26/08/2014

Meu Erro Favorito - Capitulo 41 (1/5)






Eu segurei a mão de Joe no caminho para casa. Parecia a coisa certa a fazer.
Como se estivéssemos em um encontro real, e nós pudéssemos ser uma casal de verdade. Minha mente nunca se afastou muito de pensar sobre o meu segredo. Sobre finalmente dizer a ele e deixar as coisas caírem onde elas devem. Lá estava isso de novo. Aquela palavra caindo.

— Você parece incrível.
— Obrigada. Você parece muito bem. — Eufemismo.
— Oh, essa coisa velha? Ninharia. — disse ele.
— Idiota.
— Deusa.
Ele pegou minha mão e beijou as costas dela, tirando seus olhos da estrada por um momento.
— Então você não está mais com raiva de mim? Quer dizer, tudo bem se você estiver.
— Eu não estou brava exatamente. Bem, não mais. Eu só... Eu nunca pensei que você tinha isso em você.
— Eu tinha. — disse ele. — Eu tenho... Eu perdi o controle assim antes, mas não por muito tempo. Eu queria ir atrás de você, mas eu estava tão envergonhado do que eu tinha feito. Eu não queria que você se sentisse ameaçada por mim.
— Eu posso cuidar de mim mesma, Joe.
— Eu sei.
— Não vamos mais falar sobre isso. Falar sobre isso não vai mudar. Isso aconteceu e é isso. — eu disse.
— Não é, mas posso concordar com uma mudança de assunto. O que você gostaria de discutir?
— O que você disse para o pianista?
— Eu só disse a ele que eu tinha sido um idiota e havia uma dama especial que precisava de uma desculpa especial.
— Deixe-me adivinhar, eu sou a dama especial.
Ele balançou a cabeça.

— Não, essa era a senhora na mesa ao lado.
— A bisbilhoteira? Como você se atreve?!
— Você está brincando? Nada excita mais um homem que brincos de ouro gigantes e um top de estampa de animal. Rawr.

Eu ri quando entramos no estacionamento dos estudantes.
Desta vez, eu esperei por Joe vir abrir a minha porta.

— Então você tem mais alguma coisa planejada para esta noite adorável? — eu perguntei.
— Bem, eu sei o quanto você gosta desse filme de casamento e ele sempre faz você rir, então achei que poderíamos vê-lo com um pouco de pipoca. Parece bom?
— Parece perfeito. — Eu podia ver toda a cena em minha cabeça.

Eu e Joe em nossos pijamas, comigo envolvendo-o no sofá, rindo tanto que nossos estômagos doeriam.

— Você não tem que me contar esta noite. Um segredo é o suficiente por um dia, você não acha?
— É. — parte de mim queria deixar escapar para fora, desabafar e já matar o suspense.

Ele queria saber. Como não poderia? Eu tinha praticamente arrancado o segredo dele, como escavar uma pérola de uma ostra. Mas eu estava feliz que eu sabia. Eu esperava que ele não se arrependesse de ter me contado. Eu esperava que eu não iria me arrepender dizendo a ele.
Havia um bilhete na porta da frente quando nós subimos as escadas.

“Vocês divirtam-se. O lugar é todo de vocês. Por favor, limpem todas as superfícies, se vocês se tornarem amorosos, com as toalhas na cozinha. Amamos vocês, Selena e Miley.

— Eu quero saber quem escreveu esse bilhete.
— Bem, eu suponho que Miley escreveu e Selena adicionou a parte sobre as toalhas.
— Parece certo. — Ele derrubou o bilhete e colocou a chave na fechadura.
— Então. — disse ele quando abriu a porta e acendeu a luz. — Eu acho que somos apenas nós.

Nós nunca estivemos sozinhos juntos a noite toda antes. De dia era um rolo todo diferente.
Joe ainda estava segurando minha mão.

— Eu vou, hum, deixar você se trocar e vou começar a pipoca. — disse ele, deixando isso como um carvão em brasa.

Uma pequena voz dentro de mim gritou de frustração, mas eu me virei e fui para o quarto de qualquer maneira. Peguei ao redor das minhas costas para desfazer o zíper, mas não desfaria. Eu não tinha problema em conseguir isso em cima, mas embaixo era outra história. Eu quase arranquei meus braços para fora dos meus encaixes para tentar fazer a maldita coisa colaborar comigo.

— Filho da puta!
Houve uma batida na porta.
— Você está bem aí?
— Sim, tudo bem. — Eu tentei puxar a bainha do vestido para cima e sobre a minha cabeça dessa forma, mas era muito encaixado no corpo. Bem, merda.
Eu tentei uma última vez antes de desistir.
— Ok, então, você pode me dar uma mão? O zíper estúpido está preso.
— Ah, é mesmo?
— Cala a boca e me ajuda, por favor? — eu abri a porta e me virei de costas para ele. — Basta começar com isso...

Eu parei de falar quando senti suas mãos quentes nas minhas costas. Respirar de repente se tornou muito desafiador. Seus dedos levaram um tempo doce roçando a minha pele e colocando meu cabelo para fora do caminho do zíper traidor.
Ele puxou suavemente, e descendo ele abriu.

— Muito bem. Eu não percebi qualquer problema.
— Bem, isso é tão bom para você. — eu respondi, tentando virar-me.

Ele segurou meus ombros para que eu não pudesse. Muito lentamente, ele pressionou seus lábios no lugar que o zíper tinha revelado. Minha pele queimou com o contato e o resto de mim derreteu em geléia. Eu queria ceder contra ele, mas não o fiz.

— Joe. — eu disse.
Bem, foi mais como um sussurro.
— Desculpe. Não pude resistir. Eu estou atraído por você. Isso me deixa absolutamente insano, que eu tenha que estar com você o tempo todo e não poder te tocar.

Eu ia mover meu pé para que eu pudesse dar um passo à frente, e, portanto, longe dele. Finalmente, meu pé obedeceu. Eu me sentia exatamente da mesma maneira sobre ele, mas eu não podia me mover para frente. Havia um gigante segredo ficando no nosso caminho.


-------------------------------------------------

Hey... começando a MARATONA ;)
Vou deixar os capítulos programados para 2 horas mais ou menos entre um e outro capítulo ... pra ficar tudo certinho >.<

Curtam ai >.< 
Bjss até o próximo cap 


3 comentários:

  1. Ai que capitulo lindooooo! Olha esse romance todo entre eles que amor!! To amando

    ResponderExcluir
  2. que fofos *---* estou muito animada para essa maratona, quero mais momentos fofos como esse :)
    Selena e Miley são duas malucas kajsgdad safadas, já querendo que eles se peguem pela casa toda kkkkkkk
    Beijoos <3

    ResponderExcluir

Sem comentários ........... sem capítulos!