30/03/2013

My Best Friend (Min Fic Capitulo 22 - Parte 2 - Ultimo )

Meus bebÊs!


' ‘Cause I Want Nothing More Than To Sit Outside Heaven's Door And Listen To You Breathing,
Is Where I Want To Be…”  



Demi deu um pulo do chão, esfregou os olhos e os arregalou ao vê-lo ali.
Sua respiração ofegou e ela sentiu o corpo tremer...

- Posso te pedir uma coisa? (Joe)
- O q-que... (Demi sussurrou entre gaguejadas)
- Repete o que você escreveu no celular? (Joe pediu olhando-a nos olhos)

“Mas quanta coisa aconteceu e foi dita.
Qualquer mínimo detalhe era pista.
Coisas que ficaram para trás.
Coisas que você nem lembra mais!

 O q-que você ta f-fazendo aqui? T-tinha que estar na sua festa d-de casamento... (Demi sussurrou assustada)
- Fala pequena... Perde o medo e fala pra mim o que você sente. (Joe)

Demi sentiu como as lágrimas escorriam por seu rosto, precisava de uma vez por todas se declarar, sem medo...

- E-eu sou completamente a-apaixonada por você, d-desde o primeiro instante em que te vi. Tudo em você me fascina, o s-seu jeito, o seu c-cheiro, quando você m-me chama de pequena, o s-seu sorriso. Eu te amo t-tanto que chega a d-doer, mas agora não adianta mais, v-você casou! (Demi desabafou chorando)

“Mas eu guardo tudo aqui no meu peito.
Tanto tempo estudando teu jeito.
Tanto tempo esperando uma chance.
Sonhei tanto com esse romance.
Que tola, mas eu não consigo evitar!

 Quando uma pessoa casa, a primeira coisa que ela coloca é uma aliança no dedo anelar da mão esquerda. (Joe afirmou olhando o dedo que não tinha aliança alguma)

Demi soluçava tentando assimilar as coisas, estava completamente assustada.
Sentiu o coração acelerar quando olhou o dedo dele!

- J-joe... (Demi sussurrou)
- Shh, não fala nada. Deixe fluir... (Joe sussurrou aproximando-se dela)

Aproximou-se do rosto dela, sentiu como ela tremia em seus braços, como ela estava gelada. Com certeza estava nervosa, isso porque nem estavam na metade da relação.
Quando encostaram seus lábios, as borboletas e gafanhotos fizeram vôos rasantes em seus estômagos, sentiam-se explodir de... Felicidade?
Sentiam uma grande afinidade na troca de carícias entre suas línguas, uma química imensa...
 
O começo de um amor? Ou a concretização do sentimento?

“Porque eu só vivo pensando em você!
E é sem querer, você não sai da minha cabeça mais...
Eu só vivo acordada a sonhar, imaginar nós dois.
Às vezes penso ser um sonho impossível, uma ilusão terrível.
Será?”

Demi entre o beijo, o abraçou forte, queria senti-lo...
Queria ter a plena certeza que tudo aquilo era real, que não era um fruto de sua imaginação!
Que o sonho havia se realizado...

- Eu te amo, pequena... Amo desde o dia que em que você estava chorando com um machucado no joelho, quando tinha seis anos. (Joe declarou-se passando o nariz no dela)

Demi sorriu emocionada, a felicidade explodia em sua alma...
Ela havia conseguido, por mais que não merecesse todos os méritos, ela por fim estava realizando um sonho...
O de ser amada!

- Pequena... (Joe sussurrou enquanto ela o abraçava e encostava a cabeça em seu peito)
- Oi? (Dulce perguntou olhando-o nos olhos e sorrindo)
- Vamos voltar lá pro prédio, e nós poderíamos combinar uma coisinha. (Joe falou sorrindo)
- Que coisinha? (Demi)
- Ou você dorme no meu apartamento, ou eu durmo no seu. (Joe afirmou piscando pra ela)
- Mas antes de tudo isso, esqueci de uma coisa. (Demi)
- O que? (Joe)
- Feliz Aniversário! (Demi sussurrou mordendo o lábio inferior dele)

“Hoje eu pedi tanto em oração.
Que as portas do seu coração se abrissem pra eu te conquistar.
Mas que seja feita a vontade de Deus!
Se ele quiser, então, não importa
Como ou onde, quando eu vou ter seu coração!”

E mais uma vez, puderam compartilhar das mais doces formas de amar.
Sentindo cada pedaço de pele que provocava sensações prazerosas, que arrepiavam dos pés a cabeça!

“Olhos nos olhos e, aos poucos aquela dor deu lugar a uma entrega sem limites!
Joe devagar se mexia nela, fazendo com que ela se acostumasse ao movimento e, dando a si o prazer de aos poucos sentir o tesão que um proporciona ao outro!
Suor que ia escorrendo e juntando ainda mais aquele jovem casal, o amor que parecia explodir pelos ares e a sensação de prazer mútuo...
Entregar-se de corpo e alma e, perceber o quanto amar é algo mágico!
Como a união que proporciona prazer, também nos faz perceber que o amor acontece quando menos se espera.”


E o que mais encantava na relação que estavam tendo, era que ela parecia fundir-se entre lembranças e conseguia obter a mesma magia que a primeira!
Era como se o passado se chocasse com o presente, e transformasse nas mesmas sensações, mas com uma pitada a mais de amor e a certeza de que medo não existiria mais...
E com certeza, seria migrada para o futuro e ficaria guardada entre as recordações mais especiais!
Demi estava com a cabeça deitada no peito nu de Joe, sorria sozinha e de fato estava sonhando acordada.
Vezes ou outra suspirava ao sentir Joe acariciar seus cabelos...
Era só isso o que ela queria pra sua vida, isso já bastava pra ela poder gritar ao sete ventos o quanto estava sendo feliz!

