28/07/2014

Meu Erro Favorito - Capitulo 22






Eu vi Joe quando eu acordei.
Eu vi Joe enquanto eu comia uma tigela de cereais.
Eu o vi em sexualidade humana, onde ele parecia estar tentando quebrar um recorde para a maioria das insinuações em uma hora.
Eu o vi no trabalho, onde ele assaltou o meu e-mail.
Eu o vi em todas as noites no jantar.
Eu o vi ir e vir para o banheiro.
Eu o vi em nossas mediações estúpidas, que eram tão inúteis como meias com sandálias.

Eu. o. vi. EM TODOS OS LUGARES.

Eu nunca passei muito tempo com alguém que eu não estava relacionada, nunca. Eu escapei para Megan a cada chance que eu tinha, mesmo com os meninos fedorentos que estavam sempre lá. Nós estávamos muito cansadas para sair, mas às vezes nós íamos para caminhadas ao redor do campus, ou perto de seu apartamento.

— Meu sofá está aberto a qualquer hora. — disse ela quando eu lhe disse sobre a mais nova aposta. — Tenho certeza que se você dissesse à administração sobre isso, eles fariam alguma coisa.

— Estive lá, já fiz isso. — Eu tinha tentado novamente com a habitação, mas eles apenas me disseram para continuar com as mediações. Eles ainda estavam lidando com todos os calouros jogando seus companheiros musicais, talvez só no final de outubro eu seria capaz de fazer alguma coisa.
— Você tem certeza que quer que ele vá embora?
— Sim. Quanto mais tempo eu passo com ele , mais eu quero que ele vá embora. Eu só... Eu não posso. — Eu chutei uma pinha e alguns passos depois, esmaguei com o pé com um ruído satisfatório.
— Eu sei, eu sei.

Demos mais alguns passos. Megan fez uma pausa. Eu sabia que ela queria dizer outra coisa, mas ela estava fazendo aquela coisa esperando, que ela fazia quando ela queria fingir que ela tinha mudado para outro tópico.
— Eu sei que você já passou por muita coisa, e ninguém iria culpar você por desistir dos homens, mas você já pensou que você não pode deixar um cara arruinar todos os outros caras?
— Claro, eu pensei sobre isso. Eu não sei, Meg. Eu penso sobre isso e então eu me lembro daquela noite, e tudo volta para mim. Eu não consigo ver alguém como ele sem que me lembre daquela noite. — Não estava frio, mas eu passei meus braços em volta de mim e puxei as mangas sobre as minhas mãos.

— A terapia não ajudou? — Ela sabia a resposta, mas ela tinha que fazer a coisa do amigo e perguntar de qualquer maneira.
— Eu tive uma série de terapeutas interessantes que realmente não souberam o que fazer comigo. Eles tentaram, mas eu acho que eu não podia ser ajudada. Você não ouviu? Eu sou uma causa perdida.
— Ninguém é uma causa perdida, nem mesmo você.
— Eu não sei, Meg, estou muito fodida.
— Você já conheceu o meu namorado? Ele acha que correr no meio da noite fingindo que ele é um elfo é um bom passatempo. Se isso não é estar fodido, eu não sei o que é.
— Você o ama, no entanto.
Ela suspirou, um pequeno sorriso em seu rosto.
— Sim, eu o amo. Eu só não amo seus amigos fedorentos. Você não tem idéia de quanto eu gasto em spray no quarto e purificadores de ar. Eu deveria comprar estoques dessas coisas.
— Agora eu sei o que dar para o Natal.
— Por favor, o mais forte que você puder encontrar. Eu não me importo se a minha casa cheira como uma abóbora jogada em cima dele.
— Vômito de abóbora. Entendi. Não tenho certeza se isso é um cheiro de vela oficial ianque, mas vou verificar.

Nós rimos e mudamos para falar de outras coisas. Megan nunca se fixava em coisas que eu não queria falar, o que era uma das razões pelas quais eu gostava tanto dela. Ela não era agressiva ou jogava na-sua-cara. Ela era doce e leal e ela faria qualquer coisa por seus amigos. Até mesmo os amigos do namorado que gostavam de tirar vantagem. Um destes dias, eles estavam deixando-a de fora. Eu tinha visto a repreensão de Megan, e não era bonita.
Na verdade, um dos meus terapeutas tinha encontrado uma maneira de eu lidar com alguns dos meus problemas. Tudo que eu precisava era de algumas aquarelas de pintura, tacos e papel. Eu decidi tratar-me e fui até a seção de arte da livraria da escola e me concentrei no negócio real.
Naquela noite eu tinha o lugar para mim. Selena foi a um encontro com Nick, e Miley estava na biblioteca novamente. Eu não sabia onde Joe estava até que ele caminhou até mim soprando meu cabelo com um canudo.
— Então é isso o que você faz quando eu não estou por perto.

