14/08/2014

Meu Erro Favorito - Capitulo 35





Eu não vi Joe até a noite seguinte, quando ele voltou da aula. Eu ainda estava usando o anel. Eu tinha recebido elogios o dia todo, e mais de uma das minhas colegas do sexo feminino tinham perguntado se eu estava envolvida em algum relacionamento. Eu tive que engolir em seco e dizer que não.

Além disso, Joe tinha dito que não acredita no casamento. Eu não tinha visto que era tão grande também. Meus pais se divorciaram, juntamente com metade da população casada. A ideia de que havia uma pessoa perfeita destinada para cada um de nós parecia demasiado perfeita. Era um conto de fadas, e não a realidade.

Não que eu não gostaria de entrar no conto de fadas ocasional delicioso de vez em quando. Eu só sabia que eu tinha que voltar para a realidade.

— Devo assumir que por você ainda estar usando isso você gosta e não quer que isso vá embora?
— Sim, eu gosto. É apenas desnecessário. Eu só pedi chocolates.
— Eu tinha um monte de idiotices para compensar.
— Isso é verdade, mas eu não acho que custariam vários milhares de dólares.
— Você não sabe quanto custou o anel.
— Não, mas eu não sou uma idiota. Eu posso fazer pesquisa na Internet, bem como qualquer outra pessoa.

Eu posso descobrir o quanto cada uma destas pedras vale, geralmente falando, e depois descobrir a configuração e trabalho e assim por diante. O quê? Você não vai me dizer.

— Você é uma das meninas mais curiosas que eu já conheci. Você apenas tem que saber de tudo.
— A curiosidade não é um pecado.
— Muito ruim. — disse ele. Eu lutei contra o desejo de mostrar minha doente língua para ele, porque era juvenil, e eu era uma adulta. — Não se esqueça, temos a mediação esta noite às sete.
— Merda. — Eu tinha esquecido. Isso deve ser divertido.
— Poderíamos fazer um pacto para ir e apenas sentar lá e dizer nada como em Gênio Indomável.
— Eu pagaria um bom dinheiro para ver você ficar em silêncio por uma hora inteira. Apenas sobre o quanto este anel vale a pena.
— Eu não quero o anel de volta. Somente se eu perder a aposta, só assim eu aceito o anel de volta.
— Por que, Joe? Segundo a minha pesquisa este anel vale tanto quanto Sassy. Se você não conseguiu encontrar habitação, onde diabos você conseguiu o dinheiro?
— Bem Srta. Lovato, prefiro discutir estas questões na nossa mediação. Eu acho que é um ambiente mais adequado, você não acha? — Ele disse com um sorriso. Oh, ele era tão irritante. — Eu vou tomar um banho. Certifique-se de tirar o anel antes de se juntar a mim.
— Nunca. Isso nunca vai acontecer. — eu gritei quando ele entrou em nosso quarto.

Ah, mas podia. Poderia ser uma coisa que poderia acontecer, se eu deixasse. Fiquei olhando para o anel. Eu não sabia se era minha imaginação, mas ele parecia ficar maior quanto mais eu o usava. Na próxima semana eu ia acordar e estaria do tamanho de uma bola de futebol e todos os ossos do meu dedo teriam sido esmagados por ele. Então eu teria que fazer uma cirurgia e provavelmente nunca seria capaz de obter meu dedo de volta ao normal e eu teria um dedo ferrado para o resto da minha vida e uma história maluca para contar.
Eu estava pensando demais sobre isso.
Joe esteve calmo durante o jantar, como se estivesse me mostrando que ele poderia ficar em silêncio. Eu não estava muito impressionada. Se ele pudesse fazer isso por um dia inteiro, aí sim seria algo impressionante.

Miley estava fora em outra sessão de estudo e Selena estava com Nick, por isso éramos apenas nós dois.

