08/07/2012

Capitulo 10 - Parte 1








Eis o que acontece quando você impede que um louco mate o presidente dos Estado
Unidos.
De repente, todo mundo (todo mundo, no mundo inteiro) quer ser seu amigo.
Falando sério.

E não é só gente que envia balões desejando melhoras e ursinhos de agradecimento
(tudo foi doado para a ala infantil antes de partirmos). Quando cheguei em casa do
hospital, no dia seguinte àquele pequeno incidente na frente da Capitol Cookies,
tinha 167 mensagens na nossa secretária eletrônica. Só umas vinte eram de
pessoas que eu de fato conheço mais ou menos e tipo, de gente como a minha avó ou
a Selena ou alguém assim. Todo o resto era de repórteres e de gente igual à
Megan Parks, que parecia ter esquecido tudo a respeito daquele negócio de
fonoaudiologia.

-Oi Demi – ela cantou com aquele voz falsa de Megan Parks. – Sou eu, a Megan! Só estou ligando para saber se você quer vir à minha festa no próximo sábado à noite. Meus
pais vão estar em Aruba, então a gente vai detonar! Mas só vai ser legal se você
vier.

Não dava para acreditar. Tipo assim, é de se pensar que a Megan pelo menos tentaria
ser um pouco mais sutil do que isso. Ela não me convidava para ir a uma festa na
casa dela desde a segunda série, e lá estava ela, fazendo as pazes como se nunca
tivéssemos deixado de ser amigas. Era irreal.

Mas a Dallas não dividia minha revolta. Ela só mandou:

-Que legal, festa na Megan. Vou levar o Logan.
Ao que meus pais responderam, em uníssono:

-Ah, não, não vai não – e logo aproveitaram para falar também que não tínhamos
permissão para ir a festas onde não houvesse pelo menos um adulto responsável.
Principalmente se fosse na companhia de Jack, que fora pego nadando pelado na
piscina do Clube de Campo de Chevy Chase, no último baile de Natal. (Como os
Ryder eram sócios, o incidente foi abafado. Mas, por azar, não tão abafado a ponto
de os meus pais não ficarem sabendo. Acho que eles ficariam mais felizes se a Dallas
saísse com um cara que nunca questionasse a autoridade e aceitasse docilmente
tudo o que fosse despejado em cima dele, como a maior parte dos integrantes da
nossa geração, em vez de alguém que pensa por si, como o Logan.)

A Dallas não pareceu muito preocupada com o fato de nossos pais dizerem que ela
não podia levar o Logan à festa da Megan. Em vez disso, foi até a janela para acenar
mais um pouco para os repórteres que estavam estacionados no nosso gramado.
Mas o recado da Megan Parks nem era o mais inacreditável de todos. Também
recebemos ligações de metade dos repórteres que tinham estado na coletiva de
imprensa, querendo saber ser era possível marcar entrevistas exclusivas comigo.
Todos os programas de notícias da TV (tipo 60 minutos, 48 hours, Dteline, 20/20)
queriam fazer uma reportagem comigo, e pediram que entrássemos em contato
assim que possível.

Fala sério. Como se desse para ficar uma hora falando de mim. A minha vida não
passa de uma série de humilhações, uma seguida da outra. Se eles quiserem se
aprofundar na minha língua presa e em como eu me curei do meu desejo irracional
de xingar a Megan Parks com todos os palavrões com S que existiam, bom, então que
ótimo para eles. Mas, de certo modo, eu suspeitava que eles estavam atrás de
alguma coisa mais na linha do triunfo da alma humana.

Depois, foram as ligações das empresas de refrigerante. Fala sério. A Coca-Cola e
a Pepsi queriam saber se eu estava interessada em assinar contratos de
propaganda. Tipo assim, como se eu fosse ficar parada na frente de uma câmera e
mandar: “Beba Coca-Cola, como eu faço. Daí você também pode se jogar em cima de
um fã maluco da Christina Aguilera e quebrar o pulso em dois lugares.”
Finalmente, o recado mais perturbador de todos, era aqueles que eu mais temia.
Cheguei mesmo a esperar, contra todas as possibilidades, que essa mensagem não
tivesse mais lá quando ouvimos todos os recados de novo. Mas eu estava errada.
Super errada.

