05/03/2014

Sociedade Secreta - Capítulo 9 (Parte 2)






FORMAS NAS QUAIS DEMI LOVATO E MALCOLM CABOT DIFEREM DA "IMPRENSA"



Considerando o anteriormente citado, você talvez possa adivinhar minha reação.

— Não sou mesmo! — gritei, atraindo a atenção de mais do que alguns espectadores interessados. — Malcolm, alguma vez você leu a Revista Literária de Eli?
Ele fez uma careta, como se aquela simples sugestão fosse a execração de tudo o que considerava aceitável como material de leitura. (Nota para mim mesma: incluir mais coisas interessantes na próxima edição.)
— Por favor, Demi.
Reagrupando, ele me puxou consigo.
— Olhe, você tem um veículo de mídia à sua disposição. É só o que me importa neste momento.

Bem, pensei enquanto ele me jogava cara a cara com um escudo humano de cabelo prateado, pelo menos isso se encaixa no tema "Ambição".
— Sr. Cabot — disse um dos patriarcas. — É uma jogada bastante ousada, devo dizer. O que seus colegas irão pensar?
Meu irmãozão da sociedade não perdeu um segundo.
— Malcolm Cabot, Eli Daily News. Posso perguntar o que os traz à High Street hoje, senhor? Parece que estão guardando a entrada do mausoléu da Rosa & Túmulo. Isso é verdade? — E então, inclinando-se para a frente, ele falou baixo: — Acho que seria melhor se esse assunto fosse tratado a portas fechadas.
 — Me desculpe — o patriarca replicou. —Mas realmente não posso falar sobre isso.
— Estão fazendo todos nós de palhaços — Malcolm continuou baixinho. — Ninguém quer que a sociedade seja motivo de riso.
— Me desculpe — o patriarca respondeu. — Mas real-mente não tenho permissão para falar sobre isso. — Qual é — disse Malcolm. — Vocês têm que abrir um diálogo aqui. Pare de me tratar como uma espécie de bár...— Ele congelou, então endireitou-se, seus olhos esbugalhados conforme as regras do jogo ficaram claras. — Bárbaro. Seu filho-da-puta.
 — Vocês nos desafiaram. Sofram as conseqüências.
— Nem pensar.
O patriarca continuou.
— E não é só isso, pretendemos ir até o fim. Boa sorte com sua carreira, Sr. Cabot.
Uma corda gelada de medo pareceu apertar meus pulmões ao ouvir o tom ah-tão-casual do homem e senti meu sangue ferver em represália.
Agora era a minha vez de me mostrar indignada.

— Ei! Não acham que isso é levar as coisas um pouco longe demais? — percebi o olhar de aviso do Malcolm. — Hmm, Demi Lovato, Revista Literária de Eli.
 Formalidades à parte, continuei numa voz mais baixa:
— Uma coisa é uma organização estudantil idiota, mas vocês não têm o direito de interferir no futuro dele... — Amy Haskel — disse o patriarca. — Editora da revista literária.
Joguei uma mecha de cabelo para trás do ombro como se não tivesse nenhuma preocupação no mundo.
— Foi o que eu disse.
— Universidade Prescott.
E ele também podia ler minha camiseta. Grandes coisas.
— De Cleveland, Ohio. Filha de Carl, um contador na Simpson Associates, e Mardie, dona-de-casa e ex-professora de uma escola montessoriana. Estudante de literatura. Escolhida para começar um estágio editorial na Editora Horton em Manhattan em 12 de junho.

Subitamente parecia haver um bolo na minha garganta e resisti ao ímpeto de engolir convulsivamente. Ignore-o. É o truque idiota dos Coveiros. Blablablá minha ficha. Que se dane.
Mas... o nome dos meus pais, a data de início do meu estágio... Poe dissera que eles viriam atrás de mim...