— Hey. — ele disse enquanto estávamos terminando — Isso parece ótimo em você. Estou feliz por você ter gostado.
O que não tinha para se gostar?
— Obrigada. — eu disse de novo. Parecia ser a única resposta normal que eu poderia pensar em relação ao anel.
— Você tem que parar de dizer isso.
— Por quê? — Eu perguntei.
— Porque isso me faz sentir estranho.
— Estranho como?
Ele disse que não ia discutir o anel até a nossa mediação, mas aqui estávamos nós.
— Não parece ser o suficiente. Vendo o seu rosto quando você abriu a caixa me faz querer comprar um milhão de coisas só para poder ver aquele olhar em seu rosto outra vez.
— Eu juro por Deus, se você me comprar qualquer outra coisa, eu vou te matar.
— E isso. Eu amo que você fique puta da vida com isso, mas ao mesmo tempo goste. É adorável.
— Morda-me.
— Uma menina tão encantadora. Será que eles não ensinaram você a não dizer coisas como essa no final da escola?

— Eu perdi a aula de kickboxing na semana passada, e agora eu realmente gostaria de chutar algum saco. Eu acho que você gostaria de proteger o seu.
— É disso que as crianças estão chamando-os hoje em dia? — Disse ele, pegando nossos pratos e levando-os para a pia. Era a vez de Selena lavar os pratos, o que ela faria logo que voltasse do seu encontro. Ela enfiou o gráfico de tarefas como se fosse sua religião.
Joe foi ao nosso quarto e pegou seu violão.
— Tem algum pedido?
— Rhapsody in Blue. — eu disse, sendo um tipo sarcástico.
— Eu lhe dei um anel bonito e um pouco de chocolate e agora você quer Rhapsody in Blue? Você é uma menina exigente, Missy.
— Tudo bem. Toque o que quiser.

E então aconteceu. Era uma versão simplificada, mas era Rhapsody in Blue, no entanto. Ele fez Gershwin orgulhoso. Concedido, não foram todos os 20 minutos de sinfonia, mas era decente. Joe fez as transições de uma seção para outra perfeitamente. Ele era um gênio musical.
Ele terminou a canção e sorriu para mim.
— Continue.
— Por que você não é um estudante de música? — Eu tinha perdido a conta de quantas vezes eu perguntei isso a ele. Ele sempre fazia algum comentário sobre seu tio e ter uma boa carreira e outras coisas que eu poderia dizer que ele só estava repetindo para mim. Ele soou como um orientador quando ele falou sobre isso, o que era porque eu sabia que era besteira total.
— Eu prefiro ter um trabalho lucrativo como advogado em vez de dizer: ‗Você quer batatas fritas com que?‘ Que é o que eu estaria fazendo como um estudante de música.
— E sobre a educação musical? — Eu o tinha visto com Harper, tentando ensinar-lhe alguns acordes. Eu também tinha visto uma guitarra rosa em seu quarto que eu suspeitava de que ele comprou para ela.
— Eu com uma sala cheia de crianças? Você está falando sério?
— Você é ótimo com a Harper.
— Ela é uma criança e ela é diferente.
— Como?
— Ela apenas é. Ela é especial.
— Eu acho que você seria bom nisso.
Ele começou a dedilhar uma melodia aleatória. Agora quem estava desviando?
— É hora da nossa mediação, Srta. Lovato.
— Depois de você, Sr. Jonas.

Nós marchamos pelas escadas em direção à sala de Chris, nosso diretor residente. Chris tinha cerca de 25 anos e era graduado em alguma área de engenharia. Eu não conseguia entender. Ele era legal, mas estranho. Você poderia dizer que ele estava fazendo isso apenas pelo alojamento gratuito e o salário que lhe pagavam.

— Olá, Joe, Demi. Como estamos indo?
— Tudo bem. — nós dois dissemos ao mesmo tempo. Eu olhei para Joe. Ele piscou de volta.

