25/08/2013

O Pai Perfeito - Prólogo





Prólogo


- Ok, Simon. Agora faça exatamente o que a titia Demi está pedindo e tudo acabará bem.
Demetria Lovato respirou fundo e meneou a cabeça, para então levar outra colherada de papinha, já gelada àquela altura, à boca do sobrinho de oito meses. Afastou de seus olhos, com a ponta do dedo, uma mecha do cabelo loiro, curto e desfiado, sentindo algo pegajoso. Ao afastar a mão, viu que seus dedos estavam cobertos com uma massa colorida. Sorrindo melancolicamente, depositou a colher no pratinho de Simon e pegou um guardanapo para tirar o que fosse possível da papinha que grudara em seu cabelo.
— Desta vez você me pegou direitinho, não foi, seu malandrinho?
Simon soltou um gritinho entusiasmado e sorriu, agitando-se feliz em seu cadeirão. (Demi)
Selena Henrie, irmã de Demi e mãe de Simon, ergueu os olhos da salada que devorava com apetite e sorriu.
— Eu já tinha avisado que dar de comer a Simon era uma aventura perigosa, principalmente para alguém vestido para sair. Você me ouviu? Nããão! Veja só o que aconteceu! (Selena)
Miley Cyrus, a colega de Selena que completava o trio de amigas íntimas que compartilhavam a refeição matinal de domingo, não pôde deixar de rir.
— Que belo suéter!(ela comentou, a respeito do cardigã vermelho de lã de Demi) 
— Quanto pagou por ele? (Miley)
Demi suspirou ao inspecionar a peça de roupa em questão. Além do suéter, seu uniforme de bar tender, composto de camisa imaculadamente branca, gravata de seda multicolorida e calça preta de corte masculino, também estava decorado com outras cores: vermelho-beterraba, verde-ervilha e amarelo-abóbora.
— Comprei o suéter em uma liquidação, ok? Mas isso não dá a este mocinho o direito de arruiná-lo na primeira vez que o estou usando. (Demi)
Demi olhou cautelosamente para sua amiga e sua irmã. Ambas trabalhavam como enfermeiras-chefes na ala da maternidade de um renomado hospital: Miley no berçário e Selena na obstetrícia. Lançou para o sobrinho um olhar desconfiado. Em contrapartida, ele também a olhou da mesma forma, para então oferecer-lhe um sorriso com apenas dois dentes e lindas covinhas. Foi o bastante para a tia perdoá-lo de qualquer transgressão.
— Será que algum dia ele vai ter cabelo? (Demi quis saber, notando uma vez mais a cabecinha pelada do bebê desde o nascimento)
Selena balançou a cabeça, meneando o cabelo castanho
— Quem sabe? Acontece que já estou tão acostumada com ele assim que não sei se o reconheceria com cabelo. (Selena)
Miley afastou a grossa trança de cabelo ruivo de seu ombro, garfando um ovo apimentado do prato sobre a mesa.
— Ele está cada dia mais fofinho, Sel. Você deveria inscrevê-lo em uma agência fotográfica. Ele poderá pele menos fazer o papel do "Eu Era Assim" em algum anúncio para tônicos capilares. (Miley)
Demi riu gostosamente.
— Bem, tudo leva a crer que a titia Demetria aqui vai ter que usar uma nova tática para alimentar este malandrinho. (Ela ergueu novamente a colher e então vibrou os lábios juntos para imitar o som de um motor.)
Simon sorriu para a tia, intrigado. Demi também sorriu. Parecia que iria funcionar.
— Agora abra a sua boquinha para deixar o aviãozinho entrar. (Demi)
O bebê fez o solicitado até a mão de Demi estar a poucos milímetros de cumprir a tarefa. Então Simon fechou a boca apertando os lábios e cruzou os bracinhos sobre o estômago, virando a cabeça para o lado. Demi não pôde deixar de rir ante a expressão do sobrinho.
