28/06/2012

Capitulo 4 - Parte 1






Quando contei ao Logan o que tinha acontecido no Estúdio de Arte Sophia McDylan, ele só riu.
Riu! Como se fosse engraçado!
Eu meio que fiquei ofendida por causa disso, mas acho que devia ser meio
engraçado. De certo modo.

- Demi – ele sacudiu a cabeça, e a cruz egípcia de prata que carrega na orelha
brilhou com a luz. – Você não pode deixar o sistema vencer, Você precisa lutar
contra o sistema.

Muito fácil dizer isso. Afinal, ele tem 1,95m e pesa mais de 90 kg. O técnico de
futebol americano da escola fez de tudo para convence-lo a entrar no time depois
que o melhor defensor de linha se mudou para Dubai.
Mas o Logan nunca faria parte do estratagema do treinador Nathan para dominar o
campeonato do nosso distrito escolar. Logan não acredita em esportes organizados,
mas não porque tenha, como eu, ficado ressentido por aquela atividade consumir
fundos valiosos que poderiam ser destinados ao departamento de arte. Não, o Logan
está convencido de que os esportes, assim como a loteria, só servem para enganar o proletariado e leva-lo a acreditar que um dia vai se elevar acima de seus colegas bebedores de cerveja e motoristas de pick-ups.

É muito fácil para um cara como o Logan lutar contra o sistema.
Eu, por outro lado, só tenho 1,60 m e não sei quanto peso, já que a minha mãe jogou fora a balança depois de ler uma reportagem a respeito de como a anorexia atinge as adolescentes. Além disso, nunca consegui me pendurar na corda durante as aulas de educação física, já que herdei do meu pai a total falta de força na parte superior do corpo.

Quando fiz essa observação, no entanto, o Logan começou a rir ainda mais, o que eu achei, sabe como é, meio sem educação. Para um cara que supostamente é a minha alma gêmea e tal. Mesmo que ele talvez ainda não saiba disso.

- Demi – explicou ele –, não estou falando de lutar contra o sistema de maneira
física. Você precisa ser mais esperta do que isso.

Ele estava sentado na mesa da cozinha, servindo-se de uma caixa de rosquinhas
com cobertura de chocolate que a Helena comprou para o lanche da tarde. A
gente não costuma ter doces para comer no lanche. A minha mãe só quer que a
gente tenha maçãs, bolachas integrais e leite, coisas assim. Mas a Helena, ao
contrário dos meus pais, não liga para as notas do Logan nem para as afirmações
políticas que ele gosta de fazer com uma espingarda de chumbinho, de modo que,
sempre que ele aparece e ela está por lá, é uma festa só. Às vezes ela até assa um bolo. Uma vez, fez brigadeiro. Estou dizendo, a Dallas sair com o único cara no mundo que inspira a Helena fazer brigadeiro prova definitivamente que não existe justiça no mundo.

- A Sophia McDylan está sufocando a minha criatividade – exclamei, indignada. – Ela está tentando me transformar em algum tipo de clone artístico...

- Claro que está – Logan parecia surpreso ao dar uma dentada em mais um bolinho. –É isso que os professores fazem. Você tentou ser um pouco criativa, colocou um abacaxi a mais, e... BAM! Lá vem o punho da conformidade para esmagar você. Quando o Logan fica animado, ele começa a mastigar com a boca aberta. Foi o que ele fez. Pedacinhos de bolo saíram voando pela mesa e bateram na revista que Dallas estava lendo. Ela abaixou seu exemplar de Nova, olhou para os pedacinhos de bolo colados na capa, olhou para o Logan e disse:

- Cara, vê se fala sem cuspir.
E daí voltou a ler a respeito de orgasmos.
Está vendo? Está vendo o que eu quero dizer quando falo que ela ignora a
genialidade do Logan?

