29/07/2014

Meu Erro Favorito - Capitulo 23 (Maratona 1/6)





— Você está certa. Eu vou tentar. Por você, eu vou tentar.
Eu balancei a cabeça e limpei os pincéis sobre uma toalha de papel e joguei no escorredor da pia para secar. O balcão estava coberto de pratos do café da manhã.
— É a minha vez. — disse Joe, apontando para o quadro de tarefas sobre a geladeira. Era a minha vez de limpar os pratos no dia seguinte.
— Muitas mãos fazem o trabalho mais suave. — eu disse, entregando-lhe uma esponja. — Se você prometer não fazer nenhuma babaquice para mim pelo resto do dia, eu vou ajudar você a limpar os pratos. Se fizer isso, você tem que fazer amanhã. Fechado?
— De verdade? Deus, Missy, você conduz uma negociação difícil aqui.
— Tudo o que eu estou pedindo para você fazer é não ser um asno por... — Eu olhei para o relógio. — Menos de oito horas. Você pode fazê-lo. Eu acredito em você.
Ele olhou para os pratos, incluindo vários que estavam com crosta de aveia.
— Fechado.

Nos aproximamos deles e começamos. A pia era pequena, e o balcão fazia um L, de modo que fomos esmagados.
Joe começou a cantarolar uma música quando eu lhe entreguei um copo.

— O que você está cantando?
— Bem, para me distrair de ser um idiota, eu estou escrevendo outra música. É chamada de Doin 'Dirty... Dishes‘.
— Inteligente.

"Ele começou a bater um ritmo com o pé e eu acompanhei.
Água e sabão e uma menina bonita,
Nós ligamos a água e vemos um redemoinho,
Nós estamos... limpando os pratos, estamos... limpando os pratos,
Oooh, oooh, ooohhh ,

Esfrega, esfrega , esfrega , yeah,
Esfrega, esfrega , esfrega , yeah,
Esfregar , esfregar, esfregar, esfregar , esfregar, esfregarrrrrrrr"

Ele terminou a música com um pouco de florescer e um arco. Bati minhas palmas molhadas, chapiscando nós dois com água e sabão. Ele era um imbecil às vezes. A canção era terrível.

— Vê o que você pode fazer quando você não está sendo um idiota?
— Eu tinha letras mais sugestivas, mas eu decidi não usá-las. Você sabe, porque eu não estou sendo um idiota.
— Certo.
— Mas eu vou salvá-las e cantá-las para você em algum ponto mais tarde, quando eu estiver autorizado a ser um idiota novamente.
— Okay.
Essa música idiota ficou presa na minha cabeça, e Joe cantou novamente, me proporcionando efeitos de som com panelas e uma colher de madeira.

— O que você está fazendo aqui fora? — disse Miley , saindo de seu quarto, com seu olhar de estudos: expressão aturdida, o cabelo em um clipe e seu velho moletom ruído de UMaine.
— Joe decidiu que ele não vai ser um idiota hoje, isso não é legal? — eu disse.
— Isso é possível? Sem ofensas, cara.
— Não é necessário. Estou plenamente consciente da minha idiotice.
— Oooh, eu gosto disso. Idiotice. Eu vou usar isso agora. — disse Miley, indo até a geladeira para pegar uma bebida energética.
— Tarde da noite?
— Eu tenho um teste de doenças auto-imunes. Quer ver uma foto de dermatite herpetiforme?
Ela estava sempre tentando me mostrar fotos de doenças graves.

— Yeah, eu acho que vou passar. Eu não sei como você pode comer e fazer essas coisas. — eu disse.
Miley deu de ombros.
Selena chegou em casa um minuto depois, rebocando Nick pela mão.
— Oh, olhe, é a dupla temível. — Miley ficava um pouco amarga, sempre que ela via casais felizes.

Eu queria que ela tivesse acabado ligando para Liam, perdoando e tendo algum tipo de sexo incrível, e acabado logo com isso. Eu preferia ter Liam ao redor e ter Miley feliz do que não tê-lo ao redor e ter que lidar com a Miley rabugenta.

— Você está lavando os pratos? — Nick disse, boquiaberto para Joe.
— Sim, eu estou.
Nick olhou para mim como se fosse minha culpa.
— Ei, seu nome está no quadro de tarefas. — eu disse.
— Vocês tem um quadro de tarefas? — Nick disse.
— Foi idéia da Selena. — eu apontei.
— Para que ninguém fique preso em fazer tudo, e nós estamos nos responsabilizando. — Selena disse.
— Ei, tudo que possa pegar esse cara e fazer ele lavar os pratos é bom para mim. Bom trabalho, Selly — disse ele, dando-lhe um beijo na bochecha.
Ela sorriu com satisfação.
— O que há com vocês, pessoas e apelidos? Vocês tem um para mim? — Miley disse.

Às vezes a gente a chamava de Mille, porque tinha ouvido sua mãe chamá-la assim uma vez quando ela nos visitou, e Liam era o único autorizado a utilizá-lo sem receber um olhar de Miley.
— O que você acha de Smile? Como um raio de sol? — Disse Hunter. Suavemente. — Ou Mimi? Isso é bonito, também.
Ela pensou por um segundo.
— Eu vou considerar.
— Então, eu estou levando Selena para casa comigo neste fim de semana para conhecer minha mãe e o meu pai, então nós vamos juntos.
Selena olhou para ele com um sorriso vertiginoso-nervoso.
Uau, encontrar a família era uma coisa grande.