— Ora, Simon. Você é definitivamente um Lovato em todos os detalhes. Nem sua mamãe nem sua titia fazem nada que não queiram. (Demi)
— E quando sua tia quer fazer algo (completou Selena) tome cuidado. Porque nada, absolutamente, vai fazê-la mudar de idéia.
— Deve ser algo genético (comentou Miley)
Simon balbuciou algo sem sentido e bateu na tampado cadeirão.
Demi depositou o pratinho de Simon no balcão a seu lado. Ele comera quase tudo. Por isso, tirou-o do cadeirão e disse que iria para o andar de cima limpar o bebê e ela própria, partindo com ele no colo.
Simon era um bebê maravilhoso, ela pensava enquanto prendia a fralda descartável alguns minutos após. Ele olhava a tia atentamente; os cílios absurdamente grandes tornavam os olhos castanhos ainda mais escuros. O bebê sacudia as perninhas e prendia com a mão o dedo indicador da tia, sorrindo.
- Ele não é uma gracinha? (perguntou Miley ao entrar no quarto de Simon, olhando-o por sobre o ombro de Demi.)
— É o bebê mais fofinho que conheço (concordou Demi)
— E o mais esperto (acrescentou Selena ao juntar-se às duas)
Por alguns instantes, as três mulheres ficaram adorando Simon, cujos olhinhos curiosos passeavam de um rosto para outro. Como ele não soltava o dedo da tia, ela acariciou o rosto do sobrinho com a outra mão.
— Há algo que preciso contar para vocês. (Ela ainda não pretendia revelar a novidade, mas de alguma forma o momento pareceu-lhe adequado)
 — Vou ter um bebê. (Demi)
Demetria ergueu os olhos e encontrou as expressões de inegável surpresa de Selena e Miley. Talvez fosse choque. Sim, choque parecia descrever melhor o que via naqueles dois rostos amigos.
— Um bebê? (Selena conseguiu perguntar, ofegante)
— Quando? (completou Miley)
— Logo (informou Demi) 
— Acho que no Natal. É uma linda ocasião para ter um bebê, não acham? (Demi)
— Mas para chegar o Natal ainda faltam onze meses. (lembrou Miley) — Parece que sua matemática anda precisando de uma reciclagem.
Demi fez uma careta para a amiga.
— Bem, você sabe que só é preciso nove meses para se gerar um bebê, não sabe? (Miley)
— Claro que sei (assegurou Demi)
Selena suspirou.
— Ok, irmãzinha. Se você vai ter um bebê, quem vai ser o pai? Apesar de você ter muitos fãs, sei que até agora ainda não achou ninguém suficientemente interessante para... Não me diga que finalmente apareceu alguém especial! (Selena)
Demi sorriu, desafiante.
— Ainda não decidi quem vai ser o pai. (Demi)
Selena ergueu a mão e levou-a à testa da irmã.
— Nenhum sinal de febre (Selena informou a Miley) 
— Então deve ser algum trauma psicológico. (Miley)
— Nada disso! (Demi assegurou, afastando a mão da irmã mais velha. 
— Vou ter um bebê. Em dezembro o mais tardar. E ainda não sei quem vai ser o pai. (Demi)
— Vou ligar para o Dr. Clifferman (disse Miley a Selena)
—Quem é Dr. Clifferman? (Demi)
— É o melhor psiquiatra que conheço. Você, pegue a camisa-de-força. (Miley)
— Querem parar com isso? (pediu Demi)
 —Não estou delirando. Ainda não estou grávida, mas logo estarei. (Demi)
As outras mulheres voltaram a encará-la, mas dessa vez os comentários foram mais realistas.
— Por que diabos você quer ficar grávida?Acredite, sei do que estou falando. Aqueles nove meses não foram nenhum piquenique, principalmente quando se está só e não se tem a mínima experiência. (Selena)
