20/07/2014

Meu Erro Favorito - Capitulo 14






— Sem palavras, Missy? — Ele disse, um dos lados da sua boca subindo.
Esse sorriso me trouxe de volta para a realidade.
Eu olhei para ele e me puxei para fora de suas mãos. Ele riu.
— Você vai ter que trabalhar realmente duro para provar que você me odeia. A outra coisa, talvez não seja tão difícil.
— Você está muito convencido de si mesmo. — Eu disse, cruzando meus braços.
— E você não tem idéia do quão sexy você parece agora, tão brava comigo.
Meu queixo caiu.
Eu não tinha mais nada para dizer, então eu puxei meu joelho para trás como se eu fosse atingir ele nas bolas, mas parei perto de atingi-las. É incrível o ver encolher-se.
— Toma cuidado aí. — ele disse.
Eu só sorri para ele.
— Não esqueça que você tem algo que você valoriza muito e eu posso danificar isso. Apenas lembre-se disto.
— Como eu iria esquecer?
— Você não tem algum lugar para ir? Alguma outra garota para fazer de objeto? — Eu perguntei.
— Por que eu iria a qualquer outro lugar quando eu tenho tudo que eu preciso bem aqui?

Eu ia retrucar, mas eu não consegui pensar em nada. Fiquei surpresa que um cara de vinte anos e bonito não tinha nenhum plano para sexta-feira à noite.
Mas hey, o que eu realmente sei?


****


Joe me tratou com a mesma maneira confiante que ele usou nos primeiros dois dias que nos conhecemos, o que é uma grande mudança comparada à indiferença fria.
Ele fazia comentários que teriam me feito corar há alguns anos atrás, Miley voltou do encontro e ficava me mandando olhares quando ele fazia isso.
O olhar "Eu te disse".

Eu não iria dormir com o Joe. Eu não iria dormir com ninguém, pelo menos não agora. Eu não conseguia nem mesmo pensar em fazer sexo sem que minhas mãos tremessem e meu estômago revirasse. Eu não tinha problemas com adultos consentindo em fazer isso, mas eu sabia que sexo era bagunçado, era complicado e algumas pessoas usavam isso como uma arma. Eu nunca deixaria isso acontecer comigo. Mas se eu fizesse, seria por que eu queria e eu ainda não conheci ninguém que me fez querer. Ainda.

Ele ficou acordado até tarde na noite de sexta tocando o violão, eu estava exausta por conta do meu encontro fracassado, então eu fui para a cama. Ele me perguntou se eu me importava se ele ficasse e tocasse.
— Fique à vontade.
— Como você deseja. — Ele disse e tocou uma melodia de um comercial. Haha. Eu rolei meus olhos e puxei as cobertas para cobrir minha cabeça, como se eu pudesse bloqueá-lo.
— Você sabe que você gosta disto.
Sim, eu gosto. Mais do que eu jamais iria admitir.
Eu acabei caindo no sono ao som das cordas do violão.
Quando eu acordei, ele estava murmurando novamente. Teria sido absolutamente adorável se ele não estivesse tão chateado. Eu considerei acordar ele novamente, mas eu não queria perder meu rosto. Então eu o deixei dormindo e ouvi.
— Mamãe, acorda. Por favor acorda. — A voz dele estava assustada.

Eu olhei em volta e encontrei um par de meias que eu tornei em uma bola e arremessei o mais forte que eu podia nele, ela bateu no ombro dele, mas ele não acordou. Eu tentei achar outra coisa, olhei em volta e encontrei um cabide de metal na porta do closet. Eu desdobrei o cabide e usei como uma vareta para cutucar ele. Levou algumas tentativas, mas ele finalmente mexeu a mão para o lugar onde eu estava cutucando.