Porque o recado número 164 continha o seguinte texto, falado por uma voz
bastante conhecida:

-Demetria? Oi, aqui é a Sophia McDylan. Sabe como é, do ateliê. Demetria, eu
gostaria muito que você me ligasse assim que receber este recado. Precisamos
conversar a respeito de algumas coisas.

Ao ouvir isso, é claro que eu entrei em pânico. Pronto. Todas aquelas súplicas para
os caras do Serviço Secreto tinham sido em vão. Meu segredo estava destruído. Eu
estava morta.

Precisei retornar a ligação de Sophia McDylan em segredo (assim, ninguém ia ouvir por
acaso o que eu achava que seria um monte de humilhação da minha parte), e por
isso precisei ficar rodeando o meu pai e esperando ele terminar de falar com a
companhia telefônica para que trocasse o número, por um que não estivesse na
lista. Tivemos de fazer isso porque algumas das 167 mensagens tinham sido um
pouco efusivas demais, você sabe do que eu estou falando. Uns caras tipo o Lary
Wayne Rogers (agora o Lary Wayne Rogers estava enfiado em alguma cela de
prisão de segurança máxima, esperando pela audiência preliminar com o juiz) que
queriam mesmo, mesmo, me conhecer. Aparentemente, para eles, minha foto
pavorosa da carteirinha de estudante não era nada desanimadora.

Os caras do Serviço Secreto sugeriram que mudássemos o número do nosso
telefone e talvez instalássemos um sistema de alarme na casa. Eles continuavam
por ali, no geral mantendo as pessoas afastadas, enquanto alguns guardas
municipais controlavam o trânsito na nossa rua, que de repente começou a receber
tráfego quatro ou cinco vezes maior do que o normal: as pessoas que tinham
descoberto onde eu morava passavam na frente de casa bem devagarzinho,
tentando me ver, nem que por um segundo (mas não me pergunte por quê). É muito
raro eu estar fazendo qualquer coisa interessante, A maior parte do tempo eu só
fico no meu quarto comendo tortinhas doces e desenhando retratos do Logan ao
meu lado, mas tanto faz. Acho que o pessoal só queria ver como era a cara de uma
heroína nacional de verdade.

Porque é isso que eu sou agora, goste ou não. Uma heroína.
E isso é só um nome diferente, parece, para alguém que estava no meu lugar
errado, na pior hora possível.
Bom, quando o papai acabou de falar com a companhia telefônica, eu retornei a
ligação da Sophia McDylan (mas só depois de pedir conselhos a Selena).

-Jantar? – foi tudo o que ela conseguiu dizer. – Você leva uma bala pelo presidente
dos Estados Unidos e tudo o que ganha é um jantar?

-Eu não levei bala nenhuma por ele – lembro a ela. – E é um jantar na Casa Branca. E
podemos por favor não nos desviar do assunto em questão? O que é que eu vou
falar para a Sophia McDylan?
-Qualquer um pode jantar na Casa Branca se pagar bem – Selena parecia
verdadeiramente revoltada. – Eu achei que você ia ganhar algo melhor do que um
simples jantar. Você deveria receber pelo menos uma medalha de honra, ou
qualquer coisa assim.

-Bom – respondi. – Talvez eu receba. Talvez eles me dêem uma no jantar. Mas me
fala, o que é que eu vou dizer quando ligar para a Sophia McDylan?

-Demetria – disse Selena com uma voz mais próxima de impaciência que eu
jamais a escutara falar. – Eles não entregam medalhas durante jantares. Fazem
uma cerimônia especial para isso. E você salvou a vida do presidente. Sua
professora de desenho nem vai ligar que você cabulou aquela aula idiota.

-Não sei, Sel – respondi. – Tipo assim, a Sophia McDylan é muito séria quando se
trata de arte. Ela deve estar ligando para me expulsar do curso ou algo assim.

-E daí? Eu achava que você queria ser expulsa da aula. Eu achei que você odiasse
aquilo, não estou certa?