— Mas eu quero ter um bebê. (Demi disse dando de ombros)
—Você não acha que seria interessante primeiro encontrar um pai para essa criança? E se apaixonar, primeiro? E casar? E assim que as coisas tradicionalmente acontecem, mesmo no Século Vinte. (Miley sugeriu)
— Eu não sou urna pessoa tradicional (Demi)
— Bem, isso é verdade (Selena)
— Não tenho o mínimo interesse de prender-me permanentemente a um homem. Eles só dão trabalho. Você, Sel, mais do que ninguém deveria saber disso. (Demi)
— Ei, só o que sei é que agora estou casada com o homem mais maravilhoso do mundo e mal posso esperar para dar um irmãozinho a Simon. (Selena ergueu a mão para a irmã que já se preparava para contra-argumentar) Ouça, não vou negar que cometi muitos erros antes de David entrar em cena, mas... Esta é mais uma razão para eu sentir que existe alguém perfeito para você, também. Só dê um tempo para que isso aconteça, Demi (Selena suspirou enquanto Demi balançou a cabeça)
— David é um em um trilhão. Não há mais ninguém como ele no mundo. Além do mais, gosto de ser solteira. Mas também quero ser mãe. Conviver com Simon mexeu com algo dentro de mim: É um sentimento delicioso, Sel. Agora sei que meu destino é ser mãe e tenho certeza de que serei uma boa mãe. (Demi)
— Não temos a menor dúvida.Você é fantástica com crianças. É com essa história do pai que estamos preocupadas. (Miley disse olhando rapidamente a Selena, que meneou a cabeça, concordando)
— Você sabe o que sinto a respeito, Demi. A minha situação com David depois que Simon nasceu poderia preencher um livro. Você precisa ter cuidado. Ter um bebê não é algo que possa decidir sem considerar todas as conseqüências (Selena)
— Mas você não pensou. (Demi ergueu o queixo na defensiva)
— E verdade, mas veja só o transtorno que isso me causou. (Selena)
— Mas seu caso teve um final feliz, não teve? (Demi)
Sabia que Selena não tinha argumentos para isso. Ela e o marido eram o casal mais feliz que Demi conhecia. Mas havia outro motivo para querer ser mãe tão rapidamente e decidiu que Selena e Miley mereciam conhecê-lo.
— Existe outra razão que me deixa ansiosa para ter o bebê o mais rápido possível. Eu realmente não tenho muita escolha. (Demi disse devagar e Selena e Miley fitaram-na curiosas.)
— Por que não? (Selena perguntou e Demi suspirou)
— Meu tempo para ser mãe está se esgotando. (Demi)
— Por quê? (As outras duas repetiram)
— Fui ver minha ginecologista na semana passada e ela confirmou algo de que eu já vinha suspeitando. Evidentemente estou com alguns problemas no meu sistema reprodutivo. A Dra. Deleasa acha que eu só tenho mais um ano de fertilidade. Depois disso, minhas chances de engravidar vão diminuir muito. Se quiser ter um bebê preciso fazê-lo agora. Depois disso... (Demi disse num sussurro)
— Demetria, precisamos conversar mais a esse respeito (Selena)
— Por favor, pense muito antes de tomar uma decisão. (Selena)
— Já pensei muito e decidi que o bebê vai chegar na época do Natal. (Demi)
— E o pai? (Miley indagou, mostrando-se mais entusiasmada que Selena e Demi sorriu)
— Tenho dois meses inteiros para decidir. (Demi)
— Dois meses (repetiu Miley, demonstrando o quanto a idéia lhe parecia maluca)
— Dois meses, é o quanto preciso para encontrar o pai perfeito para meu bebê. (Demi disse voltando a sorrir)