- Pequena? (Joe sussurrou depois de algum tempo em silêncio)
- Oi... (Demi)
- Por que você não me deu chance, depois daquela vez? (Joe)
- Por eu ser uma boba, sentia um medo terrível... (Demi afirmou puxando a coberta e sentando-se na cama)
- Medo de amar? (Joe perguntou tirando a franja dela da frente dos olhos)
- Talvez, amar proporciona felicidade e isso assusta um pouco. (Demi afirmou sorrindo)
- E agora, está assustada? (Joe)
- Não, estou muito, muito, muito feliz! (Demi exclamou feliz e beijando-o)

Alguns meses se passaram...
Eram as férias de verão de Demi e Joseph e eles desfrutavam de toda beleza e infra-estrutura da ilha paradisíaca Koh Phi Phi, localizada no Norte da Tailândia.

A bela ilha havia sido cenário do filme,
 A praia e em alguns pontos, havia sido destruída devido ao maremoto Tsunami, mas sua beleza permanecia intacta.

Demi dormia tranqüilamente perto da piscina, ela e Joe desfrutavam de um passeio de iate.

- Pequena... (Joe sussurrou beijando o pescoço dela)
- Hum... (Demi resmungou)
- Acorda sua dorminhoca. (Joe)
- Não quero! (Demi)
- Quer sim, estamos quase chegando na areia e temos que nos arrumar pro luau de hoje à noite, por acaso esqueceu? (Joe)
- Então faz o seguinte, me deixa dormindo e a hora que chegarmos você me leva no colo... (Demi)
- Claro madame. (Joe afirmou sorrindo e sendo puxado por ela)
Pela noite, os dois desceram de mãos dadas até a praia...
Demi usava um vestido branco frente-única que cruzava nas costas e um bracelete artesanal comprado no local, estava descalça e seus longos cabelos loiros estavam levemente cacheados.
Joe usava uma camisa de manga curta branca deixando os botões de cima abertos e uma calça mais solta no mesmo tom, também estava descalço.
Assim como todos os turistas que ali estavam...

Tochas estavam espalhadas pela areia, mesas com as mais variadas e deliciosas frutas...
Drink’s exóticos e que inspiravam qualquer pessoa eram servidos por garçons e garçonetes que usavam roupas típicas do local.
O clima romântico havia se espalhado pelo luau...
Ainda mais que a bela Lua Cheia, acompanhada pelas intermináveis constelações, ajudava no cenário natural, que se juntava ao belo mar, proporcionando uma visão inexplicável...
E de certa forma, aquela noite seria especial!

- Essa noite está tão perfeita... (Demi sussurrou fechando os olhos)
- Está linda mesmo. (Joe afirmou abraçando-a por trás)

Ficaram admirando aquela bela paisagem noturna por alguns minutos.
O silêncio já estampava a felicidade que os dois sentiam em estar compartilhando juntos todos aqueles momentos!

- Vem comigo? (Joe perguntou esticando a mão na direção dela)
- Aonde? (Demi perguntou dando a mão pra ele)
- Você vai ver... (Joe)
Demi foi sendo levada por Joe para a parte mais afastada da praia...
Ela estava curiosa, mas limitava-se a perguntar algo, sabia que seria algo especial!

As tochas começaram a surgir e ao fundo, nativos locais formavam uma roda...
E um deles, estava na frente segurando uma cesta repleta de flores.

- O que é isso, Joe? (Demi perguntou olhando-o sem entender nada)
- Isso pode valer só aqui, mas pra mim o que interessa é o momento que vamos compartilhar juntos e não em quantos países valem. (Joe)
- Vale o que? (Demi)
- Essa é uma cerimônia relacionada ao matrimônio, não é um casamento apenas físico, é um casamento espiritual. (Joe afirmou sorrindo)
- Ca-casamento? (Demi perguntou gaguejando)

Joe apenas sorriu e foi levando-a pra perto de onde seria feito o ritual.
Demi olhava tudo abismada, segurando o choro que queria vir...

- Eu odeio grandes festas, até me traumatizo um pouco quanto a isso. Sei que você pensa o mesmo e aqui estou. Demorei anos pra poder viver tudo o que eu sempre quis, pra poder amar aquela que se tornou a coisa mais importante da minha vida! Eu não ligo se vou chegar e, Nova York e não valer perante as leis dos homens, o que importa pra mim são as leis de Deus e o que significa pra nós dois esse momento. E o povo asiático tem uma ligação muito forte com o espiritual e bom, quer isso pra sua vida? Quer ser minha pra sempre? (Joe sussurrou com um intenso brilho no olhar)
- V-você ainda pergunta? É o q-que eu sempre quis, desde m-menina... (Demi afirmou emocionada)
Duas meninas colocaram sobre a cabeça de Demi uma linda e bem trançada coroa de flores e em Joe, um colar com pequenas contas coloridas.

Não entendiam uma palavra do idioma falado por eles, mas apenas a sensação de felicidade era suficiente...
A concretização de algo que demorou alguns anos pra acontecer, mas que prometia repetir-se em cada reencarnação dos dois.
Um amor que superaria a barreira de outras vidas...

- Você acredita em destino? (Demi)
- Eu acredito que uma bela amizade, aos poucos pode se transformar em uma linda história de amor! (Joe)

Às vezes você pode pensar que está enganada.
Que é algo de sua cabeça, ou uma carência afetiva!
Que o carinho que ele lhe proporciona, seja apenas carinho amigo...

Talvez você tente se enganar, mas me responda com sinceridade...
Nunca se apaixonou por um amigo?

Desfrute de cada sentimento que reside em seu coração, não tenha medo, pois, temer o amor é estar entregue à amargura.
Ame e procure sempre ser correspondido, mas caso isso não aconteça. Levante a cabeça e vá atrás de quem vai lhe proporcionar amor.
Acredite, se um 
melhor amigo ainda não bateu em sua porta, significa que você ainda não recebeu o presente mais belo da vida, o amor...
E espere, pois todas as pessoas nasceram pra amar e pra serem amadas!


“Amar o impossível é ter fé que um dia será conquistado. Se não obtiver vitórias, é porque verdadeiramente não amou e se por muito tempo espera, é porque ainda não chegou o fim!”
Andréa Suhett.

