27/07/2014

Meu Erro Favorito - Capitulo 20 (Maratona 4/5)






— Então ele apareceu no seu trabalho? Kid, isso é estranho. Tem certeza que ele não está perseguindo você? — Dallas disse.

Eu estava no meu quarto, minha lição de casa se espalhou na minha cama. Joe estava fora com Nick pegando pizza, por isso, tomei a minha chance para ligar para Dallas e botar para fora os acontecimentos recentes.
— Ele diz que não está, mas eu não consigo entender como ele continua a se mostrar em toda parte. É estranho. Miley diz que é o universo nos dizendo que devemos ficar juntos.
Dallas bufou.
— Sim, Miley diria isso. Ela não é a mesma garota que tentou aproximá-la desse cara, qual era mesmo o seu nome?
— Robbie .

A Mais. Estranha. Experiência. De. Todas.
Miley tinha me emboscado uma noite no ano passado e me disse para "ficar bonita" para que eu pudesse conhecer alguém. Eu disse: o inferno que não, mas ela não aceitaria um não como resposta.

Então, eu coloquei algum rímel e coloquei uma t-shirt que fez meus peitos parecem decentes . Ela me arrastou para comer pizza com ela, Liam e Robbie. Acabou que Robbie era o único amigo de Paul solteiro, e é claro que eu era única amiga de Miley, portanto éramos perfeitos um para o outro. Não é necessário dizer que, Robbie acabou por ser um mega canalha, e não era segredo do porquê que ele era solteiro.

— É isso. Eu ainda não entendo por que ele pensou que você gostaria de saber sobre a maneira correta de realizar um trabalho de sopro. Quero dizer, não é ciência dos foguetes.
— Ele estava apenas tentando espalhar seu conhecimento para o mundo e iluminar as virgens ignorantes nos caminhos do sexo oral. — Porque nós precisávamos ser educadas, de acordo com Robbie.
Ele tinha passado por todas as garotas que ele já teve em detalhes gráficos enquanto eu morria um pouco por dentro e Miley tentava mudar de assunto.
— Me amordace. — disse ela.
— Literalmente.
— Jogando os trabalhos de lado, você pode dizer que odeia tudo o que você quiser, mas eu tenho certeza que ele não vai acreditar em você, mesmo que você o faça. Porque você definitivamente não odeia. Eu acho que só há uma pessoa que você realmente odeia neste mundo e seu nome não é Joe. — Não, seu nome não era Joe. — Eu não sei se é possível para você odiar mais do que uma pessoa de cada vez.
— Você pode amar mais de uma pessoa ao mesmo tempo? — Eu disse.
— Eu acho que você pode amar várias pessoas, mas de maneiras diferentes.
— Então, por que você não pode odiar mais de uma pessoa, mas de maneiras diferentes?
— Porque não.
Eu suspiro.
— Isso não é uma justificativa.
— Eu sou sua irmã mais velha. É verdade porque eu disse assim, Kid. — Ela tinha usado este pensamento, quando éramos mais jovens, e não tinha funcionado então. Eu não era um tipo de pessoa do Porque-eu-disse-assim.
— Que seja. Eu não vou desistir.
— Eu não esperaria isso de você. Ainda assim, eu não acho que é uma luta que vamos vencer. Você não vai se livrar desse garoto.
— Talvez eu possa fingir que eu o amo. — Esse foi o meu último recurso.
— Kid, fingimento e a realidade não estão muito longe. Basta ter cuidado. — Eu ouvi um barulho na sala de estar, o que significava que os meninos estavam de volta.
— Tenho que ir, ele voltou.

— Cuspir, não engolir! — Dallas gritou quando eu terminei a chamada.
Eu abafei um riso quando Joe colocou a cabeça na porta.
— Está com fome?
— Talvez.
— Ah, vamos lá, Missy. Não fique chateada comigo. Você foi a única que fingiu que ia me seduzir e depois bateu-me com a sua bolsa. A propósito, você carrega tijolos lá? Eu acho que eu tenho um hematoma. Você quer beijá-lo e torná-lo melhor? — Ele começou a levantar sua camisa, revelando alguns centímetros de barriga lisa. Isso era exatamente o que eu precisava.
— Por que você não vai cair de uma escada?
— Não posso. Eu completei o teste de segurança e agora posso usar corretamente uma escada sem incidentes.
— Droga. — Ele cruzou os braços e me deu um olhar satisfeito. Por que seu rosto era tão... perfeito? — Por que você não é um cavalheiro e me busca uma pizza. Estou um pouco ocupada. — eu disse, apontando para as montanhas de notas e livros didáticos.
— Eu disse que era um príncipe, eu nunca disse que era um tipo encantado. — ele disse quando ele saiu pela porta.