--------------------------------------------------------------
Bom galera ta aí o prólogo, em breve eu venho postar o primeiro capítulo.
Falem, opinem e digam o que acharam da sinopse e do prólogo ok?
Quero saber se gostaram ;)

Por hoje é só pessoal!
bju nas crianças!

Novidades + Nova fic

Hello meus amores!

Bom como todos sabem, estamos mega ocupadas e sem tempo pra criar, mas a nossa querida Juh, está em processo e criação, e como ela ja mostrou pra vocês, a adaptação dela sera do caralho.

Então, eu também vou escrever mais uma adaptação do cinema, mas ainda não decidi se sera A casa do Lago ou E se fosse verdade. Dois filmes que amo demais e que tem histórias lindas que quero adaptar pra ca.
Só que pra isso preciso de tempo, e ainda não consegui me organizar, vou tirar os fins de semana pra escrever, e terei que escrever bastante antes de começar a postar, pq não consigo escrever na véspera.
Então vou postar aqui uma fic já pronta, adapatada de um livro de uma escritora chamada Elizabeth Bevarly.
E o nome da Fic será: O Pai Perfeito.

Vou postar a sinopse e o prólogo pra vocês e provalvelmente no domingo ou segunda feira eu poste o primeiro capítulo, porque vou passar muito tempo editando.

E quero pedir a ajuda de vocês pra decidir que adapção fazer.
Comentem qual filme entre os dois que falei que vocês gostariam de ler em forma de fic. O mais comentado vai ser o que vou fazer primeiro.

Então chega de papo e vamos aos finalmente.


Sinopse:


O que mais Demetria Lovato queria na vida era um filho. Nada de casamento, nada de marido: só um bebê. Claro que precisaria da colaboração de alguém do sexo oposto... Um homem sem a menor vontade de estabelecer laços familiares.
O solteirão convicto Joseph Jonas faria qualquer coisa por uma amiga. Mas o que Demi estava pedindo era demais! Como poderia concordar em ajudá-la a gerar uma criança, sem ser pai de verdade?






24/08/2013

Made Of Honor (Mini fic Capitulo 12 - Ultimo)





