06/03/2014

Sociedade Secreta - Capítulo 10 (Parte 2)





Angel (Clarissa), ao meu lado, bufou, mas também não caiu em cima (você deve estar imaginando por que eu, que nunca fui de guardar meus comentários para mim mesma, não estava falando nada. Sinceramente, não conseguiria me fazer ouvir. Aquelas pessoas são futuros oradores profissionais. Editores — mesmo os tagarelas e desinibidos — não têm a menor chance). 

— Essas garotas são nossos irmãos — Keyser Soze argumentou (É isso aí, Nick!). 
— Há 48 horas — Graverobber replicou. — E, se a alternativa é perder minha filiação, eu digo que elas devem fazer o que é certo para nós e dar o fora. 
— Quer fazer a gentileza de se abster de falar de mim como se eu não estivesse sentada no seu colo? — Littie Demon lançou um olhar fulminante para Graverobber de sua posição empoleirada em... bem, se não no seu colo, perto à beca. 
— Não é você, minha cara, é todo o seu sexo.

Thorndike agora tremia visivelmente de raiva e eu achei que o lixo europeu do Graverobber tinha sorte por ela ter que passar por Little Demon a fim de extravasar sua fúria. 
— Olhem — Soze abriu os braços e a calma prevaleceu (eu disse que esse cara podia resolver essa merda!). — Quero entender melhor quais são exatamente nossos direitos e quais os direitos da diretoria do FAT. É razoável que o clube atual tenha um pouco de controle sobre a direção do cotidiano da sociedade. Existem regimentos ou tratados específicos que proíbam a convocação de mulheres? 
— Os fundadores não acharam necessário — Poe parecia estar mastigando cada palavra. Mas aposto que ele achava que teria sido uma boa idéia! — E, sim, devemos ter soberania na escolha de nossos convocados, mas o Fundo controla o nosso cofrinho e, por conseqüência, tudo o que fazemos. Eles são os donos do terreno, do mausoléu... eles pagam por todos os nossos benefícios.

— E sua classe não tem representante na diretoria? — perguntou Soze. 
— Temos — disse Poe — Sou eu. 
Oba, estávamos ferrados! 
Mas Soze, sempre o estrategista, não perdeu um segundo. 
— E, humm, outras possibilidades? 

Quando Poe compreensivelmente fracassou em responder, ele foi em frente: 
— Perdoe as perguntas, mas acho que todos os alunos do terceiro ano aqui se sentem como se tivessem sido jogados no lado fundo da piscina. 
E estão se afogando. 
— Estou tentando entender o quadro geral que explica o que eles estão tentando fazer e por que acham que têm o direito de fazê-lo. E, se não têm, então acho que é simplesmente questão de discutir os regimentos no... 
— No quê? — falou Lancelot. — No tribunal? Esqueça, amigo. É por isso que chamamos de sociedade secreta. Não vamos à Justiça, onde corremos o risco que nossos trabalhos internos se tornem de domínio público. Não somos uma fraternidade com uma organização helênica para a qual nos voltamos em casos de disputa. Clube privado. Não sujeito à nenhuma lei antidiscriminação. Nós não temos realmente um caso para os tribunais. 
— Não precisamos de um — disse Lucky, deixando todos chocados. — Só a ameaça de ir a público pode assustar a diretoria a ponto de desistirem.
— A público? — um sênior gaguejou. — Você está louca? Faz idéia de quem nós
somos? 
— Mais do que você pensa. 
— A moça é um leão! — Puck exclamou, impressionado. — Vai direto na jugular — Lucky lhe lançou um olhar destruidor, cruzou os braços e voltou para o seu lugar. 
— Antes de entrarmos nessas questões — falou um novo convocado cujo nome real eu nem sabia (descobri depois que ele era Omar Mathabane, vulgo Kismet, o primeiro convocado dos Coveiros a vir do continente africano) —, estou interessado em saber o que cada um neste quarto acha do assunto. Nós somos a favor da inclusão das mulheres?
— Está perguntando para nós? — Megan chiou, fechando o punho com uma das mãos e gesticulando amplamente para as cinco mulheres no aposento. — Você está neste país há o que, cinco segundos? E já está pronto para se juntar ao sistema! 