Eu estraguei o resto das gotas de tinta na borda do papel. Eu estava trabalhando em um pedaço de azul calmamente, misturando algum verde, então parecia que era o oceano. Algumas pessoas realmente tentaram fazer uma foto, mas eu só gostei de mexer com as cores para ver o que eu poderia fazer e, em seguida, tentar encontrar imagens na bagunça. Como nuvens.

— É chamado de pintura a sopro — eu disse, puxando o talo para fora da minha boca. Na menção do nome sopro suas sobrancelhas migraram mais para cima na testa.
— É mesmo? — Ele deixou cair sua bolsa e veio examinar meu trabalho. Ele virou a cabeça de lado a lado, como se estivesse tentando descobrir o que era.
— Não era para ser nada. — eu disse.
— Oh.
— Eu só faço isso, às vezes. — De repente, eu queria esconder a minha imagem.
Não era como se fosse nada de especial. Picasso eu não era, mas era uma coisa pessoal que eu fiz e eu não compartilho isso com um monte de gente .
Joe olhou para ele de novo, depois de esfregar a sua tatuagem. Um, dois, três. Algum dia ele pararia de esfregá-la.
— Tem outro talo? — Entreguei-lhe um, e ele parou sobre a pintura. — Você não se importa, não é?
— Não, vá em frente. — Pelo menos ele tinha pedido.

Ele mergulhou o talo na pintura azul escuro, certificando-se de que ele tinha uma quantidade razoável antes de soltá-lo na página e inflando as bochechas e soprando a gota de tinta, tanto quanto ele pode. A queda se deu em várias gotas separadas, e separou cada um com uma rajada de ar, fazendo com que a pintura parecesse que estava explodindo. Ele tomou o talo para fora da boca e examinou.

— Eu acho que você precisa de um pouco mais de azul escuro aqui. — disse ele, apontando para um canto que eu não tinha chegado ainda. Ele virou a cabeça, e os nossos narizes quase se tocaram. Ele riu um pouco, sua respiração movendo as mechas pequenas de cabelo que haviam escapado do meu rabo de cavalo.
— Vá em frente. — eu disse. Ele parecia chocado por um segundo. — A tinta. Vá em frente. — Meu cérebro parecia ser apenas capaz de disparar algumas palavras de cada vez.

Sua boca se abriu um pouco, e meus olhos zonearam os seus lábios. Eram lábios muito bonitos. Cheios para um cara, mas eles pareciam que eram encharcados com hidratante para os lábios. Pelo que eu sabia, ele mantinha-o no bolso e apenas aplicava quando ele estava sozinho. Parecia algo que ele faria.
Ele lentamente tirou o talo dos lábios. Engraçado, ele não parecia ter um retorno mal-humorado, mas novamente, nem eu.

Ele foi o primeiro a quebrar o contato, e eu senti como se todo o ar do meu pulmão tivsesse sido sugado para fora quando ele o fez. Peguei o meu talo e o pressionei na tinta verde. Eu fiz um canto e ele fez o outro, e de alguma forma nossas tintas se encontraram. Sem hesitar, colocamos nossas cabeças juntas e foi uma loucura na pintura até que não poderia fazê-lo ir mais longe. Nossas cabeças bateram uma na outra, e ambos deixamos cair nossos talos.

— Ow. — eu disse, esfregando o local.
— Desculpe, Missy. Você está bem? — Jesus, era apenas um pequeno solavanco.
— Sim, não é nada demais. — eu disse, olhando para baixo, para a nossa obra-prima.
— Tem certeza? — Ele ergueu as mãos, como se quisesse verificar e certificar-se, mas não queria me tocar por medo de que eu pudesse enlouquecer.
Ele me conhecia muito bem.
— Sim.
— Mais azul?
— Você nunca pode ter azul suficiente. — eu disse, pegando o meu talo novamente.
Até o momento que Miley voltou da biblioteca, nós tinhamos feito uma outra pintura, desta vez em tons de outono.
— Eu acho que é um guardião. Que deveria estar na parte de trás da porta. Eu posso obter uma moldura se você quiser.
— Isso não é ótimo, Joe.
— O que não é ótimo? — Ela chamou depois de voltar da cozinha com uma banana, uma colher e um pote de manteiga de amendoim.
Ugh. Eu odiava bananas com a paixão ardente de mil sóis.
— Nós fizemos uma imagem para você. — eu disse fingindo uma voz de criança. — Aqui sou eu, e aqui está você, e isso é Selena, Nick e Joe.
— É lindo, querida. Acho que vai na geladeira ao lado do A que você tem no seu teste de ortografia. — disse ela, jogando adiante.