-------------------------------------------------------------------------------------------





Bom meninas é isso, a fic chegou ao fim, quero agradecer a TODOS que comentaram, acompanharam e se identificaram com a história.
To pensando em escrever um epílogo pra essa história, já que na original ele não existe e eu gostaria de fazer, o que vcs acham?
Por favor, comentem e digam o que vcs querem.
Em breve eu e Juh vamos vir com novidades, fic nova e dessa vez nossa em conjunto. Espero que vocês gostem pq estou muito ansiosa para começar.
É isso meninas, obrigada pela fofura e paciência de vocês com a gente, com os nossos imprevistos e problemas que nos impediam de postar.
Espero que vocês curtam a nova fic que vem aí.
É isso, bjo nas crianças!





29/03/2013

My Best Friend ( Mini Fic Capitulo 22 Parte 1 - Último)

Lindos demais gente *-* morro de saudades dessas palhaçadas deles...




“No, I don't wanna love, if it's not you. I don't wanna hear the wedding bells prove then we can't try
One last time. But I don't wanna hear the wedding bells chime… “




Joe sentiu o celular vibrar em seu bolso, havia o esquecido no bolso da calça e a vontade se fez maior, pegou e o abriu, ainda dava tempo antes de Camilla entrar.
Era uma mensagem...

 “Sei que estou bancando a pessoa mais imatura desse mundo, mas não consigo falar olhando nos seus olhos, não é por eu ser falsa, é um medo estúpido que eu não consigo arrancar do meu coração. Sei que isso é em vão, não adianta fazer mais nada, mas eu preciso só te falar uma coisa que está entalada na minha garganta me sufocando, eu não suporto mais esconder, eu preciso colocar pra fora. Eu te amo! E sempre vou amar, quero que seja muito feliz, pra mim isso já basta. Demi.”

Joe sentiu o queixo tremer, olhou pra mãe e o que mais queria naquele momento era chorar no ombro dela...
No mesmo instante, a marcha nupcial ecoou pela igreja....
Ele sentiu a espinha arrepiar-se...
Queria sair correndo daquela igreja, mas suas pernas estavam travadas.

Camilla foi entrando devagar e em seu rosto a apreensão era visível.
Parecia incomodada!
Andava tão devagar com seu pai, que juravam que em certas vezes ela parava e parecia não querer continuar...

Quando chegou até Joe, ele demonstrando cavalheirismo veio pegá-la, plantando um beijo na testa dela, apenas por respeito, mas ambos estavam com nós gigantescos na garganta.
Camilla apertou a mão de Joe fortemente, ele a olhou apreensivo.
Ambos pareciam estar prestes a entrar num matadouro.
E ele, só conseguia imaginar se no lugar de Camilla, fosse Demi...

Logo o padre começou seu sermão.

- Aqui estamos na presença de Deus, para celebrar a união de Camilla e Joseph, dois jovens apaixonados...

- Não há nesse mundo, ninguém mais especial que você! (Demi)
- O q-que está querendo dizer? (Joe perguntou arregalando os olhos)
- Me mostra como u-um homem ama uma m-mulher? (Demi perguntou entre sussurros, puxando o zíper da calça dele pra baixo)
- N-não faz a-assim... (Joe sussurrou fechando os olhos)
- Por que não? E-eu quero... (Demi sussurrou mordendo o lóbulo da orelha direita dele)
- Por que e-eu não vou conseguir me segurar, n-não vou... (Joe)
- Não segure, deixe fluir... (Demi)

Joe sentia como as lembranças lhe matavam por dentro, como pequenos filmes que o faziam lembrar de Demi...

- SERÁ Q-QUE VOCÊ NÃO PERCEBE QUE E-EU NUNCA SOFRI PELO F-FATO DO WILMER ME TRAIR? E-EU SOFRO PELO FATO DE TE V-VER CASANDO c-com outra... (Demi exclamou chorando e soltando tudo que por anos havia guardado)

Não conseguia raciocinar sobre mais nada...
Até sua visão havia ficado turva.

Sei que estou bancando a pessoa mais imatura desse mundo, mas não consigo falar olhando nos seus olhos, não é por eu ser falsa, é um medo estúpido que eu não consigo arrancar do meu coração. Sei que isso é em vão, não adianta fazer mais nada, mas eu preciso só te falar uma coisa que está entalada na minha garganta me sufocando, eu não suporto mais esconder, eu preciso colocar pra fora. Eu te amo! E sempre vou amar, quero que seja muito feliz. Pra mim isso já basta. Demi.

- É por livre e espontânea vontade que estão aqui? (o padre perguntou)

Ambos permaneceram em silêncio, dentro da igreja os convidados olharam um pro outro em sinal de interrogação.

- Joe... (Camilla sussurrou)
- Q-que? (Joe)
- Preciso te contar uma coisa. (Camilla)
- O q-que? (Joe)
- E-eu te traí, ontem... (Camilla confessou arregalando os olhos)
- Q-que? (Joe perguntou não assimilando nada do que ela havia dito)
- Me perdoa, não acho justo que você se case comigo sendo que não fui verdadeira com você. Mas estamos quites, afinal de contas não está sendo verdadeiro com você mesmo casando comigo... (Camilla)
Não precisou mais nenhuma palavra...
O padre perguntou mais uma vez quando Joseph deu as costas, decidido.

Desceu do altar e de cabeça levantada foi andando no tapete vermelho, sentindo o coração acelerar compulsivamente e sua corrente sangüínea parecia ter aumentado.

- Meu Deus, aonde ele vai? (o padre perguntou assustado)
- Bom, não vai ter mais casamento. (Camilla afirmou tirando as luvas)
- Como não vai ter mais casamento? (os pais dela e de Joseph perguntaram na mesma hora, enquanto o falatório entre os convidados começava)
- Ué, não vai ter mais casamento. Mãe me empresta o seu carro? (Camilla pediu naturalmente, como se nada tivesse acontecido)

Dianna e Eddie se olharam pasmos...