Nós nos sentamos no sofá, e Chris estava com o seu bloco de notas. De vez em quando ele fazia anotações enquanto estávamos conversando, como se fosse um terapeuta ou algo assim. Eu estava morrendo de vontade de saber o que ele tinha escrito sobre nós, mas todas as minhas tentativas de roubar seu bloquinho tinham sido inúteis. Talvez eu pudesse convencer Joe em me ajudar com uma distração.
— Então, vamos começar. Como foi esta semana?
— Fabulosa. — eu disse com uma voz inexpressiva.
— Tem sido ótima para mim. — disse Joe.
— Tudo bem. — disse Chris, olhando para suas anotações. — Vocês tem algum problema que vocês sentem que devemos discutir?
— Que tal como você não consegue parar de me beijar? — Joe disse, virando-se para mim.
— Como sobre o fato de que você gastou milhares de dólares em um anel feito sob medida e depois só esperou eu dizer obrigado, e vamos estar juntos e felizes para sempre? Que tal isso? Ou sobre o fato de que você tinha algum estranho encontro com um homem chamado Mark, que você não vai me contar?
— Uh, vamos, uh, vamos manter o rumo da conversa. — disse Chris, debatendo.
— Como o fato de que você me quer e eu quero você e, por alguma razão, é impossível para nós estarmos juntos de acordo com você?
— Você ainda não me respondeu sobre Mark.
— Você não me disse por que não podemos estar juntos. — Estávamos na cara um do outro.
O seu rosto estava ficando vermelho, e eu tinha certeza de que o meu também estava assim.
— Porque sim.
— Isso não é uma razão de merda, Demetria. — Ele cuspiu o meu nome.
— Olha a língua. — disse Chris. — Vamos esfriar por um momento. Preciso trazer o bastão de novo?
— Não. — nós dois dissemos ao mesmo tempo.

Na nossa primeira sessão ele tinha nos segurado com esta vara estúpida, que era realmente um bastão, para que pudéssemos praticar falar, voltar, falar. Isso tinha terminado comigo batendo em Joe com o bastão de falar e ele rindo.
Eu realmente queria bater nele novamente, mas eu não quero ficar em apuros. Chris olhou de um para o outro sobre o primeiro assalto, falando sobre o bastão, mas eu não acho que ele seria tão indulgente por um segundo.

— Eu não quero ser agredido novamente.
— Eu não te agredi.
— Missy, eu realmente não quero passar pela definição legal de agressão com você agora.
— Por que não começamos com você, Joe? O que o tem incomodado esta semana?
Joe ignorou Chris.
— Você está com medo. Você está com medo sobre este segredo grande e escuro que você carrega. É a razão pela qual você não confia nas pessoas, a razão de você colocar essa enorme placa piscando que diz: ‗Não chegue perto de mim ou eu vou chutar as suas bolas.‘ É a razão pela qual você não quer se dar uma chance. Eu quero saber o por que.
— Não. — Ele poderia gritar e me beijar e fazer o que quisesse, mas eu não estava discutindo isso com ele. A única coisa pior sobre ele saber e depois fugir seria ele aceitar. E então? Eu não teria mais nada. Nenhuma outra razão para dizer não.
— Vê? Isto é o que eu tenho que aturar. Ela se contenta em tentar erradicar o meu segredo, mas se alguém tenta chegar perto dela, ela tem mais paredes do que uma prisão de segurança máxima.
— Demi, por que você não responde?
— Não é da sua conta.
— Você é o meu negócio. Eu fiz você o meu negócio. Eu quero que você seja meu negócio.
— Eu não. Isto é tudo. Ele me quer, mas eu não quero estar com ele e ele não quer aceitar isso. Isso é tudo.
— Isso é verdade, Joe?
— Por favor, isso é um monte de merda.
— Olha a boca.
— Eu vou falar do jeito que eu quiser, obrigado. Isso é besteira, porque ela continua me beijando, flertando e dançando comigo. Ou você tem um prazer doentio em brincar comigo, ou você gosta de mim, mas você está com medo. Eu fico com a segunda opção. — Sem dúvida ele tinha batido a cabeça, mas eu não ia dizer isso a ele.
— Eu gosto de brincar com você. — eu disse.
— Prove.
— Morda-me.
— Ok, vamos ser mais específicos. Há alguma coisa que Joe faz especificamente que podemos falar e tentar resolver? — Ele claramente não tinha escutado, ou ele estava lendo um script. Provavelmente, o segundo.
— Ele pode parar de tentar me ver nua. Isso seria um começo.
— Joe, você tem uma resposta?
— Se ela fizesse sexo comigo o problema seria resolvido. Além disso, ela iria me deixar. Então seria dois pássaros mortos com uma pedra só, mocinha.
— Foda-se.
— Por favor, vamos manter uma conversa civilizada. — Chris estava tentando manter o controle, mas ele nunca tinha tido isso em primeiro lugar. — Vamos tentar um jogo de comunicação. — Não um jogo.