O jogador de basquete alto, Big Demon (Benjamin Edwards, para aqueles de vocês que estão jogando o jogo de Quem-É-Quem-na-Rosa-&-Túmulo), limpou a garganta e falou brandamente. 

— Correndo o risco de ofender as mulheres e os seniores, acho que Graverobber tocou em um ponto que deveria ser considerado, independentemente de todo o resto. Os homens da C177 não cometeram nenhum dos dois delitos. Nós não convocamos as mulheres e não somos mulheres. Então, só para esclarecer, qual é o problema dos patriarcas conosco? 
— Já basta! — Little Demon saiu de seu questionável poleiro e tomou seu lugar ao chão. 
— Ah, sim, Kismet, vamos votar (que Odile conseguisse lembrar corretamente de todos os nomes secretos enquanto eu tinha sorte se me lembrava da metade me convenceu de uma vez por todas de que ela merecia um diploma de Eli). Vamos descobrir qual é a posição de cada um aqui antes que vocês resolvam discutir o meu futuro. Já estou cansada de ouvir os homens falarem de mim e sobre mim. Passei cinco anos sendo "controlada": pelo meu agente, pelo idiota do meu pai, pela minha gravadora, e não vou mais aturar que qualquer homem me diga o que fazer!
Isso calou a boca até de Thorndike. 
Puck parecia olhar para Little Demon com uma admiração renovada e eu respirei fundo. 

— Na minha opinião — falei antes que pudesse me conter — nós temos quatro problemas diferentes para resolver antes que possamos sequer bolar um plano juntos. 
Comecei a marcá-los nos dedos: 

1) — Nós quebramos algum dos regimentos da sociedade?— olhei para Poe para confirmar. —Aparentemente não. 
2) — Presumindo que não, quais são nossos direitos como membros ativos diante do controle da diretoria sobre os aspectos financeiros da sociedade?
3) — Na chance remota deles terem alguma queixa contra nós, o que podemos fazer para melhorar a situação dos homens convocados? 
4) Respirei fundo. — E, finalmente, vocês ainda querem as mulheres na sociedade? 

— Sim — Lancelot falou sem hesitação. 
Poe só olhou para mim com seus olhos cinza-claros. Os outros seniores misturavam concordância e expressões pensativas. Nada encorajador. 
— Talvez devêssemos votar? — Frodo sugeriu. 
— O problema disso é que eles já votaram — falei. — Eles votaram no dia em que decidiram nos convocar. Nós fomos convocadas. Nós fomos iniciadas. É tarde demais. As ações que o clube sênior realizou são irrevogáveis e é por isso que os patriarcas esperaram até agora para agir. Eles acharam que os seniores iam voltar à razão antes disso. 
— Desde quando você sabe tanto sobre o assunto? — Angel perguntou, finalmente encontrando sua língua. 
— Eu aprendo rápido. — Olhei para Poe, que estava tentando ao máximo receber o espírito de Medusa, soando ameaçadora e envolvente. — E uma coisa que aprendi é que nossas decisões quanto à convocação têm que ser unânimes. Isso também é verdade para a decisão de expulsar alguém? 
— É — Poe resmungou. 
— Então acho que é certo presumir que as mulheres não vão a lugar algum. 
— Uhuu! — disse Angel baixinho, dando um soco no ar. 

Eu sorri para ela. É, sorri mesmo. Não há nada como um pouco de camaradagem quando você descobre que tem um inimigo maior lá fora. 

Poe sentou-se de volta em seu lugar e cruzou os braços. 
— O que a Bugaboo disse não é inteiramente correto. 
Virei-me para ele, incrédula. 
— Você me disse isso há menos de uma hora. 
Mais uma vez, o rosto inexpressivo. Esse homem podia dar aulas para Bob Newhart.
— Não disse nada disso.