- Eu não acredito em uma coisa dessas. (Selena afirmou chocada)
- Não era isso que queria? (Nick)
- Eu queria, mas também queria dar escândalos, nem precisei, foi tão fácil, tão rápido. Ah que porcaria de casamento, cerimônia mais chata que já vi em toda a minha vida! (Selena exclamou irritada e caminhando rumo a saída)
- Vai entender . (Nick afirmou pra si e balançando a cabeça)

Miley gargalhava enquanto cantava perto de Danny...

- Eu ganhei 300 pratas, hei hei! O Danny tem a menos na conta bancária dele 300 pratas, hei hei! Vou gastar no cabeleireiro, hei hei! Agora a Demi e o Joseph vão transar, hei hei! E 300 pratas o Danny vai me dar, hei hei! (Miley cantava entre gargalhadas)
- Posso te falar a real? Vou dar com gosto essas 300 pratas, hei hei!! (Danny)

“O fogo do amor se apaga, quando ele na verdade não existe. Mas o verdadeiro amor é aquele que começa como uma faísca e sem querer domina o teu coração pra sempre...”
Stéfanie Rodrigues Abreu.

Não precisaria Joe procurar muito, ele sabia exatamente onde encontrá-la...

Depois do enterro da avó de Demi, ela pegou nas mãos de Joe e foi andando com ele até a escola onde estudavam.

- Onde está me levando? (Joe)
- Já vai ver... (Demi)

Atrás da escola, havia uma árvore e ao lado dela outras árvores que estavam encavacadas e formavam uma espécie de caverna...

- Eu preciso te mostrar esse lugar, vem comigo. (Demi afirmou puxando Joe)
- O que tem aqui? (Joe perguntou abaixando-se entre as árvores)
- Esse é o local que eu venho quando estou triste, me faz bem e eu nem sei o por quê. (Demi afirmou tristonha)
- Talvez porque aqui você fique sozinha e, não existe remédio melhor pra tristeza, que ficar sozinho. (tirando do bolso uma chave)
- É verdade... (Demi afirmou observando o que ele fazia)

Joe com a chave, riscou entre as árvores as inicias D y J.

- Antes era o seu canto, agora será o nosso. (Joe)


Mesmo depois de anos, as mesmas iniciais permaneciam riscadas entre as árvores.



Estava satisfeita em te ter como amigo
Mas o que será que aconteceu comigo?
Aonde foi que eu errei?”


- Meu nome é Joseph Jonas e o seu? (Joe perguntou levantando do chão depois que amarrou o pano no joelho dela)
- D-demetria, Demetria Lovato. (Demi afirmou limpando os olhos)
- O seu nome é muito bonito. (Joe afirmou tímido)
- O-obrigada... (Demi)

“Às vezes me pergunto se eu não entendi errado...
Grande amizade, com estar apaixonado.
Se for só isso, logo vai passar!”

Com a pessoa mais especial, ou até mesmo aquela que não lhe é direcionada...
Mas sentir-se unido com quem o coração bate mais forte, tem um gostinho especial.
Uma sensação que somente os apaixonados podem descrever, somente àqueles que verdadeiramente o sentem!

E assim, aquela noite de concretização de um sentimento, fez com que os corpos se unissem na mesma proporção que os corações de ambos!
Desfrutando de um ápice arrebatador, de uma sensação inexplicável...
De um amor, que nem o tempo apagaria...

“Mas quando toca o telefone, será você?
O que estiver fazendo eu paro de fazer...
E se fica muito tempo sem me ligar.
Arranjo uma desculpa pra te procurar...
Que tola, mas eu não consigo evitar!”

Minha pequena linda!
Como posso estar com tantas saudades de você?
Nem me liga mais, não me manda e-mail, nem sinal de fogo... Por acaso está viva?
Ou então algum mal feitor roubou a minha amiga?
Sei que se formou, fico tão feliz por você! De verdade gostaria de estar aí pra te parabenizar pessoalmente
!

“Porque eu só vivo pensando em você!
E é sem querer, você não sai da minha cabeça mais...
Eu só vivo acordada a sonhar, imaginar nós dois.
Às vezes penso ser um sonho impossível, uma ilusão terrível.
Será?”


E ele não estava errado...
Seu coração havia lhe guiado até aquele local.
A magia do amor teria unido os dois?
Ou a linda amizade que aos poucos se transformou em um sentimento arrebatador?
Mas seu coração ficou apertado, quando viu sua pequena chorando enquanto dedilhava aquelas mesmas iniciais que ele havia feito há alguns anos!

“Hoje eu pedi tanto em oração.
Que as portas do seu coração se abrissem pra eu te conquistar...
Mas que seja feita a vontade de Deus!
Se ele quiser, então, não importa...
Como ou onde, quando eu vou ter seu coração!
-“

 E-eu preciso desabafar, t-tudo está preso dentro de mim a anos, e-eu preciso colocar pra f-fora... (Demi)
- Então desabafe... (Nick)
- E-eu amo o J-joe, amo da m-maneira mais pura, desde q-que eu tinha seis anos, e-eu amo o cheiro dele, o g-gosto, o sorriso, o j-jeito de bebê, c-como ele me trata, a-amo tudo! M-mas eu só posso me c-contentar com a a-amizade dele, nada m-mais... (Demi confessou aos prantos)

“Eu faço tudo pra chamar sua atenção...
De vez em quando eu meto os pés pelas mãos.”
“Engulo a seco o ciúme...
Quando outra apaixonada quer tirar de mim sua atenção!”

“Demi sorriu sem graça, seu olhar automaticamente foi na direção de Camilla.
Morena, alta, bonita e a tal que carregaria no dedo anelar esquerdo, uma aliança que teria gravado o nome de Joseph...
Uma vadia desgraçada que tinha ousado beijá-lo na boca e, outras coisas mais.
Burra com certeza era, Demi tinha convicção quanto a isso.
Mas o fato era que se sentia um nada perto dela, Demi não era morena, preferência de Joseph, não era alta nem com salto agulha de Drag Queen e, jamais carregaria aquela aliança no dedo, a tão sonhada aliança.
Sua rival era uma linda mulher, aquela que roubaria sem dó nem piedade seu melhor amigo, seu grande amor...”