Ele voltou um momento depois com dois pedaços de pizza, dois refrigerantes e um rolo de toalhas de papel debaixo do braço.

— Eu pensei que nós poderíamos comemorar nosso primeiro dia de trabalho. Se você não for jogar esta bebida em mim. Isso é considerado agressão no estado do Maine, FYI.
— Como você sabe disso?
— Oh, as vastas histórias de coisas que eu sei poderiam encher muitos volumes, garota Missy. — disse ele , entregando-me um prato e um copo e despejando as toalhas de papel no meu colo. Eu deveria lançar a bebida sobre ele. Agredir Hunter seria bastante satisfatório.
— Eu posso imaginar. — eu disse, revirando os olhos. Ele riu e sentou-se no chão.
— Vamos, piquenique no chão. — Ele bateu num lugar ao lado dele que estava livre de roupas.

Eu não tinha tido a chance de limpar as roupas já faz um tempo, e algumas das minhas roupas não tinham ido para o cesto ainda. Joe não parecia se importar, mesmo ele sendo um louco obsessivo por limpeza, para um cara.

— Você é bipolar? — Eu perguntei. Ele me olhou por um segundo e jogou a cabeça para trás e riu. — Não, sério.
— Disse a garota que tem ido há mais do que um terapeuta.
— Então o que? Não era a minha escolha. — Eu não queria falar sobre mim.

Eu desci da cama e pus um moletom para fora do caminho para que eu pudesse sentar-me longe o suficiente dele.

— Os seus pais fazem você ir? — disse ele, dando uma mordida.

Peguei meu pedaço de pizza e o estudei. Ele tinha posto todos os meus vegetais favoritos sobre a massa, e ele estava comendo um pedaço também.

— Mais ou menos. É complicado. — Eu não queria discutir meu passado sombrio e sinuoso.
— Eu tive que ir também. — disse ele, limpando a boca e embalando a toalha de papel em sua mão.
— Para quê?
— É uma longa história. Complicado. — Sua mão foi para sua sétima tatuagem e esfregou-a três vezes antes que ele pegasse a pizza novamente.
— Huh. — eu disse.
— O que?
— Bem, eu nunca pensei que teríamos algo como isso em comum. Acho que nós dois somos um pouco fodidos. — Eu era muito fodida, mas eu não disse isso.
— Uma garota como você? De jeito nenhum.
Eu ri.
— Oh, Joe. Você não tem idéia. — Eu não tinha mostrado-lhe mesmo uma fração da loucura da minha cabeça. Verdade, eu provavelmente não tinha visto uma fração da sua também.
— Bem, nós podemos apenas ser fodidos juntos.
— Não, obrigada. — Eu comi a minha pizza e fugi para longe dele.
Joe estava sempre demasiado perto para meu conforto.
— Você conversou com sua irmã ultimamente?
— Por que você está tão preocupado com a minha vida pessoal?
—Porque eu sou um cavalheiro. E seu companheiro de quarto.
— Me morda.
— Desviando, eu vejo. Você parece fazer muito isso. Aposto que é porque sua irmã gosta de mim. Admita. Eu nunca estive com irmãs antes, mas por você eu faria uma exceção.

Eu procurei por trás de mim pela próxima coisa que eu poderia jogar. Acabou por ser um salto gatinho. Pela primeira vez na minha vida, eu queria que eu usasse saltos agulha. Os realmente afiados.
Ele se abaixou do ataque do meu sapato.

— Sapatos não contam na categoria de agressão, contam? — Eu perguntei .
— Não tenho certeza, eu vou ter que verificar meus livros de direito.
— Você não tem livros de direito.
Ele balançou a cabeça e pegou sua pizza, totalmente indiferente.

— Meu tio tem. Uma sala cheia deles. Eu costumava lê-los quando eu era criança.
— Livros de direito. Você — eu disse, apontando para a cara sorrindo na minha frente, — lendo livros de direito? Será que você foi muito punido quando era uma criança?
— Por que, você quer me punir, Missy? — Seus olhos brilhavam, e ele sorriu maliciosamente.

Eu fechei os olhos e balancei a cabeça para me livrar da imagem mental de fazer exatamente isso. Não seria tão divertido para ele como seria para mim, na minha versão.