— Que porra é essa? — A voz dele meio-acordada disse.
Eu rapidamente joguei minha ferramenta de cutucar no chão e fingi que eu estava dormindo. Eu ouvi ele se virar e podia sentir os olhos dele em mim.
— Você acabou de me cutucar?
Eu decidi bancar a idiota.
— Que? — Eu disse, tentando fazer uma voz sonolenta.
— Você acabou de me cutucar com alguma coisa.
— Eu não, eu estava dormindo até uns segundos atrás.
— Não, você não estava. Você me cutucou com aquele pedaço de arame que está no chão. Muito astuto, Missy, mas eu não sou um idiota. — Ele levantou, e eu o ouvi pegando minha ferramenta de cutucar — Eu estava falando de novo, não estava?
— Yeah — eu disse.
— Não precisa me dizer o que eu falei. Eu já sei.
— Como?
— Por que eu dividia meu quarto com meu primo quando éramos menores, e em um dia ele me contou o que eu dizia.
— Você morou com o Nick? — Eu perguntei, me virando.

Essa era a primeira vez que ele falava sobre a família dele. Era absurdamente cedo para levantar em um sábado, mas valia a pena levantar por isso. Essa era a primeira vez que Hunter iniciava uma conversa sobre ele mesmo sem eu ter que ataca-lo por isso.
— O que aconteceu com os seus pais? — Eu falei quietamente. Eu não queria afastá-lo.
Ele voltou para a cama. Eu rolei, então eu estava encarando ele. Ele estava sentado com as costas contra a parede e as pernas por cima da borda.
— Eles estão mortos.
O ar deixou o quarto e eu achava impossível respirar. Eu não conseguia achar algo para falar, nada que eu dissesse significaria algo.
— Yeah, foi isso que eu pensei. — ele disse alguns segundos depois do meu silêncio.
— Eu sinto muito, eu não sabia o que dizer, então eu não queria dizer nada estúpido. Eu estava tentando pensar em alguma coisa que não fosse estúpido. Pelo jeito, eu falhei.
Para minha surpresa, ele riu.
— Você não tem filtros. Essa é uma das coisas que eu gosto sobre você. Não comece a tê-los agora. Diga o que você quiser.
— Eu diria que é uma das coisas mais tristes que eu ouvi, e isso explica muitas coisas.
— Sim, explica. — ele disse, olhando para baixo, para as mãos dele. — Você é uma das únicas pessoas que disse que sente muito e eu realmente acredito. As pessoas dizem coisas que não querem o tempo todo. É fácil detectar essas merdas.

— Sim, realmente é. — Eu era um profissional em detectar merdas. Esse era um dos meus talentos escondidos. — O que aconteceu com eles?
— Um dia eu irei te contar. — Ele disse, esfregando a mão dele no topo da própria cabeça, como se ele estive esfregando um ponto de sorte.
Então eu decidi mudar de tática e tentar outra pergunta que queimava na minha cabeça:
— Ok, então me conte sobre suas tatuagens.
— Eu já te disse que eu não acredito em destino, eu acredito em sorte. Então eu pensei, por que não ter toda a sorte que eu posso comigo?
— Quantas você tem?
Ele virou o braço dele e me mostrou o sete.
— Uma. ― ele disse, então puxou a orelha esquerda então eu conseguia ver a tatuagem atrás dela — Duas.
Ele virou e apontou para a que ficava entre as omoplatas.
— Três. — ele pegou o pé dele e me mostrou outra que eu não tinha visto antes, que era uma estrela. — Quatro .
Ele apontou para a que ficava no peito dele.
— Cinco. Eu quero ter sete quando eu terminar, mas eu só faço uma quando eu tenho um motivo, então eu não fiz nenhuma em alguns meses.

— O que elas são? Eu não consigo ver daqui. — eu disse. Eu não estava planejando que ele viesse mais perto no atual estado descamisado dele, eu juro.
Ele levantou da cama dele devagar e andou até mim. O olhar dele não era confiante, era aberto, como se ele estivesse me mostrando um pedaço dele que ele raramente divide. Eu sabia que era um momento precioso, fácil de quebrar, como um dedo atravessando um bolha de sabão.
— Essa aqui, como você pode ver é um sete. É um número da sorte em muitas culturas. Essa, — ele disse colocando para frente. — é uma ferradura de cavalo. Marinheiros costumavam cravá-las nos mastros dos navios para ajudá-los a ficar longe do caminho de tempestades.