“E assim o fez, colou os lábios no de Demi que afoita tratou de devorá-lo no beijo.
Segurou forte no cabelo de Wilmer e respirava ofegante entre o beijo...
Joseph virou um copo de Vodka quando se deparou com aquela cena...
Não podia acreditar naquilo, não queria ver aquilo!
Fechou as mãos querendo bater em alguém, aliás, queria bater em Wilmer, e principalmente em Demi”

O coração apaixonado é bobo...
Sorriso seu e ele derrete todo.
O teu charme e o teu olhar!
Tua fala mansa me faz delirar!”

- Às vezes é engraçado se deparar com o fato de como o coração nos leva ao lugar certo. (Joe)

-------------------------------------------------------------------------------------------



AEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEE, primeira parte postada, agora depende de vocês se o final rola hoje ou não, até a 00h quero mais que 24 comentários diferentes, se rolar eu posto o final hoje, senão só no domingo, pois amanhã tenho compromisso o dia todo e a noite eu vou sair com a galera aqui. Bom é isso meninas!

Bjo nas crianças!






My Best Friend ( Mini Fic Capitulo 21 - Penúltimo)

Perfeita *-*


“Used to run and hide, Used to bend our love, But I can't scape this time…”



- P-podemos, claro. Senta aqui. (Joe afirmou sentando novamente no sofá)

Demi sentou-se e olhou nos olhos dele, automaticamente sentiu como os seus transbordavam de lágrimas.

- M-me perdoa? (Demi perguntou com a voz embargada)
- Pequena... (Joe)
- E-eu não queria ter b-brigado com você. E-eu odeio quando isso a-acontece, me s-sinto mal! (Demi exclamou começando a chorar)
- Não chora, eu também odeio brigar com você. E me perdoe você por eu ter me metido em sua vida, não tenho esse direito. (Joe afirmou segurando as mãos dela)
- T-tem sim, você é meu a-amigo e me d-defendeu do Wilmer da o-outra vez... (Demi)
- Não importa, quem tem que decidir sobre sua vida é você. (Joe sussurrou limpando as lágrimas dela)
- V-você cuidou de mim e e-eu nem agradeci... (Demi)
- Não tem problema, você estando bem é o que interessa. (Joe)
Demi enxugou os olhos respirando fundo...

- J-joe... (Demi)
- Vou pedir pra te colocarem no altar, você é minha madrinha e quero que esteja lá. (Joe)
- N-não... (Demi)
- Mas você é a minha madrinha... (Joe)
- Não q-quero e já te falei isso, f-fora que devem ter colocado uma pessoa no meu l-lugar. (Demi)
- Eu a tiro agora. (Joe)
- N-não quero... (Demi)
- Ok... (Joe)

Um silêncio prevaleceu sobre aquela sala...
Demi levantou-se com menção de sair, mas algo a prendia ali dentro.

- Joe, eu consegui. Passei na Federal! (Demi exclamava alegre depois de conseguir passar no vestibular de Arquitetura na Universidade de Nova York)
- Eu sabia que ia conseguir pequena, você lutou e conseguiu. (Joe afirmou feliz e abraçando-a)
- Faz idéia do quanto eu estudei, das noites em claro, de todo esforço gasto? (Demi)
- Faço e é por isso que você merece, por ser esforçada. Você lutou e sempre tem que lutar pelo que quer, nunca deve desistir. Conseguimos as coisas quando vamos atrás, se ficarmos de braços cruzados, nada acontece! (Joe)

“Só uma coisa torna um sonho impossível: o medo de fracassar. Devemos lutar pelos sonhos e não temer o fracasso, pois, mais fracassado é aquele que não tenta...
Paulo Coelho.

Demi sentou-se novamente, a coragem era mínima, mas suficiente pra fazê-la soltar tudo.

- E-eu posso estar sendo a m-maior filha da puta, u-uma imbecil, ir a-atrás de algo que jogou fora h-há alguns anos... (Demi)
- O que? (Joe perguntou não entendendo nada)
- D-deixa eu terminar, p-por favor... (Demi sussurrou fechando os olhos)
- T-termina. (Joe)
- A p-pior burrada que eu fiz n-na vida foi n-não ter tentado d-depois daquela noite... (Demi)
- D-demi... (Joe)
- Você n-não faz idéia do q-quanto eu amargo isso, d-do quanto eu me sinto uma estúpida por ter jogado tudo pro alto, t-tudo... (Demi)
- Continua... (Joe)

Mas o medo persistia e a coragem, escorria pelo ralo...
E pra ele, bastava apenas ela continuar com aquela declaração.

- E-eu quero que você seja f-feliz, só i-isso. Case, t-tenha muitos filhos e viva i-intensamente. (Demi sussurrou chorando e omitindo o que de fato queria dizer)

Joe frustrou-se totalmente...

- Se você não é direta, eu sou. Será que não percebe que não quero te ver como madrinha? HEIN? (Joe gritou)
- B-boa sorte, b-bom casamento. (Demi sussurrou andando em direção da porta)
- Volta aqui, Demetria. (indo até ela)
- N-não quero... (Demi)
- Fala logo o que você quer dizer, é só o que eu preciso escutar... (Joe)
- S-seja feliz, é isso. (Demi)

Demi saiu da sala transtornada, não conseguia colocar pra fora o que sentia e aquilo a sufocava.

- Não vou aceitar, isso... Volte aqui, Demetria. (Joe afirmou correndo atrás dela)

Mas, foi barrado no corredor, já que uma das organizadoras do casamento vinha em sua direção.

- Joseph, a Camilla já chegou com o pai dela. (a organizadora)

Joe esfregou o rosto irritado, queria tanto empurrar aquela organizadora pra longe, e ao mesmo tempo queria bater em Demi.
Por que ela sempre estragava tudo?