— Belo plano — ele zombou. — Boa sorte com a sua carreira.
Malcolm teve que me segurar.
Um grito subiu pelo meu peito e, de alguma maneira, eu consegui manter minha boca fechada, ainda que pudesse sentir meus pulmões se contraírem com o esforço para segurá-lo. Você não ousaria! pensei, olhando tão intensamente para o homem que até meus inexistentes poderes de telepatia não podiam deixar de passar a mensagem. Nunca na minha vida eu havia olhado para um adulto com mais animosidade, mas também nunca estivera em uma situação em que fosse ameaçada por um. Não, eles normalmente tentavam me ajudar — me ensinar alguma coisa, escrever recomendações para mim, me dar um emprego de verão, me dizer o quanto estavam impressionados com minhas prodigiosas realizações e como estavam entusiasmados para ver o que eu faria do meu futuro.
O cara parecia insinuar que gostaria de garantir que eu não tivesse um.
 Eu não conseguia respirar.
E então a cavalaria chegou, na forma dos outros novos convocados.Megan liderou o ataque, seguida por meia dúzia de outros. Vi até Jennifer, apesar de George Harrison Prescott não estar por perto.

— Não! — disse Malcolm. — Isto é uma entrevista particular.
— Sei — Megan falou. Ela estufou o peito para o patriarca no comando. — Vai mexer com todos nós, seu merda?
— Vamos embora — urrou Malcolm.
Ele nos arrebanhou e nos levou para longe do escudo humano e da multidão. Vi alguns rostos familiares nas margens da multidão. Coveiros seniores, esperando nas coxias. Malcolm acenou com a cabeça para um que passava.
— Chame-o — falou, e não tive dúvidas de a quem se referia. — Meu quarto. Conversinha.
As palavras me reanimaram e finalmente encontrei minha voz. Malcolm me arrastou para longe enquanto eu erguia meu punho para o patriarca como golpe de misericórdia.
— E, por falar nisso, eu não moro em Cleveland. Sou uma garota bem-criada. Shaker Heights. Pesquise melhor, otário.
— Demi! — falou Malcolm. — Discrição.


--------------------------------------------------------

Como vão ?? Bem espero *-*
Obrigado minha Bebê por continuar comentando (Sei que vai saber que é você) e as outras meninas tbm =)
mesmo com poucos cometários vou continuar postando !

Sem muito assunto, então éh isso!
bjss

COMENTEM !!

8 comentários:

  1. Estava esperando que a Demi mostrasse a eles que ela merecia muito mais que algum deles a conv

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Convocação, mais não a menina foi ficar muda. Espero que depois da reunião arrumem uma solução

      Excluir
    2. Talvez por causa do carnaval que os comentários baixaram, mas eu sei que voltam. E o meu Chrome está ajudando quando decide colar antes de terminar o comentário . Bjo

      Excluir
  2. kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk Demi podia mostrar quem é o sexo fragil com um chute entre as pernas do patriarca

    ResponderExcluir
  3. Muito PERFEITO O CAP!! Não comentem no cap anterior pois fui dormi na casa da minha avó e so voltei a noite, amei a conversa de joe e demi mesmo ele sendo um completo idiota, dei algumas risadas com o jeito dele de falar e quando Demi mandou ele parar de falar assim kkkkkk, muita encrenca ainda estar por vim certo? kkkkk POSTA LOGO!!! Quero mais Bugapoe ou melhor Jemi kkkkkkk

    Obs: Esperando o dia em que Demi vai saber o nome "Bárbaro" de Poe. kkkk

    ResponderExcluir
  4. Capítulo PERFEITO, BJOS

    ResponderExcluir
  5. selinho: http://fanficss-jemi.blogspot.com.br/2014/03/selinho.html

    ResponderExcluir
  6. Sexo frágil o caralho!!
    Demi bem que poderia torturar o patriarca e mostrar quem é que manda nessa porra

    ResponderExcluir

Sem comentários ........... sem capítulos!