Olhei para Lancelot para pedir ajuda, mas ele só parecia confuso. De repente, eu entendi. Poe estava tão imerso nas tradições da sociedade que os outros podiam se dar o luxo de serem preguiçosos e deixar que ele assumisse o comando de todo aquele processo confuso e antiquado. E, como não sabiam muito, ele tinha liberdade para manipular as regras a fim de que se encaixassem em seus próprios objetivos. Como haviam conseguido que a convocação das mulheres passasse por ele, para começo de conversa? 
Angel, nesse meio tempo, havia tomado meu posto de oradora. 
— Sente-se — ela sussurrou, puxando minha manga. — Ele sabe muito mais sobre o que está acontecendo aqui do que você. Vai acabar bancando a boba. 
Eu a afastei. 
— Então talvez ele deva nos esclarecer. Afinal de contas, eles vão passar a sociedade para nós dentro de algumas semanas. 
— Não para vocês — Poe explodiu. — Nunca para vocês, realmente. — Ele inclinou a cabeça na direção dos outros poucos convocados homens. — Para eles. 

E este foi o momento em que testemunhei uma espécie de estranho milagre, um truque telepático de filme de ficção científica, quando todas as cinco mulheres no quarto pensaram exatamente a mesma coisa. E essa coisa foi: eu não vou ficar aqui nem morta. Juntas nós sufocamos nosso choque, juntas nos levantamos e, juntas, as primeiras mulheres membros da Rosa & Túmulo em quase 200 anos se viraram e saíram pela porta. 

________________ 

Chegamos à rua soltando fogo pelas ventas. 

— Eu não acredito... que aqueles... filhos-da-puta... quem eles acham que... em que mundo eles acham que estão? — Megan estava engasgando com sua própria
indignação. 
Odile jogou a cabeça para trás. 

— Eu diria que de por volta de 1831. 
Jenny fungou.
— Ah, qual é, meninas. Vocês acham mesmo que o feminismo ganhou? 
Clarissa nos mandou falar baixo. 

— Não no meio da rua, pessoal. Lembrem-se do que o Malcolm falou sobre discrição.
— Humm, você estava na mesma reunião que o resto de nós, Angel? — Megan apontou para o quarto andar. — Nós estamos fora. Se é que algum dia estivemos dentro. 
— O que é discutível — acrescentei, sentindo novamente aquele aperto esquisito no peito. Como eu poderia encarar Selena depois de todo o drama anterior se a convocação ah-tão-especial da Rosa & Túmulo se desintegrasse? 

— Qual é a vantagem de ficar calada agora? — Megan perguntou. Ela levantou a voz até ecoar pelo pátio de pedra da Universidade Calvin. 
— Eu fui uma Coveira e eles me sacanearam! 
Clarissa e eu a agarramos, enquanto Jenny olhava calmamente. 

— O primeiro passo é confessar — disse ela com um sorriso torto. 
— E o próximo é encher a cara — Odile me agarrou com uma das mãos e Jenny com a outra. — Vamos.



------------------------------------------

Oiii lindas(os) !!! feliz pelos selinhos e pelos comentários !!!
Vou postar esse agora e o próximo só no sábado =)
Okay ?? então ta certo !!! 

Bjss 

COMENTEM!!!


9 comentários:

  1. Divou no capítulo. Gstei muito. Luta pelo direito das mulheres

    ResponderExcluir
  2. esse Poe é um viado fdp
    sim to xingando o Joe

    ResponderExcluir
  3. kkkkkkkk Eu amo o Joe velho! kkkk nada haver sobre tomar um lado de quem estar certo, é apenas pq eu amo vilões kkkkkkkk Demi ficando bebada sei n em kkkkkkk POSTA LOGO!!!!

    ResponderExcluir
  4. oiii flor ...selinho para você
    http://tati-joeedemi.blogspot.com.br/2014/03/selinho-para-mim.html

    ResponderExcluir
  5. Que perfeito *-*
    Bebê to amando
    Posta logoooooo
    Beijos

    ResponderExcluir
  6. Cade o meu Cap dona????? Pista logo quero lerrrrr to ansiosa!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Posta* (to beba de sono e digitando pelo cel kkkkkk)

      Excluir
  7. Posta logo plmdds
    By:mel

    ResponderExcluir
  8. Demi bêbada?? Vai dar merda.
    Capítulo ta perfect

    ResponderExcluir

Sem comentários ........... sem capítulos!