Capítulo 12 – O casamento


Todos já estavam prontos se dirigindo aos carros que os levariam até o pequeno porto onde pegariam a balsa com destino a pequena ilha onde ficava a igreja em que seria realizado o casamento. Enquanto isso, Joe estava no carro que o levaria ao aeroporto pensativo e desolado. Olhava a paisagem pela janela e se sentia vazio. O carro parou por conta de um rebanho de ovelhas que atravessavam a estrada. Joe olhou pro lado e pela janela viu um cão pastor sentado a beira da estrada olhando pra ele. Ele latiu em sua direção e Joe saiu do carro para fazer carinho no cachorro que o olhava com a carinha triste.
-E aí amigão! (Joe)
E ao olhar nos olhos do cachorro, se lembrou do que havia dito a Demi na noite em que se conheceram. Ele tinha o mesmo olhar de cachorro pidão que ela fazia.
-Obrigado amigão! (Joe)
Ele voltou ao carro correndo
-Amigo eu mudei de idéia nós vamos voltar.
E assim o motorista fez, dirigiu o mais rápido que pode, mas ao chegar à margem do rio Joe viu a balsa saindo e se desesperou, o casamento já devia estar acontecendo e ele não podia mais perder tempo.
-Amigo não há outra balsa? (Joe perguntou ao condutor que observava os dois)
-Sim, esta do outro lado esperando os convidados do casamento. (condutor)
-DROGA (Joe vociferou) não tem outra maneira de chegar à igreja? (ele perguntou ao motorista)
-Sim, mas levaria mais de uma hora de carro (motorista)
Nesse momento, chegava um homem trazendo um cavalo em sua caminhonete. Ele olhou ao motorista que o olhou de volta.
-Quanto tempo a cavalo? (Joe)
-Bom se você tiver sorte, ainda chega a tempo do sim (o homem disse)
Nesse momento Joe corre até o homem desesperado que nada entende ao vê-lo
-Senhor é uma emergência, preciso do seu cavalo (Joe)
-E porque raios eu lhe daria meu cavalo? (o homem perguntou)
-É uma emergência e o senhor não precisa dar, eu o compro (Joe)
-Este cavalo e um puro sangue, sabe quanto ele custa rapaz? (homem)
-Eu lhe dou dois centavos por cada luva de copo usada no mundo, faça as contas e vai ver que vale a pena (Joe disse já montado no cavalo enquanto o motorista abria a porta da caminhonete pra ele sair.)
-Bom tudo bem (o homem disse), mas o que raios é uma luva de copo? (ele perguntava olhando os outros dois que faziam cara de confusão)
Joe já galopava enquanto o senhor das balsas gritava as instruções.
-Siga sempre pela praia e vá em frente, depois das rochas vai encontrar o bosque, siga por ele reto e no final encontrará a estradinha que dará na igreja. (condutor)
Joe correu feito um louco montado naquele cavalo, o casamento acontecia sem maiores problemas e todos ouviam o reverendo dizendo coisas muito bonitas. Joe corria cada vez mais rápido e as folhas e galhos do bosque já batiam em seu rosto o atrapalhando para passar. E ao chegar à porta da igreja, coincidentemente no momento em que o reverendo perguntava quem era contra aquele matrimônio, o cavalo de Joe inpinou e o arremessou sobre a porta da igreja, abrindo-a e fazendo um senhor barulho que assustou a todos. Na queda ele desmaiou e ficou no chão. E só então Demi percebeu que era Joe ali caído.
-JOE (Demi correu e se abaixou até ele)
-Joe? (ela o sacudia delicadamente e ele não se mexia)
-Joe... Joe acorda Joe, para com isso, acorda Joe (ela já estava se desesperando)
-JOE (ela deu um tapa na cabeça de Joe que acordou no susto atordoado)
-Oi.. Aãn? O que? DEMI? (Joe disse depois de ver ela ali)
-Joe, o que você está fazendo aqui? (Demi perguntou olhando nos olhos dele que acabara de levantar todo dolorido da queda e fazendo careta)
-Eu, ah... Nossa o seu cabelo ta horrível (Joe olhava pra ela fazendo uma careta)
-Está é? (Demi olhava em volta pra ver se via o que ele estava vendo)
-Uhum, ta parecendo um ninho de periquitos, e essa faixa é horrorosa (Joe)
-Joe, dá pra você ser direto? (Demi já dizia irritada e ele suspirou fundo)
- Ta, eu sempre me orgulhei de ser sincero com todo mundo, mas há anos eu venho mentindo pra uma pessoa... Pra mim mesmo (Joe)
Demi o olhava como se o incentivasse a continuar, e assim o fez.
-Porque a verdade é assustadora, mas eu aprendi que é preciso ser dita. Há dez anos eu me deitei com a garota errada, e ela acabou sendo a certa, Eu te amo Demi, eu sempre amei, e sempre vou amar (Joe disse com os olhos marejados)
Demi também estava com os olhos marejados e olhava para ele incrédula. Ela balançou negativamente a cabeça e voltou a olhar pra ele.
-Joseph Jonas, você é a pior madrinha da história da humanidade (Demi)
Dito isso ela o beija, ali na frente de todo mundo em pleno casamento com outro homem, arrancando exclamações de toda a igreja, exceto sua mãe, que já sabia que talvez isso aconteceria. Logo ao se separarem, ela se virou e encontrou todos olhando pra eles, e viu Ian vindo em sua direção. Ela se aproximou dele. Tirou o anel de noivado do dedo e entregou a ele, fazendo um carinho em seu rosto.
-Eu realmente sinto muito, espero que você me perdoe. Você é perfeito Ian, só não é perfeito pra mim (Demi)
-Está tudo bem Demi, eu entendo (Ian diz triste a olhando nos olhos, ele da um beijo em sua bochecha e se afasta)
Nesse momento a tia avó de Ian começa a falar coisas no dialeto escocês e Joe perguntou
-O que ela disse? (Joe)
-Que eu deveria te bater (Ian disse sério)
-Bom, eu acho justo q.. (Joe)
Ele não terminou a frase, pois ganhou um belo soco de Ian que o fez cair no chão de novo e Demi correu para ajudar...

Algum tempo depois...