Eu não sabia onde ele tinha conseguido estas coisas, mas o que ele nos fez jogar em cada uma das nossas sessões eram sempre chatos.
Este envolveu um de nós vendar os olhos enquanto o outro levava de um lado ao outro da sala. Era para se adquirir confiança, mas só fez com que eu desejasse mover Joe para esbarrar nas coisas. Era oferecida para Joe uma chance de me fazer parecer uma idiota, andando em círculo, com ele me obrigando a fazer uma dança ridícula para frente e para trás.

— Você é um idiota. — eu disse, enquanto caminhávamos de volta para casa.
— Nada que eu já não soubesse Miss.
— Eu te odeio.
— Boa tentativa.
— Eu te amo? — Vale a pena tentar.
— Ainda não. Mas você vai. — Eu fui para o nosso quarto e fechei a porta na cara dele.


--------------------------------------------------

Eai ??? tudo bem ............. gente, nos próximos capítulos só tem bombas UAHSUASH vocês vão pirar total.
Vou viajar o fim de semana,  mas já deixei os capítulos programados.. então ta tudo certo >.< 
bjsssssss

COMENTEM!!!!


12 comentários:

  1. Amei o Capitulo!!
    Poste logo!!!

    ResponderExcluir
  2. PERFEITOOOOOOOOO!!!!!! ADORO ESSAS TROCAS DE FARPAS KKKKKKKK. CONTINUA PLEASE.

    ResponderExcluir
  3. Maratona?? Diz que sim, por favor!!!
    Ta muito boom, amando cada vez mais...
    Acho q ja li quase 3 vzs cada capitulo.. e q fico relendo enquanto vc nao posta mais...

    ResponderExcluir
  4. Que perfeitoooo ♥♥
    Pelo menos a demi disse eu te amo kk
    Posta logo bebê
    beijos

    ResponderExcluir
  5. to rosa chiclete,amei esse capitulo, a 3ª guerra mundial no quarto de demi e joe.

    ResponderExcluir
  6. perfeitoooooooooo
    posta mais please, esse foi incrivel

    ResponderExcluir
  7. Juhhh!!! passei um tempinho sem ler minhas fics preferidas, mas... estou de volta! bom, essa fic está me viciando cada dia mais, ela é maravilhosa!!!! eu estou super ansiosa para saber quando esses dois idiotas irão realmente se declarar um para o outro... estou amando as pegações deles sjhkdjhaskjfdahsf
    Joe muito fofo dando o anel a Demi <3
    Posta mais, por favor!!!
    Beijooos <3

    ResponderExcluir
  8. Aaaaaaaawn! Fic <3 Cara, eu vou dar uma senhora porrada nesses dois, que coisa complicada, não é possível que eles não vão se pegar, eu estou mega curiosa para saber o que vai rolar nos próximos capítulos, já que você disse que terá mais revelações. Espero que a Demi diga logo o que aconteceu, eu já pensei em várias alternativas, mas todas parecem tão validas, e o mistério do Joe com o tal cara lá que esqueci o nome? Ai tem coisa, tem sim! Que eles se peguem no próximo capítulo, amém!! Poste logo, beijos!

    ResponderExcluir
  9. Por favor,faz,uma maratona! Eu amo sua fanfic.- Giovannyely Vetros da Silva. #Leitoranova

    ResponderExcluir

Sem comentários ........... sem capítulos!