Ele virou as costas dele, e eu pude finalmente ver o que era a que ficava nas costas. Se eu não tivesse feito um projeto sobre mitologia egípcia, eu provavelmente não saberia que era um escaravelho. Os besouros que conseguem mudar sua pele, carapaça, e os egípcios acreditavam que isso era um símbolo do renascimento, e que com isso esses besouros eram imortais.
— Você está misturando todas as mitologias aí, J.
Ele olhou para mim por cima dos ombros dele, rolando os olhos por causa do apelido.
— Eu gosto de diversidade. — ele disse secamente.
Eu levantei da cama e fui olhar mais de perto. Era maravilhosa, as cores quase brilhavam na pele dele. Quem quer que fosse que ele escolheu para fazer isso era realmente um artista. Eu resisti à urgência de ficar mais perto e tocar para ver se era de verdade.
— Então, aí está. — ele disse virando — E tem também a pequena estrela que eu tenho no meu pé. Então, você tem a história das minhas tatuagens. Agora me mostre as suas.
A boca dele levantou em um lado e o senhor babaca estava de volta, que surpresa.
— Desculpa cara, nenhuma para mostrar. — eu disse, pulando de volta na cama.
— Eu não estava falando sobre suas tatuagens, Missy. — Ele se inclinou para frente e colocou a mãos dele ao lado de cada perna minha, quase nelas, mas não exatamente tocando minha pele.
Mesmo que ele não tivesse me tocando, minha pele formigava como se ele estivesse.
— O que, Joe, você está pedindo para ver minhas partes de dama?
— Dizer que eu estou pedindo é pouco. — ele disse, e havia um pequeno ronronar na voz dele.
A vontade de ir para frente e fazer meu corpo se encontrar com o dele era tão forte que eu tinha que me segurar no lençol para me impedir de fazer isso.
— Você só está me provocando. ― eu disse, eu estava ofegante, como se tivesse corrido até o topo de uma escada. — Você disse que você não transa com garotas que você gosta.
— Oh, Missy, se você soubesse. — ele disse.

Ele se moveu para frente até o rosto dele ficar bem em frente ao meu, depois ele foi para trás e saiu andando pela porta.

Maldito. Maldito, ele e os olhos azuis dele, e as tatuagens interessantes e atitude de ‗tenho o que eu quero‘. E o fato de que ele tem um passado trágico só adiciona mais ao mistério que é Joe Jonas.


------------------------------------

AEEE ... Bom, vocês comentaram >.< kkkkkkkk
Então... outro post pra vocês <3
Não teve beijo yasgyasgyas pegadinha ... 

Bom... eu não demorei tando kkkkkkkkkk 5 dias apenas... gente, tenho andado com tanta preguiça, ai né .... mas hoje postei 2 .... amanhã tem outro ^^ já está prontinho pra vocês.


Bjs lindas 

COMENTEM !!!


6 comentários:

  1. Eu não vejo a hora deles começarem a se pegar
    Posta logo
    Essa fic é perfeita

    ResponderExcluir
  2. Aaahhh. Posta logo posta agora, não,me mate de curiosidade. -Selenator girl

    ResponderExcluir
  3. Você tem noção de que sua criatividade e seu dom para escrever são ótimos?! Parabéns. Essa história está muito legal. Sou uma leitora nova e acho que amanhã você deveria postar mais dois capítulos para compensar os 5 dias. Posta rápido. -F.S

    ResponderExcluir
  4. Essas suas pegadinhas estão matando todas as leitoras de curiosidade. Ashuashuashuashuashuahu Por Favor posta rápido o próximo capítulo e o capítulo precisa ser extra grande para compensar os outros dias igual a guria falou. Me indica mais algumas historias legais de Jemi . Please... Posta rápido. Xx , Tatah

    ResponderExcluir
  5. obrigado linda por ter postado....entendo sua preguiça,não sei onde você mora,mas onde eu moro ta frio e é muito bom fica deitado e a preguiça reinando.O capitulo perfeito como sempre,eu como sempre morrendo de curiosidade para saber o que esses dois vão fazer,quero beijo logoooo,beijos.

    ResponderExcluir
  6. bebê *-*
    simplesmente adorei u.u
    só faltou um beijo kkk
    posta logoo
    beijos

    ResponderExcluir

Sem comentários ........... sem capítulos!