Pensei sobre o assunto. Será que eu tinha odiado? Bom, não a parte de desenhar.
Isso tinha sido bem divertido. E também gostei da parte em que o Joseph disse que
gostava da minha bota.
Mas o resto (a parte em que a Sophia McDylan tentou acabar com o meu direito à
expressão criativa e impedir que eu desenhasse com o coração, fazendo com que eu
me sentisse humilhada e envergonhada na frente de toda aquela gente, inclusive,
agora eu sabia, o filho do presidente dos Estados Unidos) tinha sido nem vexatório.
No geral, concluí, ser expulsa da aula de arte da Sophia McDylan até que não seria
nada mau.
Assim que terminei de falar com a Selena, disquei o número da Sophia McDylan,
ansiosa para acabar com aquilo de uma vez.

-Hum, oi – falei, hesitante, quando ela atendeu. – Aqui é a Demetria Lovato.

-Ah, olá – respondeu Sophia McDylan. Ouvi um grasnado conhecido no fundo. Então o
corvo Zac não morava no estúdio, ele ia e voltava de lá com a dona. Que vida boa
para um pássaro grande e feio daqueles, que ainda roubava cabelo. – Obrigada por
retornar a minha ligação, Demetria.

-Hum, não tem problema – respondi. Daí, depois de respirar bem fundo, arrisquei: -
Olha, peço mil desculpas pelo outro dia. Não sei se a senhora soube o que
aconteceu...
Sophia McDylan me surpreendeu quando começou a rir.

-Demetria, não existe ninguém ao sul do Pólo Norte que não saiba o que aconteceu
com você na porta do meu ateliê, ontem.

-Ah – fiz eu. Então me apressei para falar logo a mentira que tinha inventado. Se
eu fosse o Logan, teria simplesmente contado a verdade; sabe, que eu tinha ficado
ofendida com a tentativa dela se subjugar a minha integridade artística.
Mas já que não sou o Logan, simplesmente articulei a primeira coisa que veio à minha
cabeça.

-O negócio é que... é, eu não fui á aula porque estava chovendo muito, sabe como é,
e eu fiquei muito molhada, sabe como é, então dei uma parada na Static para me
secar, sabe como é, antes da aula, e daí eu não sei o que aconteceu, mas acho que
tipo perdi a noção do tempo, e quando eu percebi, já...

-Isso não tem a mínima importância, Demetria – Sophia McDylan, para a minha grande
surpresa, interrompeu. Reconheço que não foi a melhor mentira de todas, mas foi a
melhor que eu consegui inventar. – Vamos conversar a respeito do seu braço.

-Meu braço? – olhei para o gesso. Já estava ficando tão acostumada com ele que
era como se sempre estivesse estado lá.

-Isso mesmo. Você quebrou o braço que usa para desenhar?
-Hum. Não.

-Que bom. Então, vejo você na aula de terça-feira?


Continua ...




**Meu deus ! tavam falando que o Joe Jonas fez ou vai fazer uma Tatoo , WHAT ???


Enfim ... Espero que goste ... e eu queria saber se vocês querem
que eu poste mais 1 capitulo hoje ??? 


Deixem seus comentários !!! 


xoxo


Resposta dos Comentários anteriores :


Mah Jonas Obrigadoooo , é realmente um prazer saber que você lê a minha fic ♥
eu amo a sua !!! Muito obrigado mesmo =)) Continue comentando =)) Beijonas

Maay Postei Maay , Obrigado por comentar =))) 

Diana (DSP) Que bom que gostou =)) De nada ... achei que vocês iam querer ver =) 
Eu olhei o Blog que me falou , achei bem interessante , Já estou seguindo XD Postei =)

That´s Just Me Obrigado =))) Que bom que gostou !!! postei fofa =)

Silvia Obrigado por seguir !!! De nada .. também adorei o seu =)) Postei 

Rany Dias Postei , Obrigado fofa =) 


3 comentários:

  1. POSTA LOGO MTO BOA ESSA HISTORIA ....

    ResponderExcluir
  2. faz uma maratona ....posta logo ...... estouu amando a fic ....(quero jemi rapido)

    ResponderExcluir
  3. cap perfeito....

    qru jemi ....

    faz maratona

    bjo bjo e posta logo

    ResponderExcluir

Sem comentários ........... sem capítulos!