Dei uma mordida no meu bolinho. A mesa da cozinha, onde geralmente só tomamos
café e lanche, fica em uma espécie de átrio envidraçado que se projeta a partir da cozinha para o quintal. Nossa casa é antiga (tem mais de cem anos de idade, como a maior parte das casas de Cleveland Park, que são umas construções vitorianas com um monte de vitrais e balaustradas, pintadas com cores vivas). Por exemplo, a nossa casa é azul-turquesa, amarela e branca.
O átrio envidraçado e a mesa da cozinha foram incorporados à casa no ano passado. O teto é de vidro, três paredes são de vidro e a mesa da cozinha é feita com um bloco enorme de vidro. Como estava ficando escuro lá fora, eu via meu reflexo em todo canto. E não gostei muito do que vi:

Uma garota de tamanho médio, com pele branca demais e sardas, vestida toda de
preto, com um monte de cabelo ruivo ondulado saindo da cabeça, todo espetado.
E gostei ainda menos do que vi ao lado do meu reflexo: Uma garota com traços delicados sem sarda nenhuma, usando um uniforme roxo e branco de animadora de torcida, com cabelo brilhante perfeitamente assentado e levemente ondulado apenas no local em que saía de uma fivela.
E: Um cara gostoso, lindo, de ombros largos, com olhos azuis penetrantes e cabelo castanho comprido, usando jeans rasgados e um sobretudo militar azul-marinho, comendo bolinhos como se não houvesse amanhã.
E lá estava eu, no meio, entre os dois, onde sempre estive.

Uma vez, assisti a um documentário sobre a ordem de nascimento dos filhos no
Canal de Saúde, e adivinha só o que dizia:
Primeira filha (também conhecida como Dallas) : mandona. Sempre consegue o que
quer. Filha com maior possibilidade de tornar-se presidente de uma empresa
importante, ditadora de um páis pequeno ou supermodelo, como preferisse.

Última filha (também conhecida como Medison) : Bebê. Sempre consegue o que
quer. Filha com maior probabilidade de descobrir a cura para o câncer, ter seu
próprio programa de entrevistas, entrar na nave-mãe quando a invasão começar e
mandar uns “Bem-vindos à Terra” e assim por diante.

Filha do meio (também conhecida como eu mesma): Perdida na confusão. Nunca
consegue o que quer. Filha com maior probabilidade de se transformar em
adolescente fugitiva, vivendo de restos de Big Mac recolhidos nos lixos atrás do
McDonald’s local durante semanas até que alguém perceba que ela desapareceu.
É a história da minha vida.


Só que, pensando bem, o fato de eu ser canhota indica que provavelmente tive, a
certa altura, uma irmã gêmea. Pelo menos de acordo com um artigo que li no
consultório do dentista. Segundo uma teoria aí, a maior parte dos canhotos
começou a vida como metade de um par de gêmeos. Uma em cada dez gravidezes
começa com a gestação de gêmeos. Uma em cada dez pessoas é canhota.
É só fazer as contas.



Continua ...

Comentários ???
Vai gente , não custa dizer se os capítulos estão bons ou não !

Sejam bem vindas , novas seguidoras !!!
Beijonas , xoxo

7 comentários:

  1. cap perfeito

    posta mais...ela num pode sair da aula, por causa do joseph

    bjo bjo e posta logo

    ResponderExcluir
  2. estou amando sua historia....
    então posta mas por favor...

    ResponderExcluir
  3. Cara..
    Eu amo essa fic..
    É tão..tão..tão perfeitaaaa...
    Posta Logoooo

    ResponderExcluir
  4. Adorei o capitulo!
    Esse último paragrafo dá algum suspense.
    Posta logo!

    Bjs :)

    ResponderExcluir
  5. POSTA LOGO ... A HISTORIA É JEMI ?

    ResponderExcluir
  6. estai perfeitos ,muito lindo serio amei amei
    *-*

    ResponderExcluir

Sem comentários ........... sem capítulos!