-Joseph, você aceita Demi como sua esposa? (Reverendo)
-Oh é claro que eu aceito (Joe disse sorrindo pra ela)
-Demetria, você aceita Joseph como seu esposo? (Reverendo)
-Sim, eu aceito (Demi disse sorrindo radiante)
-Então eu vos declaro marido e mulher, agora você pode beijar a noiva rapaz (Reverendo diz sorrindo)
Joe então sorrindo beija Demi apaixonadamente. A festa segue e eles são cumprimentados por todos, quando Joe vê seu pai e Selena dançando intimamente. Ele sorri ao filho e acena enquanto Joe e Demi olham a cena incrédulos.
-É serio aquilo ali ou eu já fiquei bêbado? (Joe)
-É muito serio, ou então eu também bebi da mesma vodka (Demi diz rindo)
-Gente, nunca pensei que veria essa cena (Joe diz rindo)
-Pois é, acho que a única maneira dela ter um Jonas (Demi diz com a sobrancelha arqueada)
-Tudo isso é ciúme é? (Joe fala sorrindo)
-Não, não preciso ter ciúme de você, primeiro porque ela não é nem maluca de fazer isso agora, e segundo (ela se aproximou colocando seu braços em volta do pescoço de Joe o fazendo estremecer ao sentir ela colar seu corpo ao dele) você é e sempre será MEU (disse Demi antes de colar seus lábios aos dele com ternura)
-Seu, sempre seu (Joe dizia durante o beijo a fazendo sorrir)
(...)
Ao chegarem ao hotel onde passariam a noite de núpcias, os dois foram tomar banho. Demi foi primeiro e já estava na cama lendo um livro enquanto Joe tomava banho. Ao sair ele a viu concentrada na leitura e achou aquilo extremamente encantador. Como a amava, foi o que ele pensou. Ela ao sentir alguém a observando parou de ler e viu Joe a sua frente só com a calça do pijama e sorriu. Ela o amava mais que tudo, e agora eles estavam juntos.
-Posso saber por que o senhor está parado aí me olhando assim? (Demi)
-Nada demais, estou apenas observando a mulher mais linda que eu já vi na vida, e olha que eu já vi muitas (Joe diz rindo)
-Né? (Ela fala sorrindo com uma sobrancelha arqueada) então é bom você se acostumar porque é a ultima que você vai ver (Demi fala fingindo ameaça)
-Por quê? Você vai arrancar meus olhos? (Joe brinca fingindo espanto)
-JOSEPH! (Demi exclama e ele ri alto)
-Claro que você será a ultima, a única daqui pra frente (Joe se aproxima dando um selinho)
-Huum, acho bom mesmo (ela faz uma cara emburrada)
-Sabia que você fica mais linda ainda emburradinha? E com esses óculos então... Te deixa sexy (Joe fala pertinho dela que ri alto)
-Seu bobo (ela tira os óculos e coloca na mesinha de cabeceira, apaga a luz do abajur e eles se deitam quando Joe interrompe e acende a luz outra vez)
-O que foi? (Demi)
-Nada, eu só queria ter certeza que estou deitando com a mulher certa dessa vez (ele sorri feliz pra ela que retribui)
-Com certeza está, agora vem ca (ela o puxou para um beijo enquanto apagava novamente a luz)
E os dois se entregaram lenta e apaixonadamente um ao outro. Cada toque, cada olhar, cada suspiro, cada roçar de pele era mágico e trazia sensações jamais sentidas por ambos. Tiveram a certeza de que como diziam os sábios, estar com quem se ama verdadeiramente, é inexplicável, e impossível de descrever. Algo muito maior do que apenas prazer momentâneo. Era a consumação de um sentimento, o sentimento mais perfeito que Deus em sua infinita sabedoria entregou a humanidade. O amor. Amor este que é difícil de encontrar, mas quando se encontra, tudo vale à pena. E valeu a pena esperar, valeu a pena esperar pelo outro todo esse tempo, pensaram os dois. Pois o que sentiam nesse momento, nada no mundo poderia substituir, ou destruir. E tiveram a mais absoluta certeza de que seria assim por toda a vida. Enquanto seus corações batessem, bateriam no mesmo compasso. Juntos, como deve ser e seria, agora e sempre.
-Eu te amo, Fred Mercury! (Demi disse sorrindo)
-Eu também te amo, Linda! (Joe respondeu sorrindo também)


Fim.

-------------------------------------------------------------------------------------------------
Bom meninas, a fic chegou ao fim, peço desculpas pela demora de posts, mas cmo vcs ja sabem estou muito ocupada.
bom espero que vocês tenham gostado tanto qnt eu que escrevi.
e aguardem pq em breve vai ter uma fic antiga reeditada e  Juh em com tudo pra arreentar na proxima Large Fic.
É isso galera, obrigada pelo apoio e paciência. e espero que vocês gostem da nova mini ou large que postarei qnd puder.
Bju nas crianças!