- Que se dane, não vou atrás de uma pessoa que nem tem coragem de falar o que sente. (Joe sussurrou) Ok, vamos começar logo com esse casamento, pra que acabe logo essa noite. (falou sério com a organizadora)
- Ok. (a organizadora afirmou olhando estranho pra ele)

Demi correu até a igreja, seus pais estavam sentados na primeira fila.
Ela foi até eles e sentou-se entre os dois, deitando a cabeça no ombro da mãe...

- Meu bebê, quer ir embora? (Dianna perguntou beijando a testa dela)
- M-mãe... (Demi sussurrou chorando)
- Falou com ele tudo o que sente? Filha, se ele disse não, levante a cabeça e faça sua vida, guarde-o como uma boa recordação e conserve a amizade, mas não sofra desse jeito, siga em frente. (Dianna)

O pior de tudo, é que ela nem havia tentado...
Nem teria como ouvir um
 não, se nem tinha perguntado nada!

Dianna sempre fora sua confidente por todos esses anos, a única com quem Demi conseguia se abrir.
Mas todos os conselhos de Demi referente a ela ser verdadeira com Joe, talvez não tenham sido escutados.

- Quer ir embora? (Dianna)
- N-não... (Demi)
- E pra que vai ficar? Pra sofrer? (Dianna)
- N-não quero ir, q-quero ficar. (Demi)
- Tudo bem, se é isso que quer. (Dianna)

Demi pegou nas mãos de Eddie, seu pai e ficou ali observando a bela decoração do altar...
E aos poucos sentia que nada mais poderia ser feito, que agora ela o perderia e mais uma vez, por seu medo
.
“Você me faz querer viver, e o que é nosso está guardado em mim e em você. E apenas isso basta...”
Diego Ferrero cantado por NX Zero.

Os casais de padrinhos entraram na igreja sob o som de Ave-Maria.
Demi continuava sentada, enquanto todos estavam de pé...
Danny a observou do altar, pegou o celular e suspirou escrevendo uma mensagem.

Alguns segundos depois, o celular de Demi indicou uma mensagem.
Ela o pegou e abriu...

“Eu talvez não seja o seu príncipe encantado, nem o homem dos seus sonhos,  Não garanto pra você que depois de uma bebedeira te levarei pra cama, mas posso te afirmar que sempre que eu estiver em uma festa com você, te convidarei pra uma dança! E aí Devonne, topa dançar a valsa comigo? Beijos, Danny.”

Demi sorriu e lançou um olhar pro amigo, era bom ter pessoas fiéis ao seu lado.
Era bom ter grandes amigos, mas era terrível perder um grande amor...

Demi estremeceu quando uma música religiosa começou indicando que Joseph entraria junto com Denise.
Fechou os olhos segurando as lágrimas que insistiam em escorrer.
Sentia-se tão mal, mas não conseguia expressar seu sentimento, não conseguia correr atrás do que queria
Joe respirou fundo antes de entrar na igreja, sentia como se todas aquelas pessoas que o observavam quisessem o engolir.
Parecia estar tendo um ataque de pânico, mas em silêncio.

- Eu vou fingir um desmaio, vou gritar, quebrar tudo, mas não vou admitir que ele fale um sim. (Selena sussurrou pra Nicholas)
- Sel, nem tente algo desse tipo. Por favor. (Nicholas aconselhou temendo um escândalo)
- Quero fazer escândalo e vou fazer. (Selena)
Miley arrumava os cabelos e gargalhava sozinha.

- Fumou maconha? (Danny sussurrou)
- Estou aqui pensando com meus botões uma coisinha... (Miley)
- Que coisinha? (Miley)
- Imagine se na hora do padre falar se tem alguém que queira impedir a cerimônia aí aparece uma mulher cheia de filhos e fala:
 Eu, ele é o pai dos meus meninos e não pode casar. Ia ser muito engraçado. (Miley afirmou rindo)
- Imagine então se vier uma bicha gritando que ele e o Joe são amantes há anos, isso sim seria engraçado. (Danny)
- Ou então eu poderia gritar:
 Não se case, vamos retomar nosso romance e vivermos felizes para sempre! Fala sério... (Miley afirmou ainda entre gargalhadas)
- Eu ia achar o máximo é se uma certa Loira gritasse nessa hora. (Danny apontou com a cabeça para Demi)
- Eu aposto 300 pesos que não acontece casamento. (Miley)
- Não viaja loira, não tem mais jeito, vai ter casamento. (Danny)
- Se tem tanta certeza, então aposte comigo. (Miley)
- Fechado, se tiver você me dá 300 e se não tiver, eu te dou. (Danny apostou tocando na mão dela)
- Fechado. (Miley)

Joe passou pelo tapete vermelho ao lado de sua mãe olhando apenas pra frente, nem se dava ao trabalho de olhar para os lados. Nem queria...
Mas acabou vendo Dianna em pé o observando, sorriu constrangido e pôde observar a cabeleira Loira que permanecia sentada.
Sentiu um vazio inigualável, uma sensação jamais sentida e os olhos marejaram, não indicando emoção por estar se casando, indicando tristeza!
Joe parou no altar e Denise foi ao lado de Paul chorando, não por ser a mãe do noivo e estar emocionada vendo o filho feliz, pelo contrário, chorava por vê-lo fazer algo que de fato ele não queria!
Automaticamente seu olhar foi no de Demi, aí sim a insegurança tomou conta do coração dele...
Não estava querendo aquele casamento e o olhar dela parecia implorativo.

- E-eu vou embora m-mãe, eu não t-to suportando ficar a-aqui! (Demi sussurrou chorando e olhando pra Joe)

Nem deu tempo de Dianna falar alguma coisa, Demi levantou sob os olhares de Joe e foi andando rumo à saída.
Não suportaria ficar mais um segundo naquele local.
Dianna levantou-se, mas Eddie a puxou.

- Ela precisa ficar sozinha, deixe-a... (Eddie)

Dianna suspirou, ele tinha razão.
Nada melhor do que ficar sozinha quando se precisa pensar...

