto. Se isso não era quase amor, eu não sei o que mais seria.
Uma batida interrompeu os meus pensamentos.

— Você está bem?
— Sim. Eu posso ter um pouco de porra de privacidade?
— Desculpa. É que você está aí há um tempo; eu queria me certificar que você não estava doente ou algo assim. Eu estou indo agora. E também, eu estou pelado, então se você abrir a porta nesse momento, você vai ter o show completo.
— Eu passo.
— Você que sabe. — Eu o ouvi se virar e voltar para o nosso quarto e fechar a porta.

Eu fiquei no banheiro por mais alguns minutos, decidindo que se eu estava quente e incomodada ali como na minha cama, então pelo menos eu poderia ficar confortável.
Eu não disse nada quando eu voltei para a cama.

— Sabe se você está desconfortável com o que eu disse, está tudo bem. Eu meio que joguei isso para cima de você repentinamente. — ele disse. — Eu posso voltar atrás se você quiser.
— O problema não é que eu esteja desconfortável com isso, o problema é que eu quero isso! — eu gritei.

Era oficial: eu havia enlouquecido.
Ah bem, eu não era conhecida por ter um parafuso preso.

— Você está feliz? Jesus. Você diz algo assim e então espera que eu apenas não me importe com isso. Isso é como provocar alguém com um bolo gigante e então colocá-lo em um daqueles negócios de sobremesa giratórios. — Eu não estava no meu momento mais eloqüente naquela hora.
— Isso significa que eu sou o bolo?
— Cala a boca, era uma metáfora.
— Então você me quer?
Tanto que dói.
— Sim. — eu sussurrei.
— Agora?
— Sim.
— Oh. — Agora era ele que soava nervoso.
— O quê?
— É apenas... uma surpresa.
— Eu disse que pensaria na idéia.
— Eu sei. Eu apenas não pensei que você ficaria tão entusiasmada tão cedo.
— Joe, eu sou uma virgem. Não uma freira.
Ele não falou por um momento.
— Essa foi a coisa mais sexy que você já falou. Deus, por que você faz isso comigo? — Ele virou de costas e encarou o teto. Eu conseguia apenas ver o seu peito nu no escuro.
— Digo o mesmo.
— Eu me sinto tanto honrado e aterrorizado ao mesmo tempo.
— Por que aterrorizado? — eu disse.

Joe Jonas não tinha medo de nada, muito menos sexo.

— Isso é muita pressão. Quer dizer, me pedir para ser o primeiro. Eu apenas... eu não quero estragar tudo. Você é muito importante por isso.
— Eu tenho certeza que você tem bastante experiência. — Seria eu que estragaria.
— Tudo isso não importa. Todas as coisas que eu fiz antes era apenas sexo. Eu te disse, eu não quero fazer sexo contigo. Eu quero fazer mais. Você merece muito mais. Mais do que eu, de qualquer forma.
— E se eu não quiser mais? E se eu quiser só você? — Todos os meus sentimentos e frustrações finalmente se derramaram da minha boca.
— Eu retiro o que disse. Essa foi a coisa mais sexy que você já disse.
— Então e agora?
— Bem, eu sei que nós dois temos aula amanhã, mas eu realmente não quero que esse encontro termine.
— Eu também não.
— Matar aula? Tem um lugar que eu quero te levar. — Eu nunca matei aula na faculdade.
Colegial, muitas vezes. Eu imaginava que eu já havia pagado muito dinheiro para a minha educação na universidade então eu não deveria desperdiçar. Mas talvez apenas dessa vez.
Eu tenho que ligar para o trabalho, mas eu estava apenas escalada para duas horas, então não é grande coisa. Provavelmente seria uma única vez. Eu apenas havia ligado e dito que eu estava doente uma única vez em um dos trabalhos que eu tive e isso foi apenas porque eu tive intoxicação alimentar e tive que ficar do lado da lixeira o tempo inteiro.
— Ok. — eu disse.
— Ok.
Nós ficamos por um tempo ali deitados.
— Eu não consigo dormir. — ele disse.
— Nem eu.
— Eu tenho algo em mente que nós podemos fazer.
— Eu tenho certeza que sim.
— Se você quiser.
— Anotado.
— Tudo que você tem a fazer é vir aqui. Ou eu irei até você.
— Ok.
— Eu nunca discuti tanto sobre isso.
— Sexo?
— Sim, ele apenas normalmente acontece.
— Vê, eu nunca entendi isso. Não pode apenas "acontecer". Você não pode ir do ponto A para o sexo em um momento.
— Isso depende.
— Do quê?
— Normalmente do quanto que você bebeu ou o quanto a garota é gostosa.
— Porco.
— Ei, eu te falei que todas as outras coisas estão no passado. Seria diferente contigo.
— Como?
— Você quer um passo-a-passo?
— Eu estou apenas... Curiosa.
— Eu juro, você está me matando da maneira mais lenta e torturada possível. Eu acho que vou precisar de uns vinte banhos frios depois dessa conversa.
Eu iria precisar de mais do que alguns.
— Nós deveríamos ir para a cama. — eu disse.
— Nós deveríamos. — Ele suspirou. — Não, não vai acontecer. Se você me quer, eu estarei no sofá. — Com isso, ele pegou sua cueca, a vestiu, pegou seu travesseiro e coberta, e estava fora do quarto antes que você pudesse dizer camisinha.
Graças a Deus.

Era mais fácil pensar sobre outras coisas como verbos em francês e a expressão sutil de misoginia nos filmes quando ele não estava no quarto. Eu também pensei sobre outras coisas. Eu nos imaginei... juntos. Era uma imagem boa, mas então ela se transformava em outra imagem. A imagem do rosto do Travis quando ele... Não. Eu fechei a reprise mental e tentei pensar sobre outra coisa.


---------------------------------------------------

e AI ?? gostaram do capítulo ??? kkkkkkkk 
Ela admitiu que o quer >.< isso é bom !!! #viva

COMENTEM!!!


3 comentários:

  1. Eeeeeeh primeira a comentar! kkkk posta maaais urgentemente

    ResponderExcluir
  2. AHHHH CARA NÃO SE FAZ ISSO COMIGOOOOO!!!!! Que perfeito! Os dois mostraram o quanto querem, e meu Deus, eu to doida pra que aconteça logo, pqp

    ResponderExcluir
  3. por favorrrr que o ultimo seja ultra ,mega big por favorrr esta otimo

    ResponderExcluir

Sem comentários ........... sem capítulos!