— Não, eu só gostava de lê-los. Eu não sei. Há algo reconfortante sobre a lei. A maior parte dela está escrita, e há regras a seguir. É igual para todos.
— Sim, a lei é ótima. — Nós estávamos virando para um território desconfortável, mas eu não queria que Joe soubesse disso. — Sempre funciona.
— Como você sabe? — Seu tom de brincadeira se foi, e seu rosto estava sério de novo.
Merda.
— Eu vejo um monte de seriados de crime. — eu disse, revirando os olhos e empurrando a minha pizza na minha boca para que eu não tivesse que falar .
— Uh huh. — Joe disse, mas deixou cair o assunto.

Nós dois olhamos para cima quando houve uma batida na porta. Nick lentamente enfiou a cabeça dentro, como se estivesse esperando surpreender-nos em uma posição comprometedora.

— Ei, pessoal. — disse ele, entrando em nosso piquenique no chão. Ele parecia aliviado que nenhum de nós estava nu. — Eu só queria saber se você estaria vindo para casa neste fim de semana?
— Sim, eu tenho que encontrar com o Mark, então eu vou estar para o jantar.
Os olhos de Nick foram de mim para Joe e voltaram.
— Legal, eu vou contar para o papai. Até mais tarde, cara.
Joe assentiu um boa noite, e Nick fechou a porta suavemente.
— Quem é Mark?
Ele levantou-se e jogou o prato de pizza e bebeu um pouco de sua soda.

— Amigo da família.
— Você tem que "encontrar" com ele? Não soa amigável. — Bem Oláááá, segredo que Joe não queria que eu soubesse. Prazer em conhecê-lo.
Ele esvaziou o resto da lata.
— Eu vou para o chuveiro. Quer se juntar a mim? — O sorriso sedutor estava de volta, mas ele não chegou a seus olhos. Te peguei .
— Hmm, isso soa muito como desviando, Joe. — Ele atirou a toalha ao ombro, quando eu passei por ele. Eu inclinei meu rosto e sorri.

— Agora, quem tem um segredo?
— Você sabe, para uma garota que diz me odiar, você está fazendo um bom trabalho em tentar entrar em minha calça. Nós poderíamos consertar isso, aqui e agora.
— E sobre a aposta?
— Missy, se você dormir comigo, eu diria dane-se a aposta. Tudo o que você quiser, eu faria.
— Então, se eu dormir com você e lhe dissesse para dar o fora, você faria isso?
— Palavra de escoteiro. — disse ele, colando os dedos acima.
— Mentira. — Eu estava chamando o seu blefe.

Além disso, eu não estava dormindo com ele. Ainda assim, se eu tivesse mais uma chance de me livrar dele, eu iria tomá-la. Talvez mais oportunidades viriam a meu caminho.
Ele colocou a mão no meu rosto.

— Não consegue aguentar?
— Fechado. — eu disse.
— Por que, Missy, se você quer se livrar de mim , você escolheu a maneira mais divertida de fazer isso.
— Oh, Joe, eu não vou dormir com você. Vai sonhando. — eu disse, escovando minha mão na frente de seu jeans, apenas perto de uma área muito importante.

Ele fez um pouco de barulho gemendo e lançou-se para longe de mim, batendo a porta.
Quem estava no banco do motorista agora?


-------------------------------------------- 

E ai ........... quem é Mark? haha'  
Estão gostando da Maratona??? >.<
Falta só mais 1 ........... então esporo que estejam gostando u.u

Até o próximo >.<


5 comentários:

  1. eu estou amando essa maratona!!!! mds a cada capitulo eu penso que eles já vão se pegar, mas infelizmente não acontece :( quando eles finalmente vai pelo menos se beijar??? estou muito ansiosa <3
    posta mais!!

    ResponderExcluir
  2. Oie Juh!
    Cara que cap perfeito!
    Super amei!!! <3
    Posta logo
    Beijos com glitter!

    By - Milena...:-D ;-)

    ResponderExcluir
  3. Ahhh. Quero outra maratona. Posta o próximo logo. Please -D.F

    ResponderExcluir
  4. Amando essa maratona! Pelo amor de Deus, faça eles se pegarem pelo menos UMA VEZ! Eu vou morrer se não ver isso kkkkkk
    Continua ..
    Fabíola Barboza :*

    ResponderExcluir
  5. Haha eu sei quem é Mark u.u ahshs nao se preocupa que eu vou ficar quieta! To amando essa historia em forma de Jemi 😍😍♥♥

    ResponderExcluir

Sem comentários ........... sem capítulos!