Demi apoiou-se na parede e mirou fundo nos olhos de Camilla, ela estava posicionada e pronta pra entrar...
Abaixou a cabeça e saiu dali, sem saber pra onde ir.
------------------------------------------------------------------------------------------------------------



Gente me desculpem, eu ontem cheguei tão cansada do trabalho que não consegui entrar aqui pra postar pra vocês, então esse é o penúltimo capítulo, se vocês comentarem muuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuito hoje eu posto o final.
BUAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA acabou a fic... =(
Bom, pensei numa coisa e quero a ajuda de vocês, mas só quando a fic acabar.
Bom feriado pra vocês =D
Bjo nas Crianças  


28/03/2013

Avisos da Juh / #PomPoms5




Oieee amores , sumi né ? desculpa , okay ... muita coisa na minha cabeça , eu to correndo atrás de documentos novos , sabe como é .. fiz 18 anos ... agr vida de adulto, titulo de eleitor, dentre outras coisas e fica puxado de entrar. Queria AVISAR que não vou aparecer aqui esse fim de semana, pelo menos até domingo =/ **Mas porque Juh ?** Por que eu vou num passeio(retiro) da igreja .. to indo hoje e pra onde vou tenho quase certeza que nem sinal de celular tem , que dirá internet  kkkk bom , vai ser bom pra mim pensar sobre algumas coisas e sobre futuras novas fics kkkk ... MAS fiquem tranquilas que a Leka vai estár aqui cuidando de vocês bebês =))) Bom a fic ta no fim , acho que termina esse fim de semana e pensaremos sobre a nova fic do blog ... mas deixa isso pra semana que vem.

BOM , era isso mesmo ...

MENINASSSSSSSSSSSSSS ... quem tá ansiosa para o novo SINGLE dos Jonas ??? #PomPoms ... faltam 5 dias e eu to morrendo  kkkkkkkkkk sérin ...








Até breve amores =))) curtem ai as fotos promocionais de Pom Poms =)) #LINDASSS


26/03/2013

My Best Friend (Mini Fic Cap 20 )

Gostoso *-*


“O tempo pode apagar a lembrança de um corpo ou um rosto, mas nunca de pessoas, que souberam fazer de um instante, um grande momento...” Um desconhecido.





Joe desligou seu celular assim que acordou, sabia que muitos iriam ligar por causa de seu aniversário.
Os convidados do casamento iriam cumprimentá-lo na festa, mas enfim, não queria falar com ninguém.
Pegou seu IPOD e colocou os fones de ouvido, precisava escutar alguma música que o tirasse daquela apreensão que estava sentindo, que o fizesse refletir sobre esse acontecimento de sua vida.

- Qual profissão você quer seguir quando crescer? (Demi perguntou)

Demetria e Joseph estavam na saída da escola que estudavam, esperando Dianna, mãe de Demi buscar os dois...
Ela estava com quatorze anos e ele com quinze.

- Quero ser médico, sempre quis desde pequeno e, gosto de cuidar das pessoas, principalmente das crianças! (Joe)
- Eu percebo, só você tem saco pra agüentar os chatos dos meus priminhos. (Demi afirmou revirando os olhos)
- Ah, eles são muito pequenos e é preciso de paciência! (Joe afirmou rindo e apertando as bochechas dela)
- Eu não tenho paciência e isso já é fato. (Demi)
- Percebe-se, mas e você? O que quer ser quando crescer? (Joe)
- Meu sonho de verdade é ser cantora, subir no palco e soltar a franga, mas não sei se minha voz se encaixa nesse perfil, então me contento com a Arquitetura ou então serei filósofa. (Demi)
- Filósofa? Pequena, você viaja... (Joe falou rindo)


Até escutar uma música o fazia lembrar de Demi, o sonho incabível dela e as inúmeras tentativas dela cantar em um videokê, mas ela se saía bem às vezes e, sempre o coração dele acelerava...
Nem era preciso falar sobre a Filosofia, era inevitável ouvir o nome Platão e lembrar-se dela...
Tirou os fones de ouvido e levantou-se da cama...
Parecia uma tormenta, algo que martelava em sua mente.
Lembranças que surgiam como flashes, um pequeno filme de recordações...
Foi até a varanda e, tudo continuava a aparecer em sua memória.

- Dem, rapel no prédio? (Joe perguntava pasmo)

Demi sempre fora medrosa com relação à altura, mas gostava da adrenalina e a última que ela havia inventado, era fazer rapel em um prédio de Nova York, onde os dois passavam as primeiras férias da faculdade dele.

- Qual o problema? É super legal. Ok, vou até fazer xixi nas calças, mas eu vou! (Demi exclamou sorridente e colocando o capacete)
- Nem pense em desmaiar hein? (Joe)
- E eu tenho na minha um frente um futuro médico pra que? (Demi)
- Eu ainda não sei quase nada, melhor não contar com isso. (Joe)
- Ah Chris, para de falar e vem comigo, faz também, por favor? (Demi)
- Não sei... (Joe)
- Você pulou do maior bungee jump do mundo e vem com frescura agora? (Demi)
- Ta, ok. Vou, mas é pra te acompanhar, porque não quero ficar bancando o homem aranha... (Joe)

No meio do percurso que faziam pra descer o prédio, a corda de Demi foi pra perto de Joseph e acidentalmente ela acabou dando de cara com ele, ocasionando um belo desconcerto, já que quase se beijaram...


Joe suspirou, seria um aviso?
Mas porque só uma coisa martelava em sua cabeça?
As palavras dela...

- SERÁ Q-QUE VOCÊ NÃO PERCEBE QUE E-EU NUNCA SOFRI PELO F-FATO DO DANIEL ME TRAIR? E-EU SOFRO PELO FATO DE TE V-VER CASANDO c-com outra... (Demi exclamou chorando e soltando tudo que por anos havia guardado)

Era inevitável... Qualquer coisa o faria lembrar dela!