— Uau, conhecendo os Masons. Grande passo, Nick. — disse Joe.
— Eu sei. — disse Nick, piscando para Selena. — Ela vai fazer tudo certo.

Eu estava extremamente curiosa sobre a família de Joe, especialmente já que ele não tinha crescido com seus pais. Ele disse que eles estavam mortos, mas quando tinham morrido? Quantos anos ele tinha? Será que ele sentia falta deles? As perguntas estavam correndo pela minha mente desde que ele me contou que eles estavam mortos.
De qualquer maneira, ele não queria falar sobre isso. Eu poderia respeitar isso, vendo como eu também tinha muitas coisas que eu não queria falar.

— Tem algum conselho para mim, Joe? — Selena disse.
— Basta falar com John sobre as ações de tecnologia, de palavras cruzadas do The New York Times, imóveis ou II Guerra Mundial e você ficará bem.
— Uhh. — Selena disse, o pânico claro em seus olhos.
— Eu estou brincando. Embora, você possa falar com ele sobre o mercado imobiliário. Ele adora comédias britânicas, os Pats, culinária asiática, e carros clássicos.
— Oh, graças a Deus. Cozinha e carros. Entendi. Embora, eu mesma poderia ter me ajudado com minhas próprias ações.
— Você vai ficar bem. Não se preocupe muito. — disse Nick, lançando o seu cabelo.
Os olhos de Joe se jogaram em cima de mim antes dele abaixar a sua voz.
— Você disse a ela sobre Harper? — Como eu não podia ouvi-lo.
Ele estava de pé à dois metros de distância.
— É claro.
Selena, Nick e Joe todos olharam para mim. Parecia que eu era a única de fora.
— Quem é Harper? — Eu disse, fazendo a pergunta óbvia.
— Minha irmã. Ela tem paralisia cerebral de uma queda que teve quando era um bebê. Não é uma grande coisa, mas a nossa casa está cheia de rampas e equipamentos e materiais, por isso é melhor preparar as pessoas antes do tempo. — disse Nick.
— Quantos anos ela tem?
— Sete. — disse Nick.
Eu podia sentir Joe observando meu rosto, como se ele estivesse antecipando a minha reação. Como é que ele achava que eu iria reagir?
— Então, de qualquer maneira, é onde vamos estar neste fim de semana. Vejo você amanhã? — Nick disse.
— Ok. — Selena disse, dando-lhe um beijo.
Eu podia ouvir Miley revirando os olhos.
— Tchau, Selly.
— Boa noite, Jerry.
Nick  acenou para o resto de nós e saiu.
Selena suspirou e inclinou-se sobre o balcão.
— Jerry? Uau, eu acho que você é a primeira garota que ele deixou usar o segundo nome. Você deve estar fazendo algo certo. — disse ele com uma piscadela.
— Joe. — eu disse em um tom de aviso.
— O quê? Isso não era ser idiota. Era ser brincalhão.
Eu apontei para ele e estreitei os olhos.
— Você está em gelo fino, senhor.
— O que você está falando? — Selena disse.
— Joe deve não ser um idiota pelo resto do dia.
Ela ficou boquiaberta com Joe.
— De verdade? Isso é possível?
— Sou eu que preciso de uma ducha? — ele perguntou a todas nós.
— Sim. — dissemos em uníssono.


****


— Então, eu posso ser um idiota agora? — disse ele, às 22:30.
— Não. Você tem que terminar a noite. Quando você acordar amanhã de manhã, você pode voltar a ser idiota. Até então, você tem que ser bonzinho.

Ele havia sido surpreendentemente agradável, deixando-me ir primeiro para o chuveiro, e ele colocou nossas pinturas na parte de trás da porta. Ele até me fez uma xícara de chá e trouxe-a para mim. Era como se ele estivesse me amanteigando, mas eu não conseguia descobrir o porquê.

— Ser bonzinho é chato.
— Ser bonzinho é legal. — eu disse, não olhando para cima do meu e-reader.
Joe estava ocupado com seu violão, arrancando apenas seqüências aleatórias.
— Isso não faz nenhum sentido.
— Então, sobre o que é o seu encontro com Mark? — Eu tentei de novo.
Eu estava tentando espremê-lo, na esperança de pegá-lo desprevenido.
— Boa tentativa, Missy. Só porque eu tenho que ser bonzinho, não significa que eu vou ser um capacho.
— Não é ser um capacho. É estar dizendo a verdade.
— Às vezes as pessoas não querem a verdade. Às vezes a verdade é pior do que uma mentira. — Ele colocou seu violão de lado e subiu em suas cobertas. A qualquer momento os pugilistas iriam sair.


Eu tive que concordar com ele sobre isso. Nós estávamos fazendo essa dança ao redor de nossos segredos, nos aproximando e depois nos afastando. Eu não sabia qual de nós ia escorregar primeiro.



 -------------------------------------------------


Começando a Maratona ............ >.<

Vou deixar os Capítulos programados para não ter qualquer problema, mas vocês tem que comentar, se não não vai dar certo :)

P.S .... Senhorita Mari ;) , como assim você para naquela parte a sua mini fic? eu quase surtei! #ansiosa #PosteLogo, hi hi hi!

GO GO GO! 
COMENTEM!


3 comentários:

  1. Adorei o Capitulo. Poste logo!!

    ResponderExcluir
  2. Ei! Esta fic está me deixando bastante curiosa, pelo visto a Demi e o Joe têm muuuuuuitos problemas, certo? Eles querem se pegar, ok ? Mas porque n se pegam ? Aagr
    Posta logo!

    ResponderExcluir

Sem comentários ........... sem capítulos!