Joe estava olhando para mim como se tivesse crescido uma cabeça extra em mim.

— O que? — eu disse.
— Você é tão estranha às vezes.
— Disse o menino que tem uma vingança contra os lobisomens.
— Ei, eles não conseguem se controlar durante a lua cheia. Eles são completamente imprevisíveis.
— Ei, eles parecem muito melhores sem camisa. Além disso, eles ainda têm corações batendo. Ter relações sexuais com um vampiro é como fazer sexo com um cadáver. Eu não estou nessa. — Miley disse, enxugando uma bola de manteiga de amendoim no final da banana. Ela me viu olhando para ela. — Quer um pouco? Oh, bem, eu esqueci.
— Esqueceu o que?
— Demi odeia bananas.
— Ah, é mesmo? — Aqui vamos nós.

O menino que eu tinha feito uma pintura a um segundo antes tinha ido embora e o rapaz que estava sempre tentando entrar em minhas calças estava de volta.
Eu não respondi, mas comecei a pegar o material de pintura. Eu não gosto de fazer isso com um monte de gente ao redor. Era uma coisa pessoal. Joe foi a primeira pessoa com que eu realmente compartilhei, mas ele não sabia disso.

— Sinto muito, mas você caminhou diretamente para isso. — disse ele.
— Você não tem que fazer de tudo uma insinuação, Joe. Nem tudo é sobre sexo.
— Ok, bem, eu vou comer isso em outro lugar. Até logo. — disse Miley, se afastado para o seu quarto.

Ela deve ter percebido que eu estava perto de ter mais um surto. Eu não tive um por pelo menos uma semana. Isso deve ser algum tipo de recorde.
Eu juntei os pincéis e o copo de água e joguei na pia. Eu não queria que ele soubesse que eu estava magoada, mas era tarde demais. Liguei a água e comecei a lavar os pincéis vigorosamente. Eu podia sentir Joe encostado ao balcão. Eu odiava como consciente eu era dele. Se ele estava em um quarto, era como se eu tivesse um radar que saía e rastreava todos os seus movimentos.

— Dami, eu sinto muito. Você já deve saber que eu sou um idiota a maior parte do tempo.
— Você não tem que ser um idiota todas as vezes. — Isso não era verdade.

Ele pode ser doce, engraçado e encantador, e... Ele poderia ser muito mais do que um cara que estava sempre falando sobre conseguir algo.


----------------------------------

Hehehe ... estão desesperados por Jemi né ... kkkk
Tipo, eles são complicados, principalmente a Demi, mas tipo, não ... eles não vão se pegar apenas no último capítulo ... kkkkkkk tem muita treta ainda, mas nos próximos capítulos vocês vão conhecer um pouco mais do Joe ... #chega.. kkkk #Spoiler só no grupo.. então curta/participem do grupo no face !

AVISO: Eu precisei sair hoje, então amanhã eu faço a Maratona, tudo certo?
#Partiu

Bjsss

COMENTEM!!!



6 comentários:

  1. Adorei :D
    Por mais que as provocações sejam super divertidas e envolventes, to com abstinência de beijos haha'
    Quero só ver quando isso acontecer, será meio que épico haha'
    Beijos~

    ResponderExcluir
  2. Amei o Capitulo.
    Uhuu! Amanha maratona.
    Poste logo!! Beijos

    ResponderExcluir
  3. Obaaaaa outra maratona. Gente sua fic viciaa. -D.F

    ResponderExcluir
  4. Posta logo. Quando JEMI vai acontecer?????! Gentee, você escreve muito bem eu li sua fic junto com a Dorothy(D.F.) e eu gostei muito. Posta bem rápido! -Estrela S.

    ResponderExcluir
  5. OOOI TA LINDO VIU ? Vc pode porrr favoor promover meu blog ?? Acabei de começar hahaha, espero que goste :) http://jemimadness.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  6. Vou é dar uns tapas nesses dois e fazerem eles se pegarem! Kkkkkkk
    Amei o capítulo de verdade :)
    Amo maratonas <3
    Continua..
    Fabíola Barboza :*

    ResponderExcluir

Sem comentários ........... sem capítulos!