- Droga... (Joe sussurrou fechando os olhos)

Nem ao menos estava falando com ela, a semana toda passaram como desconhecidos, até mesmo se esbarraram no elevador, mas nenhum dos dois conseguiu abrir a boca, o silêncio era a grande barreira naquele momento.
E esse silêncio, não estava botando a perder apenas o amor, a amizade tão cultivada por ambos nesses inesquecíveis dezessete anos, estava tornando-se apenas recordações, lembranças...
Estava ficando pro passado e, não seguiria no futuro.

Demi permanecia embaixo das cobertas, brincava com um joguinho de seu celular e parecia estar em um de seus momentos autistas...
Era assim que queria permanecer pelos trezentos mil anos que viriam pela frente, queria se isolar do mundo de qualquer maneira.
Queria fugir...

- Não precisa ter medo, estou aqui com você. (Joe afirmava abraçando-a)

Os dois estavam no cemitério, era o enterro da avó de Demi e a garota tremia de medo por deparar-se com sua avó como um cadáver, ela chorava compulsivamente.
- E-eu não consigo suportar, n-não... (Demi sussurrava chorando)
- Pequena, a dor vai passar e sabe o que vai sobrar? Lindas lembranças de uma pessoa que morreu fisicamente, mas continua viva nos seus sonhos e no seu coração... (Joe)
- Pede pro m-meu pai me l-levar daqui, q-quero ir embora. (Demi)
- Peço e, também vou. Não quero te deixar sozinha, mas lembre-se, estarei aqui sempre, mesmo que estiver ausente de corpo, estarei presente no seu coração. (Joe exclamou apontando o coração dela)


Demi fechou o celular e os olhos, o medo que a comandava a impedia de ser feliz...
As lembranças de que viveram uma linda história de dois amigos que se apaixonaram, mas tudo parecia estar ficando pra trás...
Ela não queria recordar-se de Joe, ela queria estar com ele presente em todos os instantes de sua vida, e se contentava com que ele fosse apenas seu
 melhor amigo.
E ela sabia que, mesmo ele não estando fisicamente naquele quarto, ela o sentia cada vez mais próximo...
Assim como ele lhe falou um dia e, seria feliz alimentando aquele doce amor, imaginando e sonhando com um romance que não viria a acontecer, mas a confortava apenas sonhar...
Poderia ser a mais boba das mulheres, mas sentia que continuaria amando-o até seu último suspiro de vida.
Ela o veria casando, tendo filhos e ela sendo apenas a Demi amiga, a
 pequena amiga...
O veria sendo feliz ao lado de outra mulher, amando-a como ela queria que ele lhe amasse.

Iria se magoar, sentir a amargura de não ser correspondida.
Mas não queria esquecer todos os anos de amizade, todos os momentos especiais.
Passaria pelo orgulho, mas tê-lo ao seu lado era sua sina.
Talvez ela pudesse ser madrinha de um filho dele, filho que ela sonhava em ser a mãe, mas dizem que madrinha é a segunda mãe, não é mesmo?

Iria sofrer, mas um dia ela poderia se conformar...
Aceitar algo que ela já sabia que era impossível.
Amar um amigo e sofrer por ele era algo que Demi não desejava a ninguém...
Nem mesmo a sua pior inimiga, aliás, sua pior inimiga o amava!
Nem poderia citar a “inimiga” com relação à Camilla, não a odiava, mas ela era a pessoa que quebraria de vez os sonhos de Demi...
Mas o pior era se deparar com o fato de que a culpa era dela mesma e, o grande inimigo de Demi, era o medo que guardava dentro de si.
A covardia que não a fazia correr até Joseph e amarrá-lo no pé da cama pra que ele não se casasse.
A razão de Demi estar no mundo era sentir esse grande amor e sua luta seria superar o medo pra vivê-lo intensamente...
O casamento estava marcado para as vinte e uma e trinta, eram vinte horas e Joe já estava na igreja...
Vestia um elegante fraque preto estilo “pingüim”, típico de noivos, em seu bolso um cravo branco e os cabelos curtos, estavam levemente arrepiados com gel. Seu cheiro a la Hugo Boss exalava por todos os cantos.
Estava na sala paroquial sentado em um sofá, apoiando a cabeça pra trás, olhava pro teto entre pensamentos que ele ocultava do mundo exterior.
Até mesmo queria evitar as felicitações do casamento e do aniversário, não queria ver ninguém.

Do lado de fora, Selena queixava-se com a tia...

- Tia, não vou deixá-lo casar, ele não quer. (Selena choramingava)
- Não temos mais nada a fazer, querida. (Denise)
- Mas ele não ama a Camilla, eu tenho certeza. (Selena)
- Ele é adulto, sabe o que faz da vida dele. (Denise)
- É adulto nada, um baita crianção. Um bebê. (Selena)
- Querida, ele já não é mais o nosso bebê, infelizmente hoje o Joe deixa de ser isso. (Denise)
- Não, ele sempre vai ser o meu bebê. (Selena)
- Eu só espero que ele seja feliz, só isso. Olha quem está vindo aí, a Dianna e o Eddie. (Denise afirmou apontando os pais de Dulce que se aproximavam delas)

Joe jurava sentir aquele cheiro de sândalo e maracujá, característico do perfume tão marcante dela...
Sentia o aroma cada vez mais próximo.
Estava ficando louco, imaginando coisas...
Até que escutou um barulho de saltos tocando o chão.
Nem precisou levantar a cabeça, apenas a voz o tirou do transe...

- P-posso entrar? (Demi)...

.“Desde pequeños descubrimos que vinimos a este mundo por uma razón... Y cuando creces aprendes que tiene que luchar para saber cual es ella...”Dulce Maria.



---------------------------------------------------------------------------------


Meninas, provavelmente só devo postar agora na quinta feira a noite quando chegar, pois estou mega atarefada com o espetáculo itinerante que estamos fazendo pra páscoa, e só paramos na quinta, então me perdoem, mas só terá post na quinta, e provavelmente vou postar os dois últimos capítulos, é a fic ta no fim ( BUAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA).

 Espero que curtam e comentem muito pra eu ficar feliz, pois to mega cansada e vim aqui pra postar pra vocÊs.
É isso, brigada pelo carinho e paciência de vocês